A constelação de Pegasus

Também chamada de Hippos pelos gregos, a constelação de Pegasus é associada ao cavalo alado da mitologia grega, filho de Medusa e Posseidon. É uma constelação localizada no hemisfério norte do céu, próxima a Andrômeda, Aquário, Peixes, Cavalo Menor, Delphinos, Lacerta e vulpecula.

Sua principal característica é um asterismo bem definido que acaba se destacando pelo fato de a maioria das constelações ao redor de Pegasus serem formadas por estrelas pouco brilhantes. Esse asterismo é formado pelas 3 principais estrelas de Pegasus e mais a Alfa de Andrômeda, que já apareceu no passado integrando Pegasus. Esse asterismo tem o formato de um quadrado e é muito útil para localizar as constelações de Andrômeda, Peixes e Aquário.

Neste artigo também abordaremos a constelação de Cavalo menor, ou Equuleus, que é uma pequena constelação adjacente a Pegasus, que não tem estrelas muito brilhantes sendo bem difícil de se encontrar a olho nu.

Mitos sobre a Constelação de Pegasus

De acordo com um dos mitos sobre a Medusa e que relatam o nascimento de Pegasus, ele é o fruto do estupro cometido por Posseidon contra Medusa. Ela ainda era humana quando isso aconteceu, e foi punida pela deusa Atena pela transgressão de entrar no templo da deusa não sendo mais uma virgem. Quando Perseu decapitou Medusa, do sangue derramado em contato com o solo emergiu Pegasus, já adulto.

Uma das características mais emblemáticas de Pegasus , além de suas asas, era o fato de que todo o solo que ele tocava se fertilizava. A região onde Pegasus nasceu era inóspita, mas assim que ele tocou aquele solo, a região transformou-se num bosque primaveril. Isso talvez se deva ao fato de que a primeira aparição matutina de Pegasus ocorria durante os primeiros dias da primavera no hemisfério norte.

Pegasus foi eventualmente domado pelo herói da cidade de Corinto, Belerofonte, com ajuda de Atena e Posseidon, seu pai. Na verdade, Belerofonte e Pegasus eram irmãos de acordo com algumas versões do mito de nascimento de Pegasus. Cavalgando Pegasus, Belerofonte conseguiu matar a monstruosidade conhecida como Quimera, transformando-se em herói.

Com o tempo e depois de várias outras proezas, Belerofonte começou a se tornar arrogante, e teve a ideia de voar com Pegasus até o monte Olimpo. Ofendido com a hubris do heróis, Zeus envia uma vespa para picar Pegasus e assim derrubar Belorofonte. A deusa Atena porém considerou que a morte não era punição suficiente para o transgressor, fazendo com que o chão fique macio e amortecendo o impacto, que não mata, mas o aleija. Belerofonte terminou seus dias mendigo e aleijado, procurando por Pegasus.

Zeus guardou Pegasus em seu estábulo e lhe conferiu a responsabilidade de carregar os seus raios. Finalmente ele foi transformado em constelação como forma de agradecimento de Zeus pelo seu serviço.

Mitos sobre a constelação de cavalo menor

A constelação do Cavalo menor costuma ser associada ao cavalo mitológico Celeris, filho ou irmão de Pegasus. Este cavalo foi dado de presente pelo deus Mercúrio ao Herói Castor, um dos Dióscoros. Ele também é referido como o cavalo oferecido por Posseidon a cidade de Atenas durante a disputa pela soberania sobre a cidade, que foi vencida pela deusa Atena.

Anatomia de Pegasus e Cavalo Menor

Pegasus é a sétima maior constelação do céu, com 1121 graus quadrados de área. Apresenta um asterismos em forma de quadrado , o que a torna fácil de se localizar. Ela é visível em todo o território brasileiro, se localizando na parte mais ao norte do céu. O Melhor momento pra observa-la é quando o signo de Peixes ocupa o meio do céu. Isso ocorre em dezembro assim que o sol se põe. A melhor época para observação é a primavera do hemisfério sul, outono do hemisfério norte. Em setembro ela ascende após o por do sol, e se torna mais visível na medida em que se aproxima a meia-noite.

A constelação de Equuleus, ou Cavalo menor, é a segunda menor constelação do céu, e tem estrelas pouco brilhantes. Ela está sempre à frente de Pegasus.

Abaixo as estrelas que são nomeadas nas constelações de Equuleus e Pegasus:

Kitalpha Alpha (α) Equulei23°24′ de Aquário
Enif Epsilon (ε) Pegasi02°10′ de Peixes
Biham theta (θ) Pegasi07°07′ de Peixes
Jih kappa (κ) Pegasi 09°13′ de Peixes
Homam zeta (ζ) Pegasi16°26′ de Peixes
Sadalpheretz lambda (λ) Pegasi23°21′ de Peixes
Markab alpha (α) Pegasi23°46′ de Peixes
Sadalbari mu (μ) Pegasi24°40′ de Peixes
Matar eta (η) Pegasi26°00′ de Peixes
Scheat beta (β) Pegasi29°39′ de Peixes
Kerb tau (τ) Pegasi01°20′ de Áries
Algenib gamma (γ) Pegasi09°26′ de Áries
Posição calculada para 01/01/2021

Kitalpha, Alpha (α) Equulei, É a principal estrela da constelação do Cavalo menor. Não se trata de uma estrela muito brilhante, mas é a mais brilhante daquela constelação. O nome vem do árabe Al Kitah al Faras, e significa “parte do cavalo”.

Enif, Epsilon (ε) Pegasi, é uma estrela localizada no focinho de Pegasus. O nome vem do árabe, Al Anf , que significa “o nariz”.

Biham, theta (θ) Pegasi,é uma estrela localizada na cabeça de Pegasus . O nome tem origem persa e signfica afortunada (dentre os cavalos).

Jih, kappa (κ) Pegasi,é uma estrela localizada ao norte da constelação de Pegasus, marcando um dos seus cascos.

Homam, zeta (ζ) Pegasi, é uma estrela localizada no pescoço de Pegasus. O nome vem do árabe Sa’d al Humam, e significa a afortunada estrela do herói, talvez porque era no pescoço que Belorofonte se agarrava enquanto montava Pegasus, que não aceitava rédeas.

Sadalpheretz, lambda (λ) Pegasi, é uma estrela localizada no peito de Pegasus, bem próxima de Sadalbari. Significa “sorte do cavalo”.

Markab, alpha (α) Pegasi, é uma estrela localizada no lombo de Pegasus, onde ficaria a sela de montaria. A palavra Markab é árabe e significa sela. Essa é a estrela mais brilhante da constelação.

Sadalbari, mu (μ) Pegasi, é uma estrela localizada no peito de Pegasus. O nome vem do árabe Sa’d al Bari, “a boa sorte do extraordinário”.

Matar, eta (η) Pegasi, é uma estrela localizada no joelho direito de Pegasus. O nome vem do árabe , Al Sad al Matar, e significa “a chuva afortunada”.

Scheat, beta (β) Pegasi, é uma estrela localizada na perna direita de Pegasus, no que seria o “ombro” do cavalo. É a segunda estrela mais brilhante da constelação, e se localiza na parte do corpo dos cavalos que é a sua maior força e ao mesmo tempo ponto fraco. Outro nome para esta estrela é Menkib. Scheat é um nome derivado do árabe, Al Sā’id, e significa Ombro.

Kerb, tau (τ) Pegasi, é uma estrela localizada no abdomen de Pegasus.

Algenib, gamma (γ) Pegasi, é uma estrela localizada na ponta das asas de Pegasus. O nome pode derivar de Al Janah, “a asa”. Integra o asterismos quadrilátero de Pegasus assim como Markab e Scheat.

Significado astrológico de Pegasus e Equuleus

A primeira coisas que precisamos observar sobre Pegasus, é que no planisfério celeste, ela aparece de ponta-cabeça. Isso é uma alusão ao fato de que belerofonte é derrubado da constelação. Pegasus é fruto da união entre Medusa, que personifica a absoluta frieza e racionalidade de Atena , e Posseidon que representa as emoções arrebatadas e caóticas simbolizadas pelo mar e as tempestades.

As estrelas de Pegasus simbolizam ambição e engenhosidade para lidar com desafios, temeridade, ousadia e ao mesmo tempo arrogância e humilhações decorrentes dela. A vida de quem tem essas estrelas em evidência pode ser comparada a uma montanha russa com vitórias legendárias seguidas de quedas brutais, e com motivações estúpidas e vergonhosas.

Belerofonte e Pegasus são um dos casos mais emblemáticos da mitologia para ilustrar o conceito grego de Húbris, que é a infração cometida por alguém que ignora os limites entre quem se é e até onde se pode ir, e termina cometendo um excesso. Quem comete húbris o faz ao ir em direção a algo que não está em seu destino ou que não é de sua alçada, e termina sendo punido pelos deuses pela arrogância. A pessoa é forçada, geralmente por uma humilhação, a retroceder para dentro de seus limites. Geralmente ela não perde nada que ela de fato possuía, mas sim aquilo que não era de sua alçada.

É o que acontece com Belerofonte, que não entendia que ele em si mesmo não possuía poder algum: O poder quem possuía o tempo todo era Pegasus. Ao atingir o cúmulo da arrogância, que é um mortal ousar ascender até o Olimpo sem ser convidado pelos deuses, ele foi punido exemplarmente, e Pegasus foi viver no Olimpo.

Estrelas mais importantes de Pegasus e seus efeitos

As estrelas mais importantes em Pegasus são Markab, Scheat e Algenib: alfa, beta e gamma Pegasi. São as três estrelas de Pegasus que integram o asterismo em quadrado, com a outra sendo a alfa de Andrômeda.

Markab expressa de maneira típica os significados de Pegasus: Grande ambição e capacidade de lidar com crises terríveis, e ao mesmo tempo uma arrogância que pode levar a queda da pessoa. Essa queda porém não precisa ser definitiva, e deve ser encarada pela pessoa como uma oportunidade de aprender sobre humildade.

Scheat é aparentemente a de natureza mais maléfica: A impetuosidade da pessoa pode colocar ela em risco não apenas de humilhações, mas de situações que ameaçam sua vida. Podem haver comportamentos de auto-sabotagem pronunciados. É uma estrela associada ao suicídio ou a comportamentos que dilapidam a saúde da pessoa e a expõe a riscos desnecessários.

Algenib é a que tende a produzir os autos e baixos mais expressivos. Afinal, ela marca justamente as asas de Pegasus. Indica sucesso nos esportes ou em carreiras marciais , e ao mesmo tempo a possibilidade da pessoa ser resumida em alguns momentos a depender da generosidade de amigos e familiares, para ascender novamente logo depois.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.