A constelação de Peixes

A constelação de Peixes, oficialmente Constelação de Pisces, é uma constelação zodiacal que se localiza na eclíptica, o caminho do trânsito anual do sol. É o local onde se localiza atualmente o ponto vernal, que se deslocou de Áries para Peixes no início do primeiro milênio após Cristo , e que tende a se deslocar para Aquário nos próximos séculos.

Essa constelação foi concebida na Babilônia , de onde se irradiou para Pérsia, Egito, Grécia e India com esta mesma representação: Um par de Peixes, nadando em direções opostas e unidos por uma corda.

Mitos da Constelação de Peixes

O principal mito associado a esta constelação está relacionado a Guerra dos deuses contra os titãs. Os titãs foram derrotadas e banidos para o submundo ao fim da Titanomaquia, que é como ficou conhecido este conflito. Depois de derrotada, Gaia copulou com o próprio tártaro (o inferno grego) e dessa união nasceu o gigante tifão , a mais terrível e tenebrosa das criaturas, que ela enviou para a superfície para vingar os titãs e destruir os deuses olímpicos.

O primeiro deus a ver o Tifão foi Pã, o deus dos bosques selvagens e do pânico, que se transformou numa cabra aquática para conseguir fugir da criatura. Esse fragmento de mito é um dos que explicam a constelação de Capricórnio. Depois foi a vez de Afrodite e Eros (ou Cupido),que se banhavam em um rio. Eles começaram a fugir nadando e se transformaram em Peixes para conseguir nadar mais velozmente. Por conta do caos da fuga, ataram-se com uma corda para que não terminassem se separando. E assim é explicada essa constelação.

A própria Afrodite pode ser considerada uma titã quando se leva em conta um dos seus mitos de nascimento. Quando Cronus castrou Urano, que copulava Gaia incessantemente , suas últimas gotas de semen caíram sobre o mar, o que explica a espuma formada pelas ondas. Da espuma fecundada nasceu Afrodite, a deusa que personifica o amor e o sexo. Porém, uma outra versão descreve Afrodite como filha de Zeus com Dione , existindo inclusive diferentes denominações para a deusa a depender da Origem: Afrodite Urânia, fruto da castração de Urano, e uma deusa do amor celestial, elevado, como o amor fruto da amizade ou das relações de sangue. E Afrodite Pandemos, o amor comum, do povo, mais associado ao sexo e a luxúria.

Afrodite , junto de Apolo , era uma deusa da beleza. Mas enquanto apolo simbolizava uma beleza física mais associada ao vigor, a saúde e a virilidade dos homens, Afrodite estava ligada a uma beleza mais estética relacionada a roupas , perfumes, maquiagens , flores, decorações e ao corpo feminino. Seu culto é na verdade um sincretismo de outros cultos praticados na Turquia, como o culto de Ishtar e Astarte, que eram deusas da Mesopotâmia que tinham os mesmos atributos e rituais de adoração muito similares. Nesse sentido, Afrodite é a mais antiga, porque essa linha de sucessivas sincretizações remonta à deusa Inanna da Suméria, uma das primeiras civilizações conhecidas.

Apesar de casada com Hefesto, deus que personificava o trabalho nas cidades, das invenções , da metalurgia e do próprio fogo, o coração de Afrodite ardia verdadeiramente por Ares, o impetuoso e viril deus da guerra. Com ele Afrodite teve vários filhos, dentre eles Eros, ou na versão romana, Cupido. Eros é assim a personificação desse amor-tesão, carnal e incontrolável, e seu atributo era um arco com o qual ele disparava setas responsáveis por deixar suas vítimas apaixonadas. Era o filho preferido de Afrodite e seu companheiro inseparável, o que levou a um problema porque ele não crescia. Quando Afrodite começou a lhe dar irmãs, Eros cresceu e se separou da mãe, e terminou se casando com a mortal Psiquê.

O casamento de Eros e Psiquê tinha uma condição muito simples: Ela jamais poderia ver o rosto do marido, mas um dia ela não suportou a curiosidade e o espiou enquanto ele dormia, que acordou e se separou dela. Depois disso Psiquê ficou vagando sozinha pelo mundo até a sua morte. Eros então foi até o tártaro interceder por sua amada e a resgatou, dessa vez a levando para viver com ele no Olimpo, onde ela também se tornou imortal ao consumir a Ambrosia.

 “Iēsous Christos Theou Yios Sōtēr”, que significa “Jesus Cristo, Filho de Deus, Salvador” (em grego antigo, Ἰησοῦς Χριστός, Θεοῦ ͑Υιός, Σωτήρ)

Jesus Cristo era simbolizado por um Peixe em algumas representações, e ele é uma figura que pode muito bem ser associada com essa constelação. Inclusive a Era de Peixes, descrita como era Cristã, especialmente se você gostar de ver as coisas sob a ótica eurocêntrica , é explicada em função da mudança do ponto vernal para peixes ainda durante a época do império romano e que iniciaria um período de expansão do cristianismo, que foi marcante porém, somente a partir do período das grandes navegações.

A verdade é que de fato, muitos dos valores mais nobres do cristianismo: piedade, caridade, compaixão, sacrifício e doação, são valores associáveis ao eixo Peixes-Virgem, sobretudo a Peixes enquanto signo. E várias passagens do novo testamento fazem alusão a Peixes e coisas relacionadas: O batismo nas águas do rio Jordão, o momento em que Jesus caminha sobre as águas para testar a fé dos seus discípulos, quando ele os ensina a pescar, quando realiza o milagre da multiplicação de pães e peixes … Sem falar na contraparte de Cristo, sua mãe, a Virgem, que se localiza na constelação oposta.

Entretanto, a Constelação mostra Peixes nadando em direções diferentes. Um deles nada na direção Norte, de maneira vertical indo de encontro ao ventre de Andrômeda, num movimento de ascensão, sendo este associado a Cristo. O outro Peixe em sentido horizontal, na direção leste, na direção da constelação de Aquário. Esse é associado ao “anticristo”.

Anatomia da Constelação de Peixes

Peixes é a 14° constelação em termos de área, com cerca de 889 graus quadrados. É uma constelação que pode ser vista em quase todas as partes do planeta, com exceção da Antártida onde ela nunca ascende, por ser uma constelação localizada atualmente no hemisfério norte do céu. Quase todas as estrelas de Peixes correspondem ao signo de Áries atualmente.

As estrelas de Peixes não são muito brilhantes e não formam asterismos muito claros. As constelações zodiacais vizinhas, Áries e Aquário, também não são tão fáceis de encontrar, então não servem de referência. Se quiser observar Peixes, é mais fácil primeiro encontrar a constelação de Pegasus que forma um asterismo em forma de quadrado muito bem definido. A constelação de Peixes está tanto a oeste quanto a sul dessa constelação, que na realidade envolve boa parte da constelação de Pegasus. Peixes também tem poucas estrelas com nome próprio, e apenas 2 com importância astrológica.

Fumalsamakah Beta (β)18°52′ de Peixes
Al pherg Eta (η)27°06′ de Áries
Torcularis Septentrionalis Omicron (o)28°02′ de Áries
Alrisha Alpha (α)29°40′ de Áries

Fumalsamakah, Beta (β) Piscium, é a estrela localizada no Peixe que se move na direção Leste. O nome é árabe, Fum al Samakah, que significa “boca do peixes”.

Torcularis Septentrionalis, Omicron (o) Piscium é uma estrela localizada na corda ligada ao peixe do norte. Torcularis significa “cheio” em latim, e era usado também pra se referir a Adegas de vinhos.

Al pherg, Eta (η) Piscium, é a estrela mais brilhante da constelação de Peixes, não sendo ela muito brilhante porém, quando comparada a estrelas de outras constelações. Ela está localizada na cauda do Peixe que nada na direção norte. Seu nome babilônico era Kullat Nunu, que significa corda do peixe.

Alrisha, Alpha (α) Piscium, é a estrela alfa de Peixes, localizada no objeto que une as duas cordas dos Peixes da constelação. É ligeiramente menos brilhante que Al pherg, mas ambas são bem difíceis de se observar, a não ser em noites particularmente secas e escuras, sem poluição luminosa. O nome vem do árabe Al Risha, que significa corda.

Significado astrológico da Constelação de Peixes

As estrelas da constelação de Peixes (e não o signo) tem a natureza de Júpiter e Saturno. Significam vitórias as custas de dificuldades e sacrifícios. É uma mistura do terror causado por Tifão (Saturno) e o sucesso da fuga empreendida por Afrodite e Eros. Representa particularmente bem a jornada de Cristo, que é julgado e crucificado antes de ascender até o céu na mitologia Cristã.

Somente Al Pherg e Alrisha tem destaque na tradição astrológica, e ambas estão próximas longitudinalmente, atualmente entre 27° e 29° de Áries. Manilus diz ainda que as pessoas que são marcadas por essas estrelas serão amantes do oceano, e podem ter um talento natural para a navegação.

1 opinião sobre “A constelação de Peixes”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.