Tag: Touro Page 1 of 3

O signo de Touro

O signo de Touro é do elemento terra e da modalidade fixa, e também o primeiro dos signos femininos. É representado pelo Touro, animal associado a força e a prosperidade desde a antiguidade. Além disso é o segundo signo do zodíaco e por isso está associado ao momento em que nos estabilizamos, após o iniciar abrupto de Áries.

A ideia central no signo de Touro é a sobrevivência, continuidade e perpetuação. Este é o local no zodíaco onde criamos “zonas de conforto” e onde descobrimos os meios para a manutenção do que quer que tenhamos iniciado em Áries.

O conceito de valor surge neste signo, assim como a ideia de dinheiro. Touro está relacionado com a alimentação e o trabalho, não sob a perspectiva do status, mas sob a perspectiva simples de se atender necessidades básicas de sobrevivência.

Este é também um signo relacionado com as ideias de conforto e prazer sensorial. Touro rege o que comemos, o que vestimos e tudo aquilo que utilizamos pra tornar nossa vida mais fácil. Nossas ferramentas e nossas armas, e todo objeto do qual nos apossamos, inclusive os de natureza estética.

Características do Signo de Touro

O elemento terra neste signo se refere a sua característica prática, objetiva e materialista. É o signo que trata da noção do que é real, do que é sólido e é palpável. Além disso , existe apego a rotinas , necessidade de estrutura e organização, além de previsibilidade.

O elemento terra também implica no fato de que Touro é um signo melancólico. Esse temperamento remete a disciplina, responsabilidade, perfeccionismo e aptidão para organização. Ele é resultado da união das qualidades primitivas frio e seco que indicam passividade, cautela e serenidade por parte do frio, além de teimosia e uma certa truculência por parte do seco.

A modalidade fixa indica persistência, firmeza e confiabilidade. Trata-se do momento em que as estações do ano se estabilizam quando o sol transita pelos signos fixos. A modalidade fixa é responsável pela tenacidade, obstinação, apegos e dificuldade de aceitar mudanças que observamos em Touro.

Touro também faz parte do hemisfério Norte do céu, e por isso vamos identificar nesse signo uma tendência ao egoísmo. Touro é um signo com grande dificuldade em abrir mão, compartilhar ou jogar fora algo ao qual tenha desenvolvido algum nível de apego. Ele também é um signo Bestial indicando seu lado ganancioso, sensual, luxurioso e insaciável em diversos níveis.

Como cada planeta se comporta em Touro

O sol é peregrino no signo de Touro e por isso se expressa de uma forma mediana. Taurinos costumam ser íntegros , persistentes e com um forte senso de Compromisso. Entretanto, podem ter uma visão de mundo restrita, o que implica num comportamento inflexível e intransigente.

A lua se exalta em Touro, além de também ter triplicidade neste signo, se expressando de forma muito positiva. É um posicionamento que tende a gerar estabilidade emocional, mesmo quando esta lua é tensa. São pessoas constantes, autossuficientes, com grande capacidade de afirmação e auto amor, ainda que se expressem de forma serena e discreta. Nutrem e protegem quando amam.

Mercúrio é peregrino em Touro, indicando uma mente boa para questões exatas ou estéticas. A fala tende a ser serena e comedida, ao mesmo tempo que firme e contundente. O processo de raciocínio pode ser lento , como se a pessoa tivesse a necessidade de tatear os dados e informações disponíveis pra conseguir chegar a conclusões.

Vênus está domiciliada em Touro, indicando uma pessoa que é constante e intensa em todos os seus afetos. Tendem a estabilidade na vida social e afetiva , sentindo simpatia por pessoas mais serenas e delicadas. São pessoas muito bem equipadas para se aproveitar intensamente das diversas formas de prazer possíveis , mas sempre de forma sóbria, sem excessos.

Marte tem detrimento em Touro e por isso esse é um posicionamento problemático. A pessoa tende a ruminar suas iras por muito tempo antes de se posicionar e agir, o que pode fazer com que desenvolva emoções intensas e muito negativas por seus desafetos. Por outro lado, são produtivos, persistentes e constantes em suas atividades.

Júpiter está peregrino em Touro indicando uma pessoa mais cética e com certa dificuldade para enxergar oportunidades quando está diante delas. Podem ser mesquinhas espontaneamente, mas são extremamente justos e expressam muita gratidão com quem lhes é generoso, sempre tentando recompensar de alguma forma.

Saturno está peregrino em Touro indicando dificuldades relacionadas a vida material ou a experiência do corpo físico. Podem ter dificuldades para prosperar financeiramente devido a uma tendência excessivamente cautelosa e pessimista nos assuntos financeiros.

A constelação de Eridanus

A constelação de Eridanus é uma das maiores do céu noturno, localizada no hemisfério sul celeste , entre longitudes que vão do signo de Peixes até Gêmeos. Ela representa um rio mítico, que “nasce” nos pés de Órion, próximo de Rigel, e que após percorrer um caminho sinuoso, deságua indo em direção ao extremo sul do céu. O nome da constelação é o mesmo que o antigo nome do Rio Pó na Itália, rio que nasce nos alpes e atravessa o norte da Itália desaguando próximo de Veneza.

É uma constelação que não forma asterismo muito claro , e também não tem muitas estrelas brilhantes. As mais destacadas são as que marcam as extremidades, Cursa, a nascente, e Achernar, a foz do rio. A melhor maneira de encontra-la é localizando a costelação de Orion, e olhando na direção sudeste do céu a partir de Rigel, a estrela mais brilhante de Orion.

Mitologia Associada a constelação de Eridanus

A origem da constelação é babilônica, e o nome original era Mulnunki, que significa “Estrela de Eridu”. Eridu por sua vez foi uma das cidades mais antigas do mundo , fundada pela civilização Suméria e era dedicada ao deus das águas Enki-ea, por se localizar numa região pantanosa, no delta do Tigre e Eufrates.

Na Grécia antiga originalmente essa constelação não representava um rio, mas o caminho percorrido por Faeton, o filho do deus Sol Hélios, quando ele pegou emprestada a carruagem solar do seu pai. Faeton perdeu o controle e traçou um caminho errático no céu, e estava colocando todo o mundo em risco de ser consumida pelas chamas do sol, até que ele foi acertado por um trovão enviado por Zeus, que finalmente o matou.

Os Egípcios viam ali o seu rio Nilo , enquanto os Atenienses viam ali um rio que cruzava a cidade, até que o nome da constelação mais tarde passou a designar o Rio Pó na época do Império Romano. É uma constelação que representa os rios de uma maneira geral, elementos geográficos fundamentais na constituição das civilizações ao longo da história.

Anatomia da Constelação de Eridanus

Eridanus é a sexta maior constelação do céu, com 1138 graus quadrados de área. Ela toca em diversas outras constelações ao longo do seu caminho: Orion, Touro, Cetus, Lebre, Pomba, Cinzel, Relógio, Tucano, Fênix e Fornalha. Esse rio nasce próximo do equador celeste e vai em direção ao leste , fazendo uma curva acentuada e se voltando para o oeste, onde faz uma segunda curva e desce em direção ao sul.

Não é uma tarefa fácil identificar essa forma no céu noturno ,mas a referência de Orion ajuda a saber onde a constelação começa. O hemisfério Sul é o melhor local para observação dessa estrela, especialmente a partir de novembro, quando ela ja está inteira no céu logo no começo da noite. Em latitudes superiores a 30° Norte ela será vista parcialmente , e acima dos 60° norte ela é invisível.

Achernar Alpha (α)15°36′ de Peixes
Acamar Theta (θ)23°33′ de Áries
Angetenar Tau (τ2) 02°55′ de Touro
Azha Eta (η)09°02′ de Touro
Zibal Zeta (ζ)14°07′ de Touro
Rana Delta (δ)21°09′ de Touro
Zaurak Gamma (γ)24°09′ de Touro
Beid Omicron (ο129°43′ de Touro
Theemin Upsilon (υ100°10′ de Gêmeos
Keid Omicron (ο)00°28′ de Gêmeos
Sceptrum 5305°32′ de Gêmeos
Cursa Beta (β)15°34′ de Gêmeos

A moderna constelação de Fornax, a Fornalha, fazia parte de Eridanus originalmente.

Estrelas de Eridanus em Peixes e Áries:

Achernar, Alpha (α) Eridani, É uma estrela localizada na foz do Rio Eridanus. Esse título antigamente pertencia a Acamar, porque Achernar não ascende na latitude da Grécia. O nome significa “boca do rio”.

Acamar, Theta (θ) Eridani, é uma estrela localizada próxima ao fim de Eridanus. Para os gregos a constelação terminava ali , porque a estrela Alfa Achernar era invisível daquela latitude. Por isso ela recebia o nome que é dado pra Achernar. Os árabes porém adotaram outra forma para o nome, Acamar, mas o significado é o mesmo: O fim do rio.

Estrelas de Eridanus em Touro:

Angetenar, Tau (τ2) Eridani, é uma estrela localizada no rio Eridanus. Ela fica na região da curva mais acentuada do rio, próxima a constelação de Cetus. O nome dela significa literalmente “a curva do rio”, e vem do árabe.

Azha, Eta (η) Eridani, é uma estrela localizada na constelação de Eridanus. Por se localizar numa região onde ficava um asterismo árabe chamado “ninho de avestruzes”, seu nome significa literalmente isso. Os persas consideravam ela fazendo parte de Cetus e a chamavam de “As tetas da baleia”.

Zibal, Zeta (ζ) Eridani, ela também compunha o asterismo do ninho de avestruz onde hoje temos a curva de Eridanus próxima a Cetus. O nome significa “filhote de avestruz”.

Rana, Delta (δ) Eridani, é uma estrela em Eridanus o Rio. O nome é latim e significa rã; é o Nome científico do gênero das rãs inclusive.

Zaurak, Gamma (γ) Eridani, é uma estrela da constelação de Eridanus. O nome é o termo árabe para barco.

Beid, Omicron (ο1) Eridani,  é uma estrela de Eridanus que fazia parte do ninho de Avestruz árabe. O nome significa Ovo de Avestruz.

Estrelas de Eridanus em Gêmeos:

Theemin, Upsilon (υ1) Eridani, é uma estrela localizada na segunda curva de Eridanus. O nome é uma corruptela da palavra árabe para Avestruz.  

Keid, Omicron (ο) Eridani, é mais uma estrela de Eridanus que fazia parte do asterismo obsoleto do ninho de Avestruz. O nome significa “casacas de ovos”.

Sceptrum, 53 Eridani, é uma estrela a leste da nascente de Eridanus, e o termo latim no nome significa cetro. Esse nome é referência a uma constelação obsoleta, criada no século XVII.

Cursa, Beta (β) Eridani, é a estrela que marca a Nascente do rio Eridanus, um pouco acima de Rigel da constelação de Orion. O nome vem do árabe, e significa “trono”.

Significado Astrológico da Constelação de Eridanus

A constelação de Eridanus tem natureza de Saturno, o que não significa que ela seja maléfica por isso. Na realidade os significados dela são positivos: Ela indica busca por conhecimento ao longo da vida, bom senso, sabedoria, e uma vida marcada por viagens e aprendizado. Existe humildade e a capacidade tanto de ensinar quanto de aprender. Ela indica ainda gosto e envolvimento com coisas ligadas a água, como navegação , e risco de acidentes na água e afogamentos.

Achernar, a estrela Alfa, está associada a fé, ética, compaixão e religiosidade. Indica sucesso em questões religiosas, científicas, acadêmicas ou estudantis em geral. Como a foz do rio, a pessoa está preocupada em compartilhar com o mundo o que ela sabe e se sente feliz quando pode contribuir para o coletivo.

Cursa, a estrela Beta, marcando a nascente do rio indica também sucesso em questões estudantis, acadêmicas, científicas ou religiosas, mas fala principalmente de uma pessoa cuja natureza é intuitiva e criativa. É o local de onde as “águas” do rio brotam.

A constelação de Touro

A constelação de Touro (ou Taurus), a que deu origem ao nome do signo de Touro é uma das mais importantes desde tempos imemoriais. É também uma das mais fáceis de se localizar, por conta da presença de 2 aglomerados estelares que tornam a região dessa constelação especialmente estrelada. Além disso, a estrela Aldebaran (Alfa desta constelação) é bem fácil de se identificar no céu, por ser bem brilhante e ter uma tonalidade alaranjada. Por conta disso era conhecida entre os gregos como Tocha.

Caso queira saber rapidamente onde está o touro, basta procurar pelas três marias (cinturão de Órion) , e olhar em linha reta em direção a esquerda (do ponto de vista do hemisfério sul) e procurar por uma estrela laranja bem brilhante. A própria forma da constelação de Touro é inconfundível, pois tem o formato aproximado de um Y. Na verdade Os dois chifres do touro correspondem as linhas paralelas superiores deste Y, O aglomerado das Híades corresponde a cabeça do touro (estando Aldebaran localizado onde estaria um dos olhos do Touro) com as Plêiades estando localizadas na região do corpo deste touro.

Mitos Relacionados a Constelação de Touro

Na antiguidade o Touro era um símbolo de abundância e fartura, especialmente porque sua fêmea, a vaca , dava o leite, além da carne em abundância e do couro. Junto das cabras, porcos, ovelhas e cervos, o Touro e sua versão castrada, o boi, eram muito usados em sacrifícios aos deuses. Entre os romanos , egípcios e gregos, o Touro era sempre sacrificado em homenagem a divindade principal. Zeus no caso dos Gregos, Júpiter no caso dos Romanos, Ossíris no caso dos egípcios.

Os templos de Zeus por exemplo, tinham altares com montanhas de cinzas que restavam destes sacrifícios. Era na realidade uma grande festa comunitária, porque comodamente, os deuses tinham preferência somente pelas partes do animal que não são consumidas por humanos (como ossos, tendões e camadas mais grossas de gordura). Esses rituais de sacrifício eram na realidade uma boa oportunidade pra se comer refeições ricas em proteína.

Mitologia Grega

O Touro referido nesta constelação pode ser o próprio Zeus, Deus dos deuses, disfarçado neste animal pra seduzir a bela Europa, filha de Cadimo, um rei Fenício da cidade de Tiro (que hoje fica no Líbano). Zeus transformou-se em touro principalmente pra que sua esposa, Hera, não percebesse mais esta sua aventura romântica. Zeus levou Europa, ainda transformado em Touro, até a ilha de creta pelo mar. Um dos principais atributos de Zeus é a fertilidade, ele foi o grande pai do Olimpo tendo incontáveis amantes de todos os sexos e procedências e tendo gerado muitos filhos. Em Creta, Zeus e Europa tiveram 3 filhos, dentre eles Minos, o que teria sido o primeiro dos reis de Creta.

O reinado de Minos estava sob disputas e para sair vitorioso de suas contendas, Minos decidiu fazer um acordo com o Deus Posseidon, pedindo que este fizesse um Touro emergir do oceano, que seria sacrificado em sua honra pra assim o deus ajuda-lo com suas disputas políticas. Posseidon aceitou o acordo e enviou para Minos o Touro mais belo, mais forte, mais robusto e mais manso que ja existiu. Encantado pela criatura, Minos decidiu trair a confiança de Posseidon, tentando engana-lo ao colocar o Touro presenteado escondido em seu estábulo e sacrificando um outro em seu lugar. Como punição, Posseidon fez com que o Touro enlouquecesse, tornando-se incontrolável. Afrodite também quis punir a desonestidade de Minos fazendo com que sua esposa, Pasífae, ficasse perdidamente apaixonada pelo touro.

Para que ninguém soubesse de seu desejo secreto pelo animal, Pasífae recebeu ajuda de um famoso inventor ateniense, Dédalo(pai de Ícaro), que estava naquela altura exilado em Creta devido ao seu envolvimento em um assassinato em Atenas. Dédalo ajudou Pasífae em sua “história de amor” com o Touro criando para ela uma máquina que possibilitaria a cópula entre ela e o Touro de Minos, em segredo. Era uma vaca de madeira onde ela se esconderia pra receber seu amado. Pasífae engravidou do Touro e o filho viria a se tornar a criatura conhecida como Minotauro. Ela cuidou dele durante a infância mas com o tempo ele cresceu revelando-se uma fera terrível, incontrolável e canibal. Minos mandou que Dédalo construísse então um labirinto onde este monstro seria mantido cativo, até ser morto pelo herói Teseu com ajuda da filha do próprio Minos e irmã do Minotauro, Ariadne.

Mitos bíblicos

Outro Mito importante relacionado ao Touro vem dos Hebreus. Durante a passagem do êxodo dos israelenses que saíam de anos de escravidão no Egito retornando para a Judeia sob liderança de Moisés, em dado momento o povo firmou um acampamento no meio do deserto de Sinai, enquanto Moisés se retirou durante vários dias para conversar com Deus, que lhe entregava as tábuas dos 10 mandamentos e lhe passava as instruções pra construção do templo de sua adoração.

Como Moisés demorava, sem ele o povo construiu um Bezerro feito de Ouro ao qual adoravam em meio a danças, orgias e bebedeiras. O bezerro de ouro é uma figura icônica e faz referência ao culto ao prazer e a matéria e também ao antigo culto ao deus Moloch, que levou a destruição das cidades de Sodoma e Gomorrah pela fúria divina. Este bezerro pode ser também influenciado pelo culto egípcio ao touro Ápis.

Levante e Mesopotâmia (Fenícia, Babilônia, Assíria…)

Moloch, Marduk e Baal eram divindades adoradas na região da mesopotâmia e Levante por diferentes povos, tidos como deuses supremos de diferentes civilizações. Zeus , Júpiter e Osiris podem ser considerados sincretizações desses deuses. Moloch era adorado pelos caldeus e sua representação é exatamente igual às representações artísticas do Minotauro: tinha corpo de homem e cabeça de Touro, com longos chifres. Vem dele a associação que os judeus e cristão fizeram entre chifres e demônios, que perdura até hoje. Alega-se que o culto a Moloch envolvia o sacrifício de bebês recém nascidos, o que pode ser ou não verdade, porque a prática de propaganda difamatória de guerra não é uma coisa exatamente nova.

Eram construídas grandes estátuas de Moloch em seus altares que apresentavam uma cavidade onde supostamente os bebês ou outros tipos de sacrifício eram colocados. Dentro da estátua funcionava uma fornalha e os recém nascidos eram colocados vivos para serem queimados ali. Cronos (o saturno romano) foi sincretizado pelos gregos a partir da figura de Moloch, o devorador de crianças, mas teve um mito muito mais elaborado e uma aparência mais humanizada.

Egito

O Touro Ápis dos egípcios é uma personificação da própria Terra. Era uma deidade relacionada a agricultura e o trabalho. Era adorado principalmente na cidade de Mênfis. Era tanto uma encarnação do Deus Ptah (patrono de Mênfis) quanto do grande deus Ossiris. Sendo assim a constelação de Touro era fortemente associada a esse deus e também a sua esposa, Isis. Etimologicamente, a palavre Touro em suas origens tem parentesco com a palavra terra. Terra é a palavra latina para Géia, ou Gaia, a deusa terra, mãe de toda criação, sendo o próprio planeta. A constelação de Touro pode ter relação portanto com esta deusa tão fundamental.

A deusa Hator, divindade da fertilidade tinha cabeça de vaca. Era esposa de Rá, um deus supremo de um período mais arcaico do Egito, que mais tarde transformou-se em Amon-Rá. Hator as vezes era representada com forma humana, mas usando chifres de vaca como adereço e um disco solar para simbolizar sua ligação com Rá. Ela era encarada como a mãe simbólica dos deuses e dos Faraós.

Índia

Na Índia, entre os que praticam o hinduísmo, as vacas são reverenciadas e protegidas até hoje. Encontrar vacas vagando sozinhas pelas ruas de uma grande cidade é impensável na maior parte do mundo, mas era uma cena comum em diversas culturas da antiguidade e é algo comum até hoje na Índia. Elas estão sob proteção de Krishna, e são o veículo de montaria do próprio Shiva.

Atacar uma vaca é considerado crime na Índia até hoje, com alguns estados aplicando pena de prisão perpétua em quem mata um desses animais. Vários casos de linchamento fatais são cometidos contra quem é acusado de ferir, mesmo que acidentalmente uma vaca. Muçulmanos sendo as maiores vítimas. Mas essa proteção toda tem uma explicação material muito simples. As vacas sempre foram muito valorizadas em função do leite que elas fornecem, que é um alimento fundamental da dieta indiana. Elas valiam tanto quanto ouro antigamente, então essa associação religiosa tinha uma clara conexão com questões econômicas e de sobrevivência também.

Simbolismo Moderno

Dado tudo o que vimos sobre a adoração dos Touros, não é a toa que em frente a bolsa de nova York nos dias de hoje encontramos a escultura de um touro. O Touro é o simbolo da segurança material pelo seu simbolismo de fertilidade. Está também relacionado a entrega aos prazeres carnais. E é também o símbolo do otimismo na bolsa de valores, símbolos dos investimentos crescentes e de uma economia fértil. Seu “culto” nos dias de hoje só perde para o culto direto as notas de dólar, que são “regidas” por ele.

Anatomia da Constelação de Touro

A constelação de Touro apresenta dois aglomerados estelares: As Plêiades e as Híades.

Plêiades

As plêiades são chamadas também de “setestrelo”, é um aglomerado composto por 7 estrelas, das quais somente 6 são visíveis a olho nu. Se localizam na região do corpo do Touro. Elas são filhas do titã Atlas, exatamente aquele que segura a abóboda celeste em suas costas, com Pleione, filha de um outro titã, Oceano. Veja abaixo a lista com todas elas.

Electra 1729°42′ de Touro
Celaeno 1629°43′ de Touro
Taygeta 1929°51′ de Touro
Maia 2029°58′ de Touro
Merope 2329°59′ de Touro
Asterope 2100°01′ de Gêmeos
Alcyone Eta (η)00°17′ de Gêmeos
Atlas 2700°38′ de Gêmeos
Pleione 2800°40′ de Gêmeos

As plêiades são 7, mas a olho nu só se consegue identificar 6 estrelas no aglomerado. A justificativa mitológica reside no fato de que Mérope teria se casado com um mortal, por isso estava no setestrelo, mas não podia brilhar. Séculos mais tarde, Galileu apontou o telescópio para a direção das plêiades e constatou a existência de 7 estrelas, e não 6. Além das Pleiades, um pouco fora do Aglomerado estão duas estrelas, uma correspondendo a Atlas e outra a Pleione. Vamos conhecer cada uma delas.

Electra, 17 Tauri, diferente da personagem Electra de uma tragédia grega que leva o mesmo nome, é uma das plêiades , que teve com Zeus 2 filhos , e apesar de ser visível a olho nu, é considerada a Plêiade perdida. Ela teria mergulhado em profunda tristeza após a destruição do reino de um dos seus filhos, e se exilou no Polo Norte.

Celaeno 16 Tauri, Com Posseidon ela teve vários filhos, incluindo Tritão. Com Prometeu ela teve Deucalião de acordo com alguns autores.

Taygeta, 19 Tauri, teve com Zeus um filho, Lacedaemon, que é o rei mítico fundador de Esparta. Ela da nome a uma cadeia de montanhas na Lacônia conhecida como Taygetus.

Maia, 20 Tauri, é a mais velha das Plêiades. Com Zeus foi a mãe de Hermes, o mensageiro dos deuses, guardião das encruzilhadas e protetor dos mensageiros, comunicadores, comerciantes e ladrões.

Merope, 23 Tauri, é a Plêiade que não pode ser vista a olho nu. Isso é justificado na mitologia pelo fato dela ter se casado com um mortal, Sísifo, perdendo ela mesma a imortalidade. Porém uma simples luneta revela a existência cintilante de Merope.

Asterope, 21 Tauri, teve com Ares um filho chamado Oenomaus, que se tornou rei fundador de Pisa (onde ficava Olympia, onde eram realizados os jogos olímpicos em homenagem a Zeus e Hera), localidade que mais tarde integraria a região de Elis.

Alcyone, Eta (η) Tauri, é a Plêiade mais importante do ponto de vista astrológico em função de sua magnitude. Ela teve diversos filhos com Posseidon, deus das águas. É comum que se considere somente a longitude de Alcyone para marcar a posição das Plêiades.

Atlas, 27 Tauri, é uma estrela bem próxima as plêiades que representa seu pai, o titã Atlas , condenado a suportar a abóboda celeste em suas costas pela eternidade, associado a cadeia de montanhas Atlas, localizada no Norte da África.

Pleione, 28 Tauri,é uma estrela bem próxima as plêiades que representa a mãe delas, Pleione, uma oceânide, filha do Oceano e casada com o Titã Atlas.

Híades

As Híades São outro Aglomerado aberto, este localizado na região da cabeça do Touro. Na mitologia, as Híades são filhas de Atlas com uma ninfa. Serviam ao deus Dionísio, e eram perseguidas por Hera por sua beleza. Foram homenageadas por Zeus e transformadas em constelação em agradecimento aos cuidados que estas prestaram ao deus Dionísio. Híades significa chuva.

Aldebaran fica na mesma direção das Híades mas não é considerada como fazendo parte do aglomerado. As híades fazem parte do asterismo principal da constelação de Touro, compondo um v oblíquo que é projetado em y com outras estrelas da constelação. Veja abaixo as estrelas nomeadas que compõe as híades, incluindo Aldebaran:

Prima Hyadum Gamma (γ) 06°05′ de Gêmeos
Hyadum II Delta (δ)07°06′ de Gêmeos
Chamukuy Theta (θ)08°14′ de Gêmeos
Ain Epsilon (ε)08°45′ de Gêmeos
Aldebaran Alpha (α)10°04′ de Gêmeos

Prima Hyadum, Gamma (γ) Tauri, é a Principal estrela a compor o aglomerado das Híades. Significa Primeira Híade.

Hyadum II, Delta (δ) Tauri, é uma estrela que compõe as híades, com o nome significando simplesmente segunda Híade.

Chamukuy, Theta (θ) Tauri, é um par de estrelas que integra o aglomerado das Híades. Cada estrela tem designações numéricas. O nome é de origem Maia, e significa pequeno pássaro.

Ain, Epsilon (ε) Tauri,é uma estrela que compõe as híades, localizada na região do olho esquerdo do Touro. É chamada também de oculus Boreus (diferenciando da estrela oculus, da constelação de Capricórnio).

Aldebaran, Alpha (α) Tauri, é a principal estrela da constelação de Touro, uma das mais importantes para astronomia e astrologia, uma das estrelas reais dos Persas. Alguns astrônomos incluíram essa estrela junto às Híades, mas oficialmente é considerada não fazendo parte do aglomerado. Ela se localiza no rosto do Touro também, na região do olho direito. O nome vem do árabe, Al Dabaran, e significa o seguidor. Ela costumava ser a designação árabe para as Híades, mas hoje se tornou apenas designação desta estrela. Na Grécia antiga era chamada de Omma Boos, e em latim, Oculus Tauri.

Os Chifres e Corpo do Touro

Como dito, as Híades formam um v, e essas estrelas que serão listadas abaixo, prolongam todos os vértices formando um y e completando o famoso asterismo da constelação de Touro. Elas estão nas extremidades leste e oeste da constelação:

Al Hecka  Zeta (ζ)25°04′ de Gêmeos
El Nath Beta (β)22°52′ de Gêmeos
Ventri Tauri Omicron (ο)21°27′ de Touro
Sadral Tauri Lambda (λ)00°55′ de Touro

Al Hecka,  Zeta (ζ) Tauri, é uma estrela localizada na constelação de Touro, localizada no chifre que fica mais ao sul.

El Nath, Beta (β) Tauri, é uma estrela localizada na constelação de Touro, localizada no chifre que fica mais ao norte.

Ventri Tauri, Omicron (ο) Tauri, É um sistema composto de 4 estrelas elipsantes, com Magnitude variável, localizada na barriga do touro.

Sadral Tauri, Lambda (λ) Tauri, É uma estrela que outrora fez parte das híades, e que agora marca o peito do Touro.

Significado Astrológico da Constelação de Touro

Todas as estrelas das Plêiades e todas as estrelas da Híades são associadas por diversas culturas com chuvas, e a ideia básica que acompanha a chuva é a fertilidade. A palavra Híade vem do grego e corresponde ao termo usado pra chuva naquela língua. A associação genérica que se faz a constelação de Touro está relacionada a fertilidade e a intensa sexualidade, por ser a constelação que marca tradicionalmente o coração da Primavera, quando se celebrava o festival de Beltane. Especificamente a região desses aglomerados é apontada como indicador de uma sensualidade e uma sexualidade muito intensa. Alguns autores apontam como indício inclusive de comportamentos promíscuos, infidelidade no casamento e bissexualidade ou homossexualidade. Isso se deve ao elemento da fertilidade presente no simbolismo do Touro, animal forte, potente e que não pode ser contido.

Essas estrelas podem indicar por exemplo popularidade, e podem despertar o sentimento de posse em amigos ou atrair pessoas dominadoras. De modo geral, a literatura não descreve as plêiades e as Híades com muita generosidade, associando elas com desgraças e vergonha. Isso pode estar relacionado ao fato de que antigamente imperava uma visão mais moralista ou cristã em relação ao sexo, e como essas estrelas falam fundamentalmente da luxúria, talvez venha daí esse significado.

Nos dias de hoje não precisamos encarar o aparecimento de um desses aglomerados em evidência em um mapa como indicador de qualquer tragédia, mas elas podem ser indício de um comportamento mais promíscuo, luxurioso ou errôneo em seus relacionamentos afetivos, podendo levar a escândalos ou mesmo a problemas mais sérios.

Outra interpretação importante está relacionada ao elemento de confusão e de névoa que paira nessa região do zodíaco, como é comum a todos os aglomerados estelares. Assim elas podem sugerir problemas de visão, dificuldade de enxergar os fatos reais, ou tendência a esconder coisas ou mesmo inventar mentiras para os outros. A natureza atribuída a elas é de Vênus com Saturno, juntando prazer com o elemento da “desgraça” ou “vergonha” quando exagerado. Basicamente todo o primeiro decanato de gêmeos está na zona de influência das Plêiades ou Híades.

Ventri e Sadral tauri são estrelas marcando o corpo do touro, a parte do animal que serve como alimento , e tem um sentido benéfico de uma maneira geral, apesar de não serem notadas pela tradição como significadoras de nada em particular.

Aldebaran é uma estrela régia, significando sucesso, vitória sobre os inimigos, fertilidade, abundância e fartura.Tem algo de violento ou autoritário associado a ela, indicando líderes e pessoas de destaque em suas comunidades. Na atualidade, indica pessoas que se destacam nos esportes, na carreira militar ou como bombeiros e policiais por exemplo. São pessoas que aliam inteligência com integridade, sendo populares e queridas. As oposições com essa estrela implicam conjunção a uma estrela igualmente poderosa, Antares, e estão entre as mais intensas e violentas.

Por fim, sobre as estrelas localizadas nos chifres (El Nath e Al hecka), elas tem uma natureza mais marciana, o que seria de se esperar, já que essas são as armas do animal touro. Mesmo sendo marcianas elas são benéficas, indicam uma pessoa impetuosa, cheia de vigor e iniciativa, de temperamento ativo, talvez precipitado e agressivo ou excessivamente mordaz.

A constelação de Cetus

Cetus é uma grande constelação do hemisfério sul do céu sendo adjacente as constelações de Peixes e Áries. Aliás, durante um dia do ano (27 de março) o sol, astronomicamente, sai dos limites da constelação de Peixes e faz uma rápida passagem pela constelação de Cetus. Daqui a algumas centenas de anos o ponto vernal , que é o dia do equinócio da primavera, vai coincidir com essa região. Essa curiosidade é interessante pra mostrar a arbitrariedade das constelações, porque são um construto humano, uma forma de organização do céu que é arbitrária.

A constelação de Eridanus faz o limite sul de Cetus. Apesar de grande,Cetus não tem estrelas muito brilhantes, destacando-se somente 4 estrelas. Dessas, 2 de razoável importância pra astrologia: Deneb Kaitos e Menkar.

A palavra Cetus está diretamente relacionada a palavra Cetácea, a ordem de mamíferos a qual pertencem as baleias. Cetus é portanto uma Baleia, e seu nome em outros idiomas faz referência direta a isso.

Mitologia da Constelação de Cetus

A ideia original dos gregos é atribuir esta constelação ao terrível monstro marinho que foi enviado por Posseidon pra destruir a Etiópia, e que exigia em sacrifício a bela Andrômeda pra que o reino fosse poupado. Esse monstro foi destruído pelo herói Perseus, cuja constelação fica paralela a cetus, mas no hemisfério norte, do outro lado da constelação de Áries. Na verdade o casal Perseu e Andrômeda estão lado a lado na região oposta a de Cetus. O monstro foi morto ao olhar a cabeça da medusa, portada por Perseu, o que fez com que ele imediatamente se transformasse em pedra. Por esse e por outros motivos é que a natureza básica dessa constelação a associa ao planeta saturno.

Em outras culturas esse ideal de monstro marinho teve outras acepções. Uma das mais importantes é a divindade mesopotâmica, a deusa oceânica Tiamat, que era representada na forma de um monstro marinho ou dragão. Tiamat seria responsável pela criação de tudo o que existe, sendo uma entidade absoluta, doadora de vida. No livro de Jó a descrição feita sobre o leviatã o faz se assemelhar muito a ideia contida na mitologia grega, do monstro enviado por Posseidon.

Outra lenda aparece na bíblia e se refere a baleia que engole o profeta Jonas. A baleia dessa passagem bíblica é um cachalote, o maior animal carnívoro que existe no mundo, e que na época de Jonas habitava e era comum na região do Mediterrâneo (hoje não mais). A história não é completamente absurda, porque se sabe por exemplo que essas baleias carregam seus filhotes feridos na boca.

O cachalote também é personagem central de uma lenda contemporânea, Moby Dick. Curiosamente, a obra foi lançada em 1851. Neste ano os Planetas Urano e Plutão estavam passando pelo final do signo de Áries e formaram conjunção ao grau correspondente ao da estrela Mira , uma das mais importantes da constelação de Cetus, que ficava nesta época aos 29° de Áries. Saturno por sua vez passava também pelo terceiro decanato de Áries e formava conjunção com Baten Kaitos, outra estrela bem importante desta constelação. Cito esses planetas lentos por se tratar de uma manifestação cultural, de importância coletiva, e que carrega simbolismos paralelos ao das estrelas fixas tocadas pelos geracionais da época.

O leviatã também aparece na bíblia, sobretudo no apocalipse e foi uma imagem recorrente até pouco tempo atrás, associado pelos pescadores a monstros marinhos causadores de acidentes e naufrágios. O leviatã é encarado também como um demônio, um dos príncipes do inferno.

Entre os Vikings e celtas existiam lendas relacionadas a criatura conhecida como Kraken, representada não como uma baleia, mas como um polvo gigantesco. Acredita-se que a lenda do Kraken possa ser verídica a julgar pelo tamanho de algumas espécias de lulas colossais que ja foram encontradas. Essas lulas tem como predador natural justamente o cachalote, e diversos exemplares deste tipo de baleia são encontrados com ferimentos graves advindo das lutas contra esses gigantes. As lulas colossais podem chegar a impressionantes 15 metros.

O escritor de ficção H. P. Lovecraft traz uma lenda contemporânea muito interessante e que pode ser associada diretamente a temática desta constelação: Cthulhu, uma criatura marinha gigantesca, monstruosa, horrenda e causadora do mais profundo horror e desespero , manifestação da maldade , do ódio e da corrupção mais hedionda que possa ser concebida. Na realidade, Cthulhu seria uma entidade alienígena que vivia nas profundezas oceânicas da terra, adormecida antes mesmo de haver vida no planeta. A ideia do despertar de Cthulhu seria a ideia do despertar do mal, do fim e da destruição, e no universo criado por Lovecraft havia inclusive um culto empenhado em trazer a criatura a vida. Um filme recente foi muito inspirado nesta história, O monstro de Cloverfield, de 2008.

Índios amazônicos projetam nessa constelação um jaguar, que é associado ao deus das tempestades, furacões e calamidades naturais de uma maneira geral.

Anatomia da Constelação de Cetus

Cetus é a 4° maior constelação do céu, localizada no hemisfério sul, e ocupando uma área de mais de 1000 graus quadrados. Ela se localiza numa região do céu que é chamada de mar, porque é repleta de constelações cujas representações são criaturas marinhas ou relacionadas a água: Peixes, aquário, capricórnio, cetus, eridanus, Peixe austral, cisne, etc.

Veja abaixo uma lista com as estrelas de Cetus que são nomeadas:

Deneb Kaitos Beta (β)02°52′ de Áries
Baten Kaitos Zeta (ζ)22°14′ de Áries
Mira Omicron (ο) Ceti01°46′ de Touro
Kaffaljidhma Gamma (γ)09°43′ de Touro
Menkar Alpha (α)14°36′ de Touro
Posição das estrelas calculadas para 01/01/2021

Deneb Kaitos, Beta (β) Ceti, é uma estrela localizada na cauda do monstro marinho. O nome da estrela vem do árabe, Al Dhanab al Kaitos al Janubiyy, que significa a parte sul da cauda da baleia. Não é uma estrela muito brilhante, mas é a que mais se destaca na constelação, sendo hoje mais brilhante do que a alfa.

Baten Kaitos, Zeta (ζ) Ceti, é uma estrela amarela localizada na barriga de Cetus. O nome vem do árabe Al Batn al Kaitos, que significa a barriga da baleia.

Mira, Omicron (ο) Ceti, é uma estrela dupla e oscilante, cujo brilho varia ao longo do ano na madida em que seu sistema binários se movimenta. Especialmente quando observada no telescópio, exibi cores fortes que lembra joias. O nome vem do latim mirus, que significa maravilhoso. Fica localizada no pescoço de Cetus.

Kaffaljidhma, Gamma (γ) Ceti, é uma estrela localizada no olho esquerdo de Cetus. O nome é árabe, Al Kaff al Jidhmah, e na realidade serve para se referir ao conjunto de estrelas que se localiza na Cabeça de Cetus. Significa “a mão curta”.

Menkar, Alpha (α) Ceti, é uma estrela laranja localizada na boca aberta de Cetus. Também chamada de Minhar, vem do árabe Al Minhar, e significa nariz. É a estrela mais importante e mais conhecida devido a sua posição ser a mais norte da constelação. No dia 21 de dezembro, solstício de verão do sul e inverno no norte, ela aparece culminando logo após o por do sol.

Significado Astrológico de Cetus

De modo geral, Cetus é uma constelação maléfica, que simboliza medos irracionais e dificuldades. Sua natureza é semelhante a Saturno e assim se manifestam todas as suas estrelas. Cetus é quase como uma lição , pra apendermos que por maior que pareçam os problemas, não é uma atitude temerosa e a paralisia que vai nos ajudar a vence-los. As pessoas que nascem sob os auspícios dessa constelação são dotadas de disciplina e cautela, talvez em excesso, e podem precisar enfrentar sentimentos melancólicos e uma tendência a paralisar diante das dificuldades.

Deneb kaitos tem natureza saturnina, está relacionada a autodestruição em diversos níveis e a melancolia. As pessoas afetadas por essa estrela podem se mostrar mais cautelosas e temerosas em relação a vida, podendo apresentar diversas formas de inibições, a depender do planeta que faz o contato.

Baten Kaitos é outra estrela não muito positiva, numa aparente alusão a história de Jonas que foi engolido e transportado pela baleia a sua revelia, essa estrela pode sugerir mudanças na vida que estão completamente fora do controle do nativo, especialmente mudanças geográficas. Também tem natureza de saturno indicando cautela e algumas inibições, mas não tanto quanto a estrela anterior.

Mira tem a natureza de Jupiter e saturno indicando perseverança, cautela e capacidade de solucionar grandes problemas com esforço e industriosidade. A pessoa tende a ser severa e rigorosa e pode ser autoritária. Por outro lado, pode indicar melancolia e grandes decepções e fracassos na vida em outro extremo. Hitler tinha o sol em conjunção com essa estrela.

Menkar é a boca do monstro. De natureza saturnina, indica perigo de atrair inimigos por motivos pequenos, limitações e impedimentos associados ao planeta que toca a estrela e preocupações ligadas a vivência daqueles temas. Essa é a estrela mais importante e mais brilhante da constelação, a estrela alfa. Ela pode sugerir temores, medos exagerados e um excesso de cautela que limita a pessoa .

A constelação de Andrômeda

Andrômeda é uma constelação localizada próxima ao equador celeste, no hemisfério norte do céu, paralela as constelações zodiacais de Peixes e Áries; Do lado oposto na parte sul está a constelação de Cetus. Mais ao norte de Andrômeda estão também as constelações de Cepheu e Cassiopéia, seus pais. ao lado de Andrômeda está a constelação de Perseus, seu herói e amado.

Todas essas constelações juntas fazem parte do mesmo esquema mitológico e estão intimamente relacionadas com as constelações de Peixes, Áries e Touro. Andrômeda particularmente é uma constelação que tem uma natureza muito semelhante a de Peixes, mas isso indo muito mais para o lado da exaltação de Vênus neste signo: é uma constelação venusiana por excelência. É a clássica representação da donzela indefesa que é salva pelo príncipe (Perseu) de uma fera terrível (Cetus).

Os mitos da constelação de Andrômeda

Andrômeda era filha do Rei da Etiópia, Cefeu, e de Cassiopéia. Cassiopéia era uma mulher descrita como fútil e vaidosa, e certa vez afirmou que era mais bela do que todas as Nereidas (divindades protegidas por Posseidon) , o que causou a ira do Deus das águas. Como punição, Posseidon decidiu enviar uma besta marinha gigantesca com a missão de destruir o reino da Etiópia. A condição para a não destruição da Etiópia era que Cefeu e Cassiopéia entregassem sua filha em sacrifício para Posseidon, que seria devorada pelo monstro.

Para salvar o reino, Cefeu não teve alternativa a não ser entregar sua filha. Assim Andrômeda foi levada para um rochedo na costa do antigo reino da Etiópia (que também englobava parte da Arábia em tempos antigos). Quando estava para ser devorada pelo monstro, Andrômeda é salva por Perseu que acabara de derrotar a Medusa e ainda portava a cabeça daquele monstro. Usando do poder diabólico da cabeça da Medusa, Perseu fez com que a Besta marinha olhasse nos olhos da Medusa, petrificando a fera. Assim Perseu quebrou as correntes que mantinham Andrômeda presa ao rochedo e a tomou como esposa, salvando, dessa forma, o reino da Etiópia da destruição. Andrômeda e Perseu criaram a linhagem que daria origem ao povo Persa, de acordo com a mitologia.

Anatomia da constelação de Andrômeda

Na direção da constelação de Andrômeda pode-se observar o objeto mais distante observável a olho nu no céu, a Galáxia de Andrômeda, nossa vizinha. Andrômeda não é tão difícil de se localizar , uma vez que se saiba pra onde olhar. Ela fica na região mais ao norte do céu, próxima de Peixes. Localizando-se a constelação de Pégasus (que forma um quadrado), Andrômeda forma uma espécie de linha reta prolongando-se a partir deste quadrado.

A melhor época pra se observar Andrômeda é a partir de Outubro quando ela fica visível logo após o por do sol. Suas principais estrelas estão neste prolongamento. Se o local onde se vai realizar a observação for razoavelmente livre de poluição luminosa, é possível se avistar a Galáxia de Andrômeda na direção desta constelação. Uma luneta ou binóculo ajudaria no processo de observação. Na região sul do Brasil (e qualquer local mais ao sul), a observação de andrômeda é comprometida pela proximidade dela com a borda norte no céu. Na medida em que se vai para o norte a constelação fica mais fácil de ser observada.

A maioria das estrelas de andrômeda são pouco visíveis. Mesmo tendo uma das maiores áreas de todas as 88 constelações modernas, ela apresenta poucas estrelas de destaque. Entretanto, além da galáxia de Andrômeda, outras galáxias (mais dependentes de telescópios) podem ser encontradas na área da constelação de Andrômeda. Veja abaixo uma lista com as estrelas de Andrômeda que são nomeadas:

Alpheratz Alpha (α)14°35′ de Áries
Vertex M3128°08′ de Áries
Mirach Beta (β)00°41′ de Touro
Adhil Xi (ξ)08°09′ de Touro
Almach14°31′ de Touro
Posição das estrelas calculadas para 01/01/2021

Alpheratz, Alpha (α) Andromedae, é uma estrela binária localizada na cabeça de Andrômeda. É uma estrela dupla e a mais brilhante da constelação. Ela fazia parte da constelação de Pegasus antigamente, tanto que seu nome , que vem do árabe Al Surrat al Farras, significa umbigo ou barriga do cavalo.

Vertex, na verdade a famosa Galáxia de Andrômeda , ou M31, sua designação astronômica, é uma galáxia localizada no ventre de Andrômeda. O nome vertex é uma designação tradicional usada hoje em dia apenas na astrologia. Era conhecida antigamente como a pequena nuvem ou a rainha das nebulosas.

Mirach, Beta (β) Andromedae, é uma estrela amarela localizada na cintura de Andrômeda. Já foi chamada de Ventrale (em latim) em representações antigas em função de sua posição ventral , próxima de onde seria a vagina de andrômeda. Quando Alpheratz era incluída na constelação de Pegasus, esta era a estrela mais brilhante de Andrômeda.

Adhil, Xi (ξ) Andromedae, É uma estrela localizada onde seria a barra do vestido de Andrômeda, na altura de suas panturrilhas. Seu nome vem do árabe Al Dhail, que significa a barra de um vestido

Almach

Significado Astrológico da constelação de Andrômeda

Andrômeda está diretamente relacionada a constelação de Peixes e também ao signo oposto, Virgem, e é uma representação clássica da Vênus nos moldes do eixo Peixes-Virgem: Entregue ao sacrifício, acorrentada a um rochedo, totalmente indefesa a espera do príncipe encantado. Não à toa, as estrelas desta constelação tem todas a natureza Venusiana, indicando beleza, capacidade de atração, carisma e dons artísticos. Essas estrelas representam o desejo, a volúpia e a forte possibilidade de o nativo não conseguir conter seus ímpetos sexuais, seja homem, seja mulher. É também indício de grande potencial de atração, especialmente se uma das estrelas principais estiver em algum elemento significador da aparência física. Também costuma atrair conforto material, especialmente se a estrela Alfa ou Beta estiverem relacionadas.

Alpheraz é a estrela Alfa e está localizada aos 14° de Áries nos dias de hoje. No céu, é a estrela que está mais próxima do quadrado de Pégasus. Essa estrela também tem outro nome, Sirrah. Esta localizada nos cabelos de Andrômeda, é significadora de grande beleza, carisma e popularidade.Alguns autores incluíam essa estrela na constelação de Pégasus mas a maioria a posiciona em Andrômeda.

A Galáxia de Andrômeda, também conhecida como Vertex (M31 NGC224) está localizada muito próxima da estrela Beta de Andrômeda, atualmente aos 28° de Áries. Na figura, a galáxia fica localizada próxima a região do ventre-vagina de Andrômeda. É encarada astrologicamente como um aglomerado estelar, e é interpretada da mesma forma, podendo simbolizar problemas de visão e algo como um véu a encobrir e confundir os assuntos relacionados aos planetas/ângulos tocados. Era chamada também de pequena Nuvem porque é esse o aspecto que tem quando observada a olho nu numa noite de céu limpo e tempo seco.

Mirach é a estrela Beta, e está localizada atualmente aos 00° de Touro. É quase tão brilhante quanto Alpheraz e os significados são bem parecidos, com a diferença de que essa é considerada um pouco mais benéfica, indicando fertilidade , sorte no casamento e sendo auspiciosa no quesito vida familiar.

Almach fica localizada na região do pé esquerdo de Andrômeda aos 14° de Touro nos dias de hoje. É a região que fica mais próxima de Perseus, sendo na região que passa por essa estrela, a constelação do triângulo e a constelação de Perseus que ocorre a chuva de meteoros das Perséiades. Por esse motivo os Chineses consideravam essa como uma região especialmente afortunada do céu, porque entendiam as estrelas cadentes como bons augúrios. Essa região era conhecida entre os chineses como “o grande general dos céus” e significava eminência, representando uma das mansões lunares da astrologia sideral chinesa. Na astrologia ocidental, Almach tem os significados básicos de andrômeda simbolizando carisma, atração física e sorte moderada nos assuntos venusianos, com possibilidade de aventuras extra-conjugais. das estrelas de Andrômeda, o forte desta não é exatamente na sorte matrimonial ou no carisma, mas no hedonismo e na capacidade de se extrair prazer da vida.

A constelação de Perseu

Perseu ou Perseus é uma constelação que fica na região norte do céu, não muito distante do equador celeste (a linha imaginária por onde ocorre o trânsito do sol). Está próxima das constelações de Áries e Touro. Na região desta constelação ocorre a chuva de meteoros conhecida como “Perséiades”, fenômeno em que se pode observar diversas estrelas cadentes e que é observado a mais de 2000 anos.

Perseu era filho do próprio Zeus com a mortal Danae, ele a visitou na forma de uma chuva de ouro, engravidando-a nessa forma de Perseu. As Perséiades seriam portanto uma referência a este feito do Deus dos deuses. Na Europa cristã este fenômeno é conhecido como “As lágrimas de São Lourenço”. O fenômeno é visível anualmente a partir de meados de Julho, registrando-se a maior atividade entre os dias 8 e 14 de Agosto, ocorrendo o seu pico por volta do dia 12.

Durante o pico, a taxa de estrelas cadentes pode ultrapassar as 60 por hora. Podem ser observadas ao longo de todo o plano celeste, mas devido à trajetória da órbita do cometa são observáveis principalmente no hemisfério norte e na direção Norte do céu. Pra esse fenômeno ser visualizado no Brasil, é necessária uma região de pouca poluição luminosa e com poucas obstruções na região norte. Quanto mais ao Norte do Brasil, mais provável de se conseguir visualizar alguma coisa.

Não se trata de uma constelação fácil de se localizar, porque ela não forma um asterismo muito claro, especialmente depois da reconfiguração das constelações feita na era moderna, onde a área de abrangência dessa constelação aumentou. Mas o fato de ela estar próxima das constelações de Áries e Touro ajuda a encontra-la, especialmente tomando Touro como referência, ela estará mais a norte dessa constelação.

Mitologia da Constelação de Perseu

Além do herói Perseu , essa constelação também apresenta uma figura mitológica cuja importância excede a do próprio Perseu, que é a Medusa , marcada pela estrela Algol, de grande importância astrológica. Vamos conhecer a orgiem das duas figuras e depois entender a maneira como elas se encontram, e o legado que cada uma delas teve depois, a luz da mitologia grega.

Perseu

Perseu era filho da mortal Dânae com Zeus , deus dos deuses. O pai de Dânae era o rei da Argólida, o coração da Grécia na era Micênica . Ele reinava a partir da cidade de Argos e mais tarde o próprio Perseu viria a fundar Micenas , mais ou menos a meio caminho entre Argos e Corinto. Esse rei não tinha filhos homens, e ao interrogar um oráculo, descobre que sua filha Dânae teria um filho que viria a mata-lo quando adulto. Diante desse presságio, o rei manda aprisionar a própria filha numa câmara subterrânea feita de bronze.

Zeus já havia notado a beleza de Dânae antes, e estava apaixonado por ela, mas evitava encontra-la a luz do dia porque sua esposa Hera era extremamente ciumenta e o vigiava constantemente. Ao saber que ela havia sido aprisionada pelo seu pai, o Zeus transforma-se numa chuva de ouro , e assim consegue penetrar no cativeiro de Dânae, revelando a ela sua verdadeira forma e finalmente a seduzindo. Dânae termina grávida de Perseu.

Ao descobrir que a filha havia engravidado de Zeus, o rei sem ter coragem de matar a ela ou ao filho que ela esperava com medo de ofender ao deus dos deuses, decide por banir a filha do reino da Argólida, colocando ela e o filho em um cesto de palha e lançando os dois à deriva no mar Egeu. É nesse ponto que o mito de Perseu se assemelha ao do Moisés bíblico.

Os dois terminam chegando as praias da ilha de Sérifos, no meio do mar Egeu, e são salvos por um pescador, Dyctes, que era irmão do rei de Sérifos, Polydectes. Dyctes criou Perseu até a vida adulta, e quando ja estava adulto, o rei Polydectes se apaixonou por Dânae, fato contra o qual Perseu se opôs. Ressentido da atitude de Perseu, polydectes trama um plano maligno , onde ele passa a exigir presentes de seus súditos, sabendo que Perseu seria incapaz de lhe dar o que ele pedia. Perseu então se vê obrigado a se oferecer em serviço ao rei, que lhe pede uma tarefa que ele imaginava que acabaria com a vida de Perseu: Trazer a cabeça da górgona Medusa.

Medusa

De acordo com uma versão antiga , Medusa e suas outras duas irmãs eram conhecidas como Górgonas, e eram filhas de Cetus que aparece em outra constelação. Eram divindades ctônicas, monstruosas e imortais, com exceção da medusa. Tinham o corpo monstruoso, e os cabelos em forma de serpente.

Em outra versão mais recente, ela é uma donzela ateniense que trabalhava no templo da deusa Palas Atena, muito bela e vaidosa, que se orgulhava dos seus lindos cabelos e que se considerava tão ou mais bonita do que a própria Atena. Ela era de fato, muito bonita, ao ponto de ter chamado a atenção do deus dos mares, Posseidon, que a estuprou.

As sacerdotisas do templo de Atena porém, deveriam se manter virgens, e Medusa voltou aos seus afazeres do templo como se nada tivesse acontecido, o que despertou a fúria de Atena. Como punição, Atena transformou seus cabelos em serpentes, e tornou seu rosto tão aterrorizante que quem quer que a visse se transformaria em estátua.

Ela foi banida da civilização e foi viver no deserto do Saara. Inclusive as víboras que infestam essa região do sul da Líbia são atribuídas a Medusa. O covil da Medusa era descrito como um local repleto de estátuas de homens convertidos pela maldição da deusa Atena, onde a entrada de mulheres era proibida para poupa-las.

Perseu e a Medusa

Perseu então tinha a missão de decapitar Medusa e levar sua cabeça como prova. Tarefa impossível, mas Perseu recebeu auxílio da deusa Atena, de Hermes e do próprio Hades, que lhe presentearam com artefatos mágicos : sandálias aladas, um elmo da invisibilidade e um escudo que lhe permitia ele mesmo ver o reflexo da medusa sem precisar olhar diretamente pra ela.

E assim ele o fez. Ao decapitar a Medusa , o sangue dela ao entrar em contato com o chão deu origem ao Cavalo alado Pegasus, que era o filho de Medusa com o próprio Posseidon. Ao tocar o solo após seu nascimento , o chão desértico tornou-se magicamente fértil como se uma suave primavera tivesse substituído a aridez do deserto naquela região, e assim se explicavam os Oásis na mitologia grega. Pegasus depois foi transformado em constelação.

No caminho de volta, Perseu passou pela Etiópia, e soube do monstro que iria destruir o país e da princesa entregue em sacrifício para aplacar a fúria de Posseidon. O monstro era Cetus, pai da Medusa em uma das versões do mito de origem dela , que Perseu derrotou simplesmente mostrando o rosto da medusa para a fera que se transformou em pedra. Assim Perseu salvou a princesa Andrômeda e se casou com ela. Sua prole daria origem depois aos imperadores da Pérsia.

O mito de Perseu continua com seu retorno para Sérifos, onde ele mata Polydectes livrando sua mãe . Posteriormente , ele funda a cidade de Micenas, próximo a Argos , que seria o epicentro da civlização Micênica, que daria origem posteriormente a Grécia clássica.

Seu avô Acrísio que governava Argos, ao descobrir sobre Perseu e seus feitos, se exilou na cidade Larissa, na região da tessália, ao norte de Atenas e Delfos. Um belo dia, jogos esportivos estavam sendo praticados na cidade em celebração de um funeral de uma pessoa importante. Acrísio foi assistir aos jogos, e um dos participantes como competidor era o próprio Perseu, no arremesso de disco. O disco de Perseu terminou atingindo e matando Acrísio , com a profecia se cumprindo.

Anatomia da constelação de Perseu

A constelação de Perseu não é conhecida pelo seu formato, nem por ter estrelas necessariamente brilhantes ou que se destaquem. É uma área do céu que fica entre outras constelações mais definidas, como Cassiopeia e Touro, e é a partir da identificação de uma dessas duas que você tem uma noção de onde olhar para encontrar Perseu.

Outras culturas associavam outras formas humanas a esta constelação: Os egípcios projetavam ali Khem, uma divindade da fertilidade e principio da masculinidade e virilidade. Os persas viam ali Mithra, a suprema divindade do Zoroastrismo, o princípio do bem e de tudo o que é positivo. Os chineses viam ali 4 asterismos diferentes, com o principal formado pela Alfa e Beta Persei sendo a representação de um general , yīng xiān zuò . Outras culturas imaginavam pouco naquela região, com as estrelas de Perseu frequentemente integrando outras constelações ou sendo ignoradas.

Se localiza no hemisfério norte celeste, sendo visível em todo o Brasil. Se estiver no hemisfério norte, procure pelo W formado pela constelação de Cassiopeia. A constelação de Perseu estará um pouco mais ao sul. Como Cassiopeia não é fácil de encontrar no Brasil, se estiver aqui procure pelo Y da constelação de Touro , Perseu estará mais ao norte, mais ou menos na mesma reta que o eixo desse Y. Isso significa que geralmente Perseu estará próxima ao solo, na direção norte. A melhor época pra observar é nos meses que vão de Setembro a janeiro. Veja abaixo as principais estrelas de Perseu:

Capulus 24°29′ de Touro
Algol beta (β)26°27′ de Touro
Misan kappa (κ)27°59′ de Touro
Miran Eta (η)28°59′ de Touro
Atiks Omicron (ο)01°26′ de Gêmeos
Mirfak Alpha (α)02°22′ de Gêmeos
Menkib Xi (ξ)05°15′ de Gêmeos

Capulus é um aglomerado estelar que se localiza no punho que segura a espada de Perseu, formado por mais de 60 estrelas , que pode ser melhor observado com um telescópio.

Algol , ou Caput Algol, a beta (β) Persei, é um sistema composto por 3 estrelas, que se localiza na cabeça da Medusa. Na antiguidade esse não era um fato conhecido, mas coincidentemente, a Medusa era uma das Górgonas, um grupo de 3 irmãs. Duas dessas estrelas são mais brilhantes , com uma sendo mais turva, e quando essa mais turva eclipsa uma das outras duas, isso produz um efeito de variação no brilho dessa estrela. Hiparco na antiguidade colocava Algol em uma constelação diferente, Caput Medusae, a cabeça da Medusa, mas a maioria dos autores sempre a consideraram como parte da Constelação de Perseu.

Em diversas culturas, a reputação dessa estrela era negativa . Mesmo na longínqua China, essa estrela era chamada de Cadáver, Tseih She. Na astrologia ocidental tradicional é considerada a mais maléfica dentre as estrelas. Seu nome vem do árabe Ra’s al Ghul, o demônio.

Misan, Kappa (κ) persei, é uma estrela que se localiza no braço esquerdo de Perseu, o que segura a cabeça da Medusa.

Miran, Eta (η) persei, é uma estrela que se localiza no braço direito de Perseu, o que segura a espada.

Atiks, Omicron (ο) persei, é uma estrela que se localiza na sandália esquerda de Perseu, uma sandália mágica que lhe permitia voar, dada por Hermes.

Mirfak, Alpha (α) persei, é a estrela mais brilhante de Perseu, ainda que não seja a mais importante astrologicamente , nem se comparando com Algol nesse quesito. Simboliza a costela direita de Perseu na lateral de seu abdomen. Tem vários nomes alternativos, o principal deles sendo Algenib.

Menkib, Xi (ξ) persei, se localiza na panturrilha esquerda de Perseu.

Significado Astrológico da Constelação de Perseu

Perseu como um todo é uma constelação percebida como poderosa, mas pouco benéfica. Representa pessoas egoístas e sem escrúpulos ao perseguir seus objetivos, inclinadas a mentira. Entretanto, somente uma estrela em Perseu realmente se destaca: Algol. Todas as outras são eclipsadas pelo mito da Medusa , e Perseu termina seus dias não passando de um coadjuvante, onde ela, a terrível Górgona, reina soberana, mesmo morta.

É interessante lembrar que Perseu da a cabeça da Medusa para a deusa Atena, que a coloca em seu escudo, o Aégis. E que Atena é representada como deusa da sabedoria, especialmente em função do seu papel na cidade de Atenas, onde era a padroeira, mas que no mundo grego ela era adorada como uma Deusa da Guerra. E nesse sentido, ela era uma figura terrível e Impiedosa. Para os Romanos , ela assumiu um aspecto de frieza e distanciamento na forma de Minerva, como deusa a presidir o direito romano, simbolizando a justiça. Atena usava a medusa como um amuleto para aterrorizar seus inimigos na guerra. Não a toa, os gregos confeccionavam amuletos com cabeças de medusa, para protege-los do mal.

A medusa é essa entidade terrível, monstruosa, e ao mesmo tempo infinitamente poderosa. E de certa forma ela e Atena são intimamente conectadas. Dessa forma fica mais fácil entender a natureza de Algol, se lembrarmos que a deusa Atena também está por trás dela.

Na astrologia Clássica, a reputação dessa estrela é maléfica, sendo associada a autoridade, tirania e abuso de poder. Também costuma ser lincada a mortes violentas , por decapitação ou enforcamento, ou outras formas de pena capital.

De certa forma ela simboliza o feminino sob a ótica do masculino amedrontado pela beleza e pela atração que o feminino exerce, apesar de sua fragilidade. E por esse motivo simboliza o ódio ao feminino que vemos expresso no estupro seguido da culpabilização da vítima do estupro, que além de estuprada, é desfigurada e banida. Essa estrela é antes de tudo um símbolo da opressão ao feminino, e de todas as formas de injustiça , todas as formas de abuso, que aqueles investidos de poder exercem contra os mais frágeis.

Quando Algol aparece no ascendente ou ligada a algum planeta por conjunção, a pessoa pode ter rompantes de comportamentos abusivos e tirânicos. Tende a uma postura dominante em todas as esferas da vida. Independente do gênero, sejam homens ou mulheres, vão assumir a impiedosa postura da deusa da guerra, e esmagarão aqueles que julgam seus inimigos. Por conta disso, aliás, essa estrela leva a pessoa a criar muitos inimigos. É particularmente violenta e destrutiva a conjunção de Marte com essa estrela. Se aparece no MC, a pessoa pode ter de conviver com patrões tiranos por exemplo. Se aparece no fundo do céu, essa tirania pode ser vivenciada a partir dos pais, e se aparece na cúspide da casa 7, através de inimigos declarados.

A Constelação de Cepheus

Cepheus e Cassiopeia fazem parte do ciclo mitológico envolvendo Perseu, Cetus e Andrômeda. Cepheu era o rei da Etiópia, e Cassiopeia sua esposa. Andrômeda era a filha deles. Localizam-se inteiramente no hemisfério norte do céu, sendo Cepheus impossível de se visualizar nas regiões sul e sudeste do Brasil. Cassiopeia é visível somente em regiões bem planas (no sul ou sudeste do brasil) porque suas estrelas aparecem na borda norte do céu numa determinada época do ano. Nas regiões norte e nordeste do Brasil as duas constelações são visíveis, especialmente Cassiopeia. No hemisfério norte ambas as constelações são plenamente visíveis e passam boa parte do tempo visualizáveis no céu de outono e inverno. Nas zonas próximas ao circulo polar ártico, Cepheus é visível o ano inteiro, com sua alfa já tendo sido a estrela polar a alguns milhares de anos atrás.

A importância astrológica dessas duas constelações, bem como de todas as localizadas nas regiões polares do céu é totalmente questionável, devido a distância que elas tem da eclíptica. Ainda assim elas possuem longitudes traçadas nos mapas celestes de forma que elas coincidem com certas regiões da eclíptica zodiacal. Assim, as estrelas de Cepheus se estendem (atualmente) entre os signos de Áries e Touro. Antigamente era entre Peixes e Áries, e de fato Cepheus fica paralelo a essas constelações, só que no extremo norte do céu.

Os mitos da constelação de Cepheus

Cepheus representa um rei entronizado e coroado, particularmente o rei da Etiópia, que devido a arrogância de sua esposa quase viu seu reino arruinado e foi forçado a entregar sua filha, Andrômeda em sacrifício para aplacar a fúria do deus Posseidon. Por esse motivo, o sentido astrológico dessa constelação é bom e ruim ao mesmo tempo. De um lado está associada a Júpiter, indicando a realeza e o poder, a autoridade, etc. Mas compartilha também de uma natureza saturnina, representando o Rei que precisa administrar uma crise em seu reino. O mito de Dámocles cai bem pra se falar a respeito de Cepheus:

“Dâmocles era um cortesão bastante bajulador na corte do tirano Dionísio, de Siracusa. Ele dizia que, como um grande homem de poder e autoridade, Dionísio era verdadeiramente afortunado.Dionísio ofereceu-se para trocar de lugar com ele por um dia, para que ele também pudesse sentir o gosto de toda esta sorte, sendo servido em ouro e prata, atendido por garotas de extraordinária beleza, e servido com as melhores comidas. No meio de todo o luxo, Dionísio ordenou que uma espada fosse pendurada sobre o pescoço de Dâmocles, presa apenas por um fio de rabo de cavalo. Ao ver a espada afiada suspensa diretamente sobre sua cabeça, perdeu o interesse pela excelente comida e pelas belas garotas e abdicou de seu posto, dizendo que não queria mais ser tão afortunado.

A espada de Dâmocles é uma alusão freqüentemente usada para remeter a este conto, representando a insegurança daqueles com grande poder, devido à possibilidade deste poder lhes ser tomado de repente ou, mais genericamente, a qualquer sentimento de danação iminente.”

Outra característica de Cepheus está relacionada a encenação. Isso pode estar relacionado ao fato de que em tempos mais antigos, quando essa constelação continha o polo norte celeste, ela era associada a um deus macaco egípcio conhecido como Kapi, um antecessor de Set. Macacos são conhecidos pelas “macaquices” e em inglês o verbo to ape significa encenar, imitar, o que chamamos em português macaquear. Uma das estrelas de Cepheus, Kurda, significa literalmente isso

Anatomia da Constelação de Cepheus

Cepheus é uma constelação circumpolar para o hemisfério norte sendo visível durante o ano inteiro , especialmente nas latitudes acima do trópico de câncer. No Brasil, abaixo da latitude 10° sul ela se torna invisível , e ao redor do equador é visível a depender da época do ano.

As principais estrelas de Cepheus são:

Nome da EstrelaLongitude zodiacal (01/01/2021)
Erakis (μ mu)09°59′ Áries
Alderamin (α alfa)13°03′ Áries
Kurdah (ξ xi)24°30′ Áries
Alphirk (β beta)05°50′ Touro
Alrai (γ gama)00°23′ Gêmeos

Erakis , chamada modernamente de “The garnet star”, ou em português “a estrela brinco”, fica na orelha direita de Cepheu. É chamada de Mu (μ) Cepheus Esse nome se deve a sua coloração que varia do rubi ao laranja, destoando da palidez das demais estrelas da constelação.

Alderamin, a estrela alfa da constelação alfa (α) Cepheus fica localizada no ombro direito de Cepheu. Chamava-se antigamente Al Dhira al Yamin, que significa o braço direito literalmente. A 20.000 anos atrás essa estrela foi a estrela polar, e a partir do longínquo ano de 7500 voltará a ser estrela polar.

Kurdah, xi (ξ) cepheus, fica localizada no peito de Cepheu. Um significado para o seu nome é “o macaco”.

Alphirk , beta (β) Cepheus, fica localizada no cinto de Cepheu. Antigamente, essa estrela e Alderamin em conjunto recebiam a alcunha de “o rebanho”. Alphirk é uma palavra árabe e significa literalmente o rebanho, mas aqui se referindo a um rebanho de animais selvagens, como antílopes por exemplo. Talvez “manada” seja a palavra mais apropriada.

Alrai, gama (γ) Cepheus, é uma estrela amarela localizada no joelho esquerdo de Cepheus. Vem do termo árabe alrai, que significa o pastor, de onde vem também o nome de outra constelação, Auriga, o pastor.

Deve-se notar que apesar das estrelas se estenderem por uma faixa zodiacal considerável (3 signos), trata-se de uma constelação relativamente pequena. Isso ocorre com outras constelações de regiões polares também. O significado de Cepheu é uma mistura de Júpiter e Saturno. Significa uma pessoa justa, mas que pode ser sujeita a julgamentos severos ao longo da vida. As estrelas que devem ser notadas são Alderamin e Alphirk principalmente, Alfa e Beta.

Marte em Touro ♉

Este é um posicionamento desfavorável pra Marte, porque Touro é um dos detrimentos deste planeta, e mais do que isso: é o signo oposto ao local onde Marte fica mais forte, em Escorpião. Mesmo assim Marte tem triplicidade participativa nos signos de terra, indicando que marte neste signo ainda tem um lado positivo a ser levado em consideração. O frio do elemento terra refreia a impulsividade e a agressividade de Marte. Sendo Touro um signo de Vênus e da Lua, o que acontece é que esse refreamento pode ser um pouco exagerado. Basicamente, Marte em Touro segura a raiva até o limite, funcionando como uma panela de pressão que contém dentro de si um volume muito maior que o normal, acelerando os processos de cozimento com a pressão gerada pelo vapor que não é liberado. O problema é que a panela de pressão tem um limite, e assim é todo e qualquer ser humano: é impossível segurar o ódio, o impulso destruidor, violento e sanguinário simbolizado por Marte indefinidamente. Em algum momento essa energia pesada concentrada vai ter que sair, e o ideal é que isso não ocorra através de uma explosão, pois os efeitos podem ser devastadores. Pessoas que tem Marte em touro precisam conscientemente exercitar a expressão saudável da energia marciana. O grande problema é que o impulso dos signos lunares (Touro e Câncer) é o de censurar tais sentimentos e energias, e estando Marte logo num desses signos, seria como se ele censurasse e tentasse anular a si mesmo. Existe uma aversão aos sentimentos feios, à raiva, à dor, à violência e portanto uma tendência a tentar sufocar a aparição dessas coisas na vida. Os signos lunares tentam “engolir” a raiva, tentam “engolir” os conflitos, sufocar a tensão, o elemento disruptivo. Tudo o que é visto como ameaça, com potencial deflagrador de instabilidade é imediatamente soterrado. É fácil controlar os nossos próprios impulsos, mas é impossível “deter” o mundo a nossa volta de forma indefinida. Uma hora as coisas que segurávamos fogem do controle e temos que lidar com uma série de problemas em simultâneo.

Apesar da vantagem de Marte em Touro não necessariamente significar violência, sua faceta repressora transforma-se em algo que acaba por ter um efeito que alimenta e atrai reações violentas. Quanto mais você tenta deter uma força, a tendência é que ela retorne cada vez com mais força. Muito mais fácil é lidar com os problemas quando eles são pequenos e surgem de lampejo, apesar da instabilidade , o problema em estágio inicial é mais simples e leve. Apesar de parecer nobre, evitar a violência tem o potencial de apenas gerar mais violência. Não se neutraliza um problema tentando negar sua existência: é por isso que Marte está tão forte em escorpião, neste signo, assim que o problema surge ele é interceptado e neutralizado, mas não é censurado ou renegado: é enfrentado. Outra questão do Marte taurino tem haver com o sentir, e nesse sentido esse marte, em mapas onde ele aparece em situações de conflito com outros planetas, pode simbolizar coisas como a violência física e a tortura. Como força de trabalho, marte em touro pode funcionar a contento porque a pessoa costuma ser produtiva, apesar de lenta. Não será das mais ágeis ou rápidas, mas será das mais consistentes, estáveis e terá um oportuno senso de continuidade.

Um momento de Marte passando pelo signo de Touro favorece ao trabalho lento e contínuo. Não é hora de fazer nada correndo, é hora de manter os pés firmes no chão e trabalhar dentro das possibilidades. Dois efeitos negativos podem ser percebidos: Situações antigas de contensão tendem a explodir agora, ficando impossível segurar os problemas e fazendo com que suas consequências sejam demolidoras. Ou então pode se dar início a processos de repressão agora, que não são adequados e que trariam consequências daninhas no futuro. É uma fase desfavorável para a maioria dos processos simbolizados por marte, como cirurgias, início em atividades físicas, início em novos empregos ou início de conflitos judiciais. Um conflito iniciado sob Marte em Touro pode estar fadado a não encontrar solução, devido a um sentimento no ar que é completamente contrário a formação de acordos, em função do aspecto teimoso e obstinado do signo de Touro.

Ingresso de Marte em Touro: 20/04/2013 11:48
Deixa Touro pra entrar em Gêmeos: 31/05/2013 10:38

Saturno em Touro

Há neste posicionamento um estado perene de teimosia e de
obstinação. A fixidez aqui é manifestada ao extremo porque tanto saturno quanto
o elemento terra confluem em direção a tendência da modalidade fixa a ser
persistente, obstinada, teimosa por assim dizer. Isso pode ou não ser algo exagerado
e fonte de problemas, a depender de cada mapa. Mas na maioria dos casos
trata-se de um trunfo porque garante à pessoa a força suficiente pra continuar,
se manter firme no que se propõe. Por outro lado pode ser a fonte de boa parte
dos seus eventuais sofrimentos, especialmente em relação a questão do apego.
Touro é o signo que rege os 5 sentidos, é um signo associado
profundamente as noções de conforto e prazer. A percepção instintiva do mundo
através dos 5 sentidos, na vivência prática, real, no toque, no desbravamento
visual, no ouvir, no cheirar, no provar. Saturno em touro pode indicar um pouco
de medo do que se pode descobrir ao explorar o mundo, havendo bastante
relutância por parte do nativo pra se abrir a novidades, a coisas inteiramente
desconhecidas. Isso pode estar relacionado a vivências traumáticas associadas a
sensações muito negativas vividas em algum momento. A pessoa pode ter visto
algo terrível, ouvido coisas perturbadoras, pode ter sofrido violência e
convivido com a dor, pode ter experimentado sensações que ela associou a
situações de sofrimento, perda ou tristeza. De modo que esse tipo de choque, na
pessoa que tem Saturno em Touro, fica um pouco mais difícil de superar. Dessa
forma ela fica mais conservadora, se resguarda mais da vida e teme explorar o
mundo. Nunca está muito disposta a ser surpreendida. Evidentemente, quanto mais
tenso estiver saturno no mapa, mais arraigadas serão essas defesas, essa
relutância de explorar e de experimentar a vida nos moldes taurinos.
Toda pessoa submetida a uma experiência de violência, ou que
experimentou sensações fortes associadas a alguma forma de sofrimento ou
vergonha tende a experimentar algum nível de trauma. Mas a pessoa de saturno em
touro tende a ser muito sensível a essas experiências, que levam muito tempo pra
serem diluídas e superadas. A questão do sentir é muito séria. É como se
houvesse uma sensibilidade especial pra fonte de dor, como se a dor tivesse o
poder de afetar a alma, infiltrando-se e transformando-se em tormento. A dor no
universo taurino não se resume somente a dor física ou psicológica. Existe
também a dor da perda, da falta, a dor da escassez,  e quem nasce com saturno em touro é igualmente
sensível a essas experiências, num nível que fica acima da média.
A dor da perda decorre da tendência taurina ao apego. Um
nativo de saturno em touro tende a sentir segurança somente quando cercado de
coisas que lhe são familiares. Há sempre uma grande facilidade pra ingressar e
se viciar em rotinas. Sempre o mesmo, sempre igual. As coisas estarão sempre
ali e isso gera na pessoa o sentido de realização. Mas a perda é um elemento
inevitável na vida. Perdemos as coisas porque elas envelhecem, ficam
ultrapassadas, quebram-se por mais que cuidemos delas. Às vezes as coisas são
simplesmente roubadas, ou simplesmente somem, e certas coisas morrem. Estamos todos
nós sujeitos a eventuais perdas, mas saturno em touro não deseja conviver com
isso e geralmente se estrutura pra evitar ao máximo o momento em que vai ter
que lidar com essas questões. Não importa como, o que importa pra saturno em
touro é o vazio que fica e esse vazio dói, e demora muito até ser preenchido
por algo novo. Introduzir um novo elemento na vida leva tempo e o apego ao que
se tinha antes pode atrapalhar o processo de se agregar a novidade na vida.
Às vezes o apego a certas sensações funciona também como uma
prisão. Com saturno em touro podemos encontrar diversos casos de vícios dos
mais diversos tipos, que são fundamentados no apego a alguma sensação boa que
se deseja repetir até o infinito. Essa prisão entretanto pode ser negativa e
ter o poder de consumir as energias da pessoa, que fica meio que devota ao
ritual de administrar a si mesma, constantemente, aquela sensação.  Quebrar um vício pra saturno em touro pode se
configurar num grande desafio, na medida em que esse vício estiver associado
puramente ao prazer.     
O apego pode se refletir negativamente na experiência do
ter. Saturno em todos os signos de terra pode conceder ao nativo certo grau de
mesquinhez. Em touro isso ocorre pelo medo da perda. Então a pessoa é orientada
a guardar. Bem naquele estilo do vovô que guardava cruzeiros debaixo do colchão
e se esqueceu deles la, até o ponto de eles já não valerem mais nada. Muitas
vezes ele não esqueceu, mas é que o medo de tirar o dinheiro e expô-lo ao risco
do roubo e da perda pode ter falado mais alto! Portanto, com saturno em touro
temos dois pontos: Facilidade para poupar e de manter um senso de equilíbrio
nas próprias finanças, associado ao medo de viver riscos, que pode condenar a
pessoa ao não crescimento financeiro.
Por fim, Touro fala também da experiência do plano físico,
fala do corpo em si. Pode haver em Saturno em Touro alguns problemas
relacionados ao corpo físico, sejam problemas reais ou problemas imaginários.
Um sentimento de descontentamento pode levar a uma constante luta por
aprimoramento nesta área. Eventualmente, o sentimento de inadequação pode
bloquear a atuação da pessoa em diversas áreas de sua vida, sendo importante
que a pessoa trabalhe ou pra adequar seu corpo ao que ela considera que seria
aceitável, ou pra adequar sua mente a ter mais tolerância com sua condição
física. Perceber que o ser vai além das aparências e do meramente tangível e que
as vezes a solução para o problema do corpo se consegue somente depois de
solucionados os problemas da alma.   
Épocas de Saturno em Touro são marcadas por um sentimento
coletivo de maior lentidão, especialmente porque touro se sucede a Áries. Neste
caso trata-se do fim da ansiedade ariana, do constante estado de pressa para um
estado coletivo de maior serenidade. Mas as coisas podem ficar bem lentas, ao
ponto de se arrastarem penosamente. É o tipo de momento que pode tornar quase
impossível a finalização de qualquer coisa: a energia representada por saturno
em touro impõe a constância e a manutenção e tem verdadeira fobia em relação a
tudo o que é extremista, radical ou finalizador, mesmo que aja necessidade
dessas coisas. Outra questão que fica muito forte é o sentimento coletivo da
necessidade de adequação do corpo, uma preocupação maior com as aparências, com
as vaidades ganhando muito terreno como numa preocupação maior em se estar mais
bem equipado  para o prazer. A regra é
perseguir a eternidade, e acaso as situações de perda se infiltrem, estas
tendem a causar mais comoção numa época de saturno taurino. E evidentemente que
o materialismo e o consumismo ganham muito espaço sendo exagerados e cultuados.
Como a última conjunção entre Saturno e Júpiter se deu no signo de Touro (aos
22° de touro no ano 2000), podemos considerar que as características daquele
momento reverberam e nos influenciam até hoje, com essas tendências mais
taurinas perdurando até a próxima conjunção de Saturno com Júpiter  Então
podemos continuar sentindo até o final desta década de agora traços dessa
energia mais taurina, sempre em segundo plano, já que o local por onde saturno
estará passando de fato é o que falará mais alto.  
  
Períodos em que Saturno ficou e em que Saturno vai ficar em
Touro:
1910-1913
17/05/1910 a 15/12/1910 & 20/01/1911 a 07/07/1912 &
30/11/1912 a 26/03/1913
1939-1942
05/07/1939 a 22/09/1939 & 20/03/1940 a 08/05/1942
1969-1972
29/04/1969 a 18/06/1971 & 10/01/1972 a 21/02/1972
1998-2001
09/06/1998 a 25/10/1998 & 28/02/1999 a 09/08/2000 &
16/10/2000 a 20/04/2001
2028-2030
12/04/2028 a 31/05/2030

Vênus em Touro ♉

Vênus está transitando o signo de Touro já a alguns dias. Em Touro Vênus não só está em domicílio como também está em júbilo, já que Vênus tem triplicidade nos signos de Terra. Touro é o melhor local do zodíaco pra se ter Vênus, e é onde ela vai expressar de forma mais plena as suas melhores características. Existe um forte magnestismo associado a esse posicionamento, associado a coisas boas. São pessoas que podem ter alguma sorte nos assuntos financeiros justamente por não serem ousadas nessa área, o que faz com que progridam de forma constante. É uma Vênus egocêntrica, que deseja gozar vida plenamente ,mas não é necessariamente egoísta. São capazes de se relacionar e de ser constantes nos seus afetos. Apesar das intensas necessidade sexuais, são pacientes e preferem mais a qualidade do que a quantidade, seja lá em qual forma de prazer. Amam gastronomia, moda e decoração e tendem a ter bom gosto nesses assuntos.

Touro é o signo que rege o lado confortável da vida. As coisas que sustentam e que nutrem, que dão segurança e principalmente as que estimulam o prazer dos sentidos, todos os sentidos. Touro é um signo de voz, o que beneficia ao canto e a música de forma geral, bem como a dança. É um signo que beneficia as artes visuais como a pintura e o design gráfico. As esculturas também são de Touro, onde o artista concede vida e forma a terra; É um signo associado a gastronomia, em função de sua associação com a Lua, planeta que tem exaltação neste signo. Os perfumes, os bons perfumes, são também da alçada do signo de Touro, governados por Vênus. Quase todas as formas de arte, talvez com exceção da literatura e da interpretação, tem alguma relação com Touro. Os assuntos venéreos também tem uma forte ligação com Touro, apesar de a cópula em si ser um tema associado ao domicílio masculino de Vênus, o signo de Libra. Mas é porque Touro simboliza o gozo do corpo, o gozo conseguido por todas as vias físicas, seja através da apreciação visual, auditiva, gustativa, olfativa, tátil ou sexual.

Então a passagem da Vênus por touro promove uma onde de conforto e deleite. Vênus em Touro favorece os relacionamentos afetivos, especialmente aqueles que sejam regados a muito contato físico, carinho e sedução. Em Touro ou o amor acontece de forma fácil e confortável ou ele simplesmente não acontece. Este não é o signo dos dramas e ele jamais moverá céus e terra por quem quer que seja. O conforto e o bem estar vem em primeiro lugar, trata-se de um amor pragmático, consistente e acima de tudo, presente, real, cheio de toque. Neste momento, nada de muito complicado ou diáfano tende a florescer. Tente olhar mais pra quem mora ao lado, pra quem está ao seu alcance: Com Vênus em Touro o amor e o prazer são mais fáceis do que pode parecer a primeira vista. É uma época boa para comprar roupas ou artigos de decoração, e favorece atividades ligadas as artes (principalmente plásticas e ou visuais), a moda, a gastronomia e ao entretenimento. É interessante para arriscar em festas ou encontros e conhecer novas pessoas. As relações encontram um período auspicioso para o seu início.

Ingresso de Vênus em Touro: 06/06/2017

Vênus deixa o signo de Touro pra entrar em Gêmeos: 04/07/2017

Page 1 of 3

Desenvolvido em WordPress & Tema por Anders Norén