A constelação de Cetus

Cetus é uma grande constelação do hemisfério sul do céu sendo adjacente as constelações de Peixes e Áries. Aliás, durante um dia do ano (27 de março) o sol, astronomicamente, sai dos limites da constelação de Peixes e faz uma rápida passagem pela constelação de Cetus. Daqui a algumas centenas de anos o ponto vernal , que é o dia do equinócio da primavera, vai coincidir com essa região. Essa curiosidade é interessante pra mostrar a arbitrariedade das constelações, porque são um construto humano, uma forma de organização do céu que é arbitrária.

A constelação de Eridanus faz o limite sul de Cetus. Apesar de grande,Cetus não tem estrelas muito brilhantes, destacando-se somente 4 estrelas. Dessas, 2 de razoável importância pra astrologia: Deneb Kaitos e Menkar.

A palavra Cetus está diretamente relacionada a palavra Cetácea, a ordem de mamíferos a qual pertencem as baleias. Cetus é portanto uma Baleia, e seu nome em outros idiomas faz referência direta a isso.

Mitologia da Constelação de Cetus

A ideia original dos gregos é atribuir esta constelação ao terrível monstro marinho que foi enviado por Posseidon pra destruir a Etiópia, e que exigia em sacrifício a bela Andrômeda pra que o reino fosse poupado. Esse monstro foi destruído pelo herói Perseus, cuja constelação fica paralela a cetus, mas no hemisfério norte, do outro lado da constelação de Áries. Na verdade o casal Perseu e Andrômeda estão lado a lado na região oposta a de Cetus. O monstro foi morto ao olhar a cabeça da medusa, portada por Perseu, o que fez com que ele imediatamente se transformasse em pedra. Por esse e por outros motivos é que a natureza básica dessa constelação a associa ao planeta saturno.

Em outras culturas esse ideal de monstro marinho teve outras acepções. Uma das mais importantes é a divindade mesopotâmica, a deusa oceânica Tiamat, que era representada na forma de um monstro marinho ou dragão. Tiamat seria responsável pela criação de tudo o que existe, sendo uma entidade absoluta, doadora de vida. No livro de Jó a descrição feita sobre o leviatã o faz se assemelhar muito a ideia contida na mitologia grega, do monstro enviado por Posseidon.

Outra lenda aparece na bíblia e se refere a baleia que engole o profeta Jonas. A baleia dessa passagem bíblica é um cachalote, o maior animal carnívoro que existe no mundo, e que na época de Jonas habitava e era comum na região do Mediterrâneo (hoje não mais). A história não é completamente absurda, porque se sabe por exemplo que essas baleias carregam seus filhotes feridos na boca.

O cachalote também é personagem central de uma lenda contemporânea, Moby Dick. Curiosamente, a obra foi lançada em 1851. Neste ano os Planetas Urano e Plutão estavam passando pelo final do signo de Áries e formaram conjunção ao grau correspondente ao da estrela Mira , uma das mais importantes da constelação de Cetus, que ficava nesta época aos 29° de Áries. Saturno por sua vez passava também pelo terceiro decanato de Áries e formava conjunção com Baten Kaitos, outra estrela bem importante desta constelação. Cito esses planetas lentos por se tratar de uma manifestação cultural, de importância coletiva, e que carrega simbolismos paralelos ao das estrelas fixas tocadas pelos geracionais da época.

O leviatã também aparece na bíblia, sobretudo no apocalipse e foi uma imagem recorrente até pouco tempo atrás, associado pelos pescadores a monstros marinhos causadores de acidentes e naufrágios. O leviatã é encarado também como um demônio, um dos príncipes do inferno.

Entre os Vikings e celtas existiam lendas relacionadas a criatura conhecida como Kraken, representada não como uma baleia, mas como um polvo gigantesco. Acredita-se que a lenda do Kraken possa ser verídica a julgar pelo tamanho de algumas espécias de lulas colossais que ja foram encontradas. Essas lulas tem como predador natural justamente o cachalote, e diversos exemplares deste tipo de baleia são encontrados com ferimentos graves advindo das lutas contra esses gigantes. As lulas colossais podem chegar a impressionantes 15 metros.

O escritor de ficção H. P. Lovecraft traz uma lenda contemporânea muito interessante e que pode ser associada diretamente a temática desta constelação: Cthulhu, uma criatura marinha gigantesca, monstruosa, horrenda e causadora do mais profundo horror e desespero , manifestação da maldade , do ódio e da corrupção mais hedionda que possa ser concebida. Na realidade, Cthulhu seria uma entidade alienígena que vivia nas profundezas oceânicas da terra, adormecida antes mesmo de haver vida no planeta. A ideia do despertar de Cthulhu seria a ideia do despertar do mal, do fim e da destruição, e no universo criado por Lovecraft havia inclusive um culto empenhado em trazer a criatura a vida. Um filme recente foi muito inspirado nesta história, O monstro de Cloverfield, de 2008.

Índios amazônicos projetam nessa constelação um jaguar, que é associado ao deus das tempestades, furacões e calamidades naturais de uma maneira geral.

Anatomia da Constelação de Cetus

Cetus é a 4° maior constelação do céu, localizada no hemisfério sul, e ocupando uma área de mais de 1000 graus quadrados. Ela se localiza numa região do céu que é chamada de mar, porque é repleta de constelações cujas representações são criaturas marinhas ou relacionadas a água: Peixes, aquário, capricórnio, cetus, eridanus, Peixe austral, cisne, etc.

Veja abaixo uma lista com as estrelas de Cetus que são nomeadas:

Deneb Kaitos Beta (β)02°52′ de Áries
Baten Kaitos Zeta (ζ)22°14′ de Áries
Mira Omicron (ο) Ceti01°46′ de Touro
Kaffaljidhma Gamma (γ)09°43′ de Touro
Menkar Alpha (α)14°36′ de Touro
Posição das estrelas calculadas para 01/01/2021

Deneb Kaitos, Beta (β) Ceti, é uma estrela localizada na cauda do monstro marinho. O nome da estrela vem do árabe, Al Dhanab al Kaitos al Janubiyy, que significa a parte sul da cauda da baleia. Não é uma estrela muito brilhante, mas é a que mais se destaca na constelação, sendo hoje mais brilhante do que a alfa.

Baten Kaitos, Zeta (ζ) Ceti, é uma estrela amarela localizada na barriga de Cetus. O nome vem do árabe Al Batn al Kaitos, que significa a barriga da baleia.

Mira, Omicron (ο) Ceti, é uma estrela dupla e oscilante, cujo brilho varia ao longo do ano na madida em que seu sistema binários se movimenta. Especialmente quando observada no telescópio, exibi cores fortes que lembra joias. O nome vem do latim mirus, que significa maravilhoso. Fica localizada no pescoço de Cetus.

Kaffaljidhma, Gamma (γ) Ceti, é uma estrela localizada no olho esquerdo de Cetus. O nome é árabe, Al Kaff al Jidhmah, e na realidade serve para se referir ao conjunto de estrelas que se localiza na Cabeça de Cetus. Significa “a mão curta”.

Menkar, Alpha (α) Ceti, é uma estrela laranja localizada na boca aberta de Cetus. Também chamada de Minhar, vem do árabe Al Minhar, e significa nariz. É a estrela mais importante e mais conhecida devido a sua posição ser a mais norte da constelação. No dia 21 de dezembro, solstício de verão do sul e inverno no norte, ela aparece culminando logo após o por do sol.

Significado Astrológico de Cetus

De modo geral, Cetus é uma constelação maléfica, que simboliza medos irracionais e dificuldades. Sua natureza é semelhante a Saturno e assim se manifestam todas as suas estrelas. Cetus é quase como uma lição , pra apendermos que por maior que pareçam os problemas, não é uma atitude temerosa e a paralisia que vai nos ajudar a vence-los. As pessoas que nascem sob os auspícios dessa constelação são dotadas de disciplina e cautela, talvez em excesso, e podem precisar enfrentar sentimentos melancólicos e uma tendência a paralisar diante das dificuldades.

Deneb kaitos tem natureza saturnina, está relacionada a autodestruição em diversos níveis e a melancolia. As pessoas afetadas por essa estrela podem se mostrar mais cautelosas e temerosas em relação a vida, podendo apresentar diversas formas de inibições, a depender do planeta que faz o contato.

Baten Kaitos é outra estrela não muito positiva, numa aparente alusão a história de Jonas que foi engolido e transportado pela baleia a sua revelia, essa estrela pode sugerir mudanças na vida que estão completamente fora do controle do nativo, especialmente mudanças geográficas. Também tem natureza de saturno indicando cautela e algumas inibições, mas não tanto quanto a estrela anterior.

Mira tem a natureza de Jupiter e saturno indicando perseverança, cautela e capacidade de solucionar grandes problemas com esforço e industriosidade. A pessoa tende a ser severa e rigorosa e pode ser autoritária. Por outro lado, pode indicar melancolia e grandes decepções e fracassos na vida em outro extremo. Hitler tinha o sol em conjunção com essa estrela.

Menkar é a boca do monstro. De natureza saturnina, indica perigo de atrair inimigos por motivos pequenos, limitações e impedimentos associados ao planeta que toca a estrela e preocupações ligadas a vivência daqueles temas. Essa é a estrela mais importante e mais brilhante da constelação, a estrela alfa. Ela pode sugerir temores, medos exagerados e um excesso de cautela que limita a pessoa .

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.