Sol em Peixes com Ascendente em Câncer

Peixes e Câncer são dois signos de água , um governando os
planos espirituais e oníricos e o outro as relações familiares, o passado e a
expressão emocional mais básica. Assim a pessoa que nasce com esta combinação é
extremamente sensível e tende a desenvolver um altíssimo grau de inteligência e
maturidade emocional bem cedo na vida. Basicamente o signo de Câncer ascendente
confere a este pisciano uma característica mais defensiva e uma abordagem mais
objetiva e centrada na vida. Isso ajuda a tirar um pouco do elemento de
dispersão tão típico de peixes , apesar de ter o potencial de ampliar
vulnerabilidades e gerar um comportamento um tanto melindroso. 
Quem nasce com esta combinação vai se expressar com muita
segurança, justamente porque sua sensibilidade fica mais afiada e bem
direcionada pelo ascendente canceriano que confere a personalidade base,
estrutura e resistência. Isso não significa, de modo algum, autoritarismo ou
agressividade, mas uma liderança em um estilo maternal e dominador, porém
delicado.  A pessoa tende a ser
extremamente generosa e protetora com relação aqueles que ama. Isso acontece
porque esses dois signos são signos de Júpiter, já que o grande benéfico tem
domicílio em Peixes e exaltação em Câncer. Por conta disso, a forma da pessoa
se expandir, sua generosidade e a forma como ela tenta proteger e beneficiar as
pessoas é muito melhor explicada pela posição de Júpiter no mapa, que neste
caso é determinante.
O sol em peixes neste caso é o nono signo em relação ao
ascendente o que amplia as características jupiterianas da personalidade
tornando a pessoa alguém muito curioso, com uma imensa sede de conhecimento e
uma atitude geralmente positiva e otimista diante da vida. Pode haver algum
elemento forte de religiosidade ou espiritualidade, e mesmo com a pessoa sendo
cética, há algum tipo de integridade interior e o desenvolvimento de uma
filosofia pessoal que guia a pessoa mesmo nos momentos mais escuros da vida.

Um dos maiores problemas para quem nasce com esta combinação
pode ser uma irresistível tendência a intervir na vida de pessoas que enfrentam
problemas ou qualquer tipo de sofrimento. Mesmo que essa atitude seja generosa
e altruísta, há uma característica de se desconsiderar a capacidade do outro de
enfrentar seu desafio ou de lidar com sua vida sozinho. O intervencionismo pode
ser extremamente invasivo e se configurar como uma violação em alguns casos.
Basicamente se trata do exagero da generosidade e do protecionismo.
Especialmente porque pode ser que ao se dedicar tanto aos outros ou ao mundo, a
pessoa esteja apenas fugindo dos seus próprios problemas.  
Elis Regina




Elis Regina Carvalho Costa (Porto Alegre, 17 de março de 1945  — São Paulo, 19 de janeiro de 1982) foi uma cantora brasileira. Conhecida por sua presença de palco, sua voz e sua personalidade. Com os sucessos de Falso Brilhante e Transversal do Tempo, ela inovou os espetáculos musicais no país e era capaz de demonstrar emoções tão contrárias, como a melancolia e a felicidade, numa mesma apresentação ou numa mesma música.
Como muitos outros artistas do Brasil, Elis surgiu dos festivais de música na década de 1960 e mostrava interesse em desenvolver seu talento através de apresentações dramáticas. Seu estilo era altamente influenciado pelos cantores do rádio, especialmente Ângela Maria, e a fez ser a grande revelação do festival daTV Excelsior em 1965, quando cantou “Arrastão” de Vinicius de Moraes e Edu Lobo. Tal feito lhe conferiu o título de primeira estrela da canção popular brasileira na era da TV. Enquanto outras cantoras contemporâneas como Maria Bethânia haviam se especializado e surgido em teatros, ela deu preferência aos rádios e televisões. Seus primeiros discos, iniciando com Viva a Brotolândia (1961), refletem o momento em que transferiu-se do Rio Grande do Sul ao Rio de Janeiro, e que teve exigências de mercado e mídia. Transferindo-se para São Paulo em 1964, onde ficaria até sua morte, logrou sucesso com os espetáculos do Fino da Bossa e encontrou uma cidade efervescente onde conseguiria realizar seus planos artísticos. Em 1967, casou-se com Ronaldo Bôscoli, diretor do Fino da Bossa, e ambos tiveram João Marcelo Bôscoli.
Elis Regina aventurou-se por muitos gêneros: da MPB, passando pela bossa nova, pelo samba, pelo rock e pelo jazz. Interpretando canções como “Madalena”, “Como Nossos Pais”, “O Bêbado e a Equilibrista”, “Querelas do Brasil”, que ainda continuam famosas e memoráveis, registrou momentos de felicidade, amor, tristeza, patriotismo e ditadura militar no país. Ao longo de toda sua carreira, cantou canções de músicos até então pouco conhecidos, como Milton Nascimento, Ivan Lins,Belchior, Renato Teixeira, Aldir Blanc, João Bosco, ajudando a lançá-los e a divulgar suas obras, impulsionando-os no cenário musical brasileiro. Entre outras parcerias, são célebres os duetos que teve com Jair Rodrigues, Tom Jobim, Wilson Simonal, Rita Lee, Chico Buarque e, por fim, seu segundo marido, o pianista César Camargo Mariano, com quem teve os filhos Pedro Mariano e Maria Rita. Mariano também ajudou-a a arranjar muitas músicas antigas e dar novas roupagens a elas, como com “É Com Esse Que Eu Vou”.
Sua presença artística mais memorável talvez esteja registrada nos álbuns Em Pleno Verão (1970), Elis & Tom (1974), Falso Brilhante (1976), Transversal do Tempo(1978), Saudade do Brasil (1980) e Elis (1980). Ela foi a primeira pessoa a inscrever a própria voz como se fosse um instrumento, na Ordem dos Músicos do Brasil. Elis Regina morreu precocemente em 1982, com apenas 36 anos, deixando uma vasta obra na música popular brasileira. Embora haja controvérsias e contestações, os exames comprovaram que havia morrido por conta de altas doses de cocaína e bebidas alcoólicas, e o fato chocou profundamente o país na época.
Em 2013, foi eleita a segunda melhor voz da música brasileira pela revista Rolling Stone, superada apenas por Tim Maia. Elis foi citada também na lista dos maiores artistas da música brasileira, ficando na 14ª posição, sendo a mulher mais bem colocada. Em novembro do mesmo ano estreou um musical em sua homenagem Elis, a musical.
Albert Einstein

Albert Einstein (Ulm, 14 de março de 1879 — Princeton, 18 de abril de 1955) foi um físico teórico alemão. Entre suas principais obras desenvolveu a teoria da relatividade geral, ao lado da mecânica quântica um dos dois pilares da física moderna. Embora mais conhecido por sua fórmula de equivalência massa-energia, E=mc² — que foi chamada de “a equação mais famosa do mundo” —, foi laureado com o Prêmio Nobel de Física de 1921 “por suas contribuições à física teórica” e, especialmente, por sua descoberta da lei do efeito fotoelétrico, que foi fundamental no estabelecimento da teoria quântica.
Nascido em uma família de judeus alemães, mudou-se para a Suíça ainda jovem e iniciou seus estudos na Escola Politécnica de Zurique. Após dois anos procurando emprego, obteve um cargo no escritório de patentes suíço enquanto ingressava no curso de doutorado da Universidade de Zurique. Em 1905 publicou uma série de artigos acadêmicos revolucionários. Uma de suas obras era o desenvolvimento da teoria da relatividade especial. Percebeu, no entanto, que o princípio da relatividade também poderia ser estendido para campos gravitacionais, e com a sua posterior teoria da gravitação, de 1916, publicou um artigo sobre a teoria da relatividade geral. Enquanto acumulava cargos em universidades e instituições, continuou a lidar com problemas da mecânica estatística e teoria quântica, o que levou às suas explicações sobre a teoria das partículas e o movimento browniano. Também investigou as propriedades térmicas da luz, o que lançou as bases da teoria dos fótons. Em 1917, aplicou a teoria da relatividade geral para modelar a estrutura do universo como um todo. Suas obras renderam-lhe o status de celebridade mundial enquanto tornava-se uma nova figura na história da humanidade, recebendo prêmios internacionais e sendo convidado de chefes de estado e autoridades.
Estava nos Estados Unidos quando Adolf Hitler chegou ao poder na Alemanha, em 1933, e não voltou para o seu país de origem, onde tinha sido professor da Academia de Ciências de Berlim. Estabeleceu-se então no país, onde naturalizou-se em 1940. Na véspera da Segunda Guerra Mundial, ajudou a alertar o presidente Franklin Delano Roosevelt que a Alemanha poderia estar desenvolvendo uma arma atômica, recomendando aos norte-americanos a começar uma pesquisa semelhante, o que levou ao que se tornaria o Projeto Manhattan. Apoiou as forças aliadas, denunciando no entanto a utilização da fissão nuclear como uma arma. Mais tarde, com o filósofo britânico Bertrand Russell, assinou o Manifesto Russell-Einstein, que destacou o perigo das armas nucleares. Foi afiliado ao Instituto de Estudos Avançados de Princeton, onde trabalhou até sua morte em 1955.
Realizou diversas viagens ao redor do mundo, deu palestras públicas em conceituadas universidades e conheceu personalidades célebres de sua época, tanto na ciência quanto fora do mundo acadêmico. Publicou mais de 300 trabalhos científicos, juntamente com mais de 150 obras não científicas. Suas grandes conquistas intelectuais e originalidade fizeram da palavra “Einstein” sinônimo de gênio. Em 1999 foi eleito por 100 físicos renomados o mais memorável físico de todos os tempos. No mesmo ano a revista TIME, em uma compilação com as pessoas mais importantes e influentes, o classificou a pessoa do século XX.
Cindy Crowford

Cindy Crawford (Cynthia Ann Crawford, DeKalb, 20 de fevereiro de 1966) é uma supermodelo, atriz e cantora estadunidense.
Quando se dedicava às colheitas de milho, um pequeno trabalho de Verão, em 1982, um repórter fotográfico reparou na sua beleza e resolveu fotografá-la. Como resultado da sessão ficou patente a sua fotogenia, o que foi suficiente para a levar a apostar na carreira de modelo logo de imediato.
Nesse Verão e no seguinte trabalhou como modelo para a Elite Model de Chicago, mas depois optou por se dedicar em exclusivo aos estudos universitários, na área de engenharia química. Pelo caminho deixou a sua participação no concurso Elite Look of the Year de 1982, onde era uma das mais fortes candidatas à vitória. No entanto, mais tarde viria a interromper os estudos porque resolveu voltar atrás e regressar ao mundo da moda.
No início da sua carreira recomendaram-lhe que retirasse o sinal que tem junto à boca por ser considerado inestético. Contudo, recusou a sugestão e, hoje em dia, o sinal faz parte da sua imagem de marca.
Cindy trabalhou em Chicago até que o sucesso a levou a mudar-se para Nova Iorque, onde residiu até 1996, altura em que se instalou em Los Angeles. Bastaram-lhe dois anos para começar a desfilar roupas dos mais conceituados costureiros e a ocupar as capas das mais importantes revistas de moda.
Até hoje já fez mais de 400 capas em todo o mundo. Uma das mais famosas é da Vanity Fair que saiu em 1993. Nela Cindy Crawford apareceu com a cantora lésbica KD Lang numa pose que chocou os mais conservadores. O sucesso alcançado permitiu-lhe integrar o primeiro grupo de supermodelos, um escalão acima das top models, do qual também faziam parte Naomi Campbell, Stephanie Seymour, Claudia Schiffer e Linda Evangelista.
Em 1988, tornou-se a primeira supermodelo a aceitar posar para a revista masculina Playboy. A experiência foi muito bem aceite pelo público e valeu-lhe um contrato, que se prolongou por seis anos, para se tornar a apresentadora do programa da moda “House of Style”, do canal musical MTV.
Para além de uma muito bem sucedida carreira como manequim e de se ter revelado uma excelente estudante, Cindy Crawford também mostrou ter propensão para o negócio. Lançou, assim, aproveitando a sua imagem, uma série de calendários em fato-de-banho, videocassetes de fitness e um livro sobre maquilhagem. Através da sua empresa, a Crawdaddy, conseguiu contratos milionários com multinacionais como a Pepsi, a Kay Jewelers e a Revlon. Quando as suas companheiras de passerella lançaram o Fashion Café, preferiu a copresidência da cadeia internacional de restaurantes Planet Hollywood.
Tudo isto ajudou a que, em 1995, fosse considerada pela revista norte-americana Forbes como a modelo mais bem paga do mundo. Nesse mesmo ano estreou-se nas lides cinematográficas em “Presa Fácil”, onde contracenou com William Baldwin, mas aqui o sucesso ficou muito aquém do esperado.
Cindy Crawford dedica também muito do seu tempo a acções de caridade, especialmente as relacionadas com a leucemia, doença que lhe roubou um irmão, quando ambos eram crianças. Metade dos lucros dos calendários por si lançados são destinados a programas de combate à leucemia.
Arthur Schopenhauer


Arthur Schopenhauer (Danzig, 22 de fevereiro de 1788 — Frankfurt, 21 de setembro de 1860) foi um filósofo alemão do século XIX.
Seu pensamento sobre o amor é caracterizado por não se encaixar em nenhum dos grandes sistemas de sua época. Sua obra principal é “O mundo como vontade e representação” (1819), embora o seu livro “Parerga e Paralipomena” (1851) seja o mais conhecido. Schopenhauer foi o filósofo que introduziu o pensamento indiano e alguns dos conceitos budistas na metafísica alemã. Foi fortemente influenciado pela leitura das Upanishads, que foram traduzidas pela primeira vez para o Latim no início do século XIX.
Schopenhauer acreditava no amor como meta na vida, mas não acreditava que ele tivesse a ver com a felicidade.
Michel de Montaigne
Michel Eyquem de Montaigne (Castelo de Montaigne, 28 de fevereiro de 1533 — Castelo de Montaigne, 13 de setembro de 1592) foi um jurista, político, filósofo, escritor, cético e humanista francês, considerado como o inventor do ensaio pessoal. Nas suas obras analisou as instituições, as opiniões e os costumes, debruçando-se sobre os dogmas da sua época e tomando a generalidade da humanidade como objecto de estudo.
Ele criticou a educação livresca e mnemônica, propondo um ensino voltado para a experiência e para a ação. Acreditava que a educação livresca exigiria muito tempo e esforço, o que afastaria os jovens dos assuntos mais urgentes da vida. Para ele, a educação deveria formar indivíduos aptos ao julgamento, ao discernimento moral e à vida prática.

Sol em Peixes com Ascendente em Gêmeos

Esses são os dois signos que estão mais ligados a ideia de
dualidade na astrologia, já que são eles que apresentam em suas imagens
representativas duas figuras, no caso de gêmeos as duas crianças, e de peixes
os dois peixes amarrados pela boca e nadando em direções opostas. Justamente
por isso, a dualidade não será uma questão encarada com drama ou como algo
problemático, e tende a ser expressa de maneira saudável inclusive por quem
nasce com esta combinação. A pessoa é plenamente consciente de suas oscilações,
mudanças de opinião e direção e tende a fazer disso seu princípio. Jamais
assumem posições radicais e tendem a se esquivar o quanto podem das situações
que podem potencialmente prende-los ou exigir deles uma escolha definitiva.
O simples fato de terem a sensação de que estão livres pra
mudar e sair quando quiserem de uma situação qualquer os faz sossegar e se
estabilizar, já que oscilam mais quanto mais pressionados se sentem.  Neste caso como Gêmeos é o ascendente, é por
isso que a ideia de liberdade surge com tanta importância, porque esse é o
signo do livre pensamento e do livre transitar na vida, e essas são questões
fundamentais pra pessoa. Há algo de camaleônico e geralmente são pessoas que
tendem a mudar bastante ao longo de suas vidas, seja na aparência, nas ideias
ou mesmo de forma mais profunda e estrutural.
São extremamente versáteis e adaptáveis, e nesta combinação
existe o equilíbrio entre o racional e o sentimental, entre a visão cínica e
super objetiva do signo de gêmeos e as idealizações e o romantismo do signo de
Peixes. Podem ter afinidade com a poesia, a literatura romântica ou fantástica
e a música. Sonham acordados, mas raciocinam objetivamente em cima dos seus
sonhos e tratam de descartar rapidamente aqueles que são mais absurdos. É
possível porém que isso não se dê de forma tão tranqüila, especialmente  se a pessoa sente que é muito
pressionada  a viver constantemente no
racional, podendo  daí desenvolver
comportamentos de fuga dos mais variados. O Sol pisciano precisa se realizar de
alguma maneira, e se isso não puder ser feito de forma espontânea, então será
através da bebida ou de outro meio que tire a pessoa temporariamente de uma
realidade opressiva. 

Além da possibilidade de surgirem comportamentos de fuga,
outro problema é a dificuldade em assumir compromissos. Sua criatividade ou
força de trabalho podem inclusive se ver comprometidos quanto mais pressionados
se sentem. Se são deixados livres pra se expressar do jeito que gostam, são
capazes de se doar e aí conseguem ultrapassar facilmente seus próprios limites.
Infelizmente vivemos num mundo que nos obriga constantemente a assumir posições
rígidas, mas se você entrar nessa onda, rapidamente perceberá que não produz. O
mais interessante seria você se envolver com atividades onde tenha liberdade
pra produzir no seu ritmo, e em relacionamentos que não monopolizam seu tempo e
não tentam lhe controlar. Assim evita a maioria dos problemas.   
Drew Barrymore
Drew Blyth Barrymore (Culver City, 22 de fevereiro de 1975) é uma atriz, produtora e diretora norte-americana. Integrante mais jovem da célebre família Barrymore, apareceu pela primeira vez em um anúncio quando tinha onze meses de vida. Barrymore fez sua estreia no filme Altered States (br: Viagens Alucinantes), em 1980. Em seguida, estrelou no papel de “Gertie” no filme E.T. the Extra-Terrestrial (br: E.T.- O Extraterrestre). Ela se tornou rapidamente uma das mais conhecidas atrizes-mirins de Hollywood, passando a estabelecer-se principalmente em papéis cômicos.
Após uma infância turbulenta, que foi marcada pelo abuso de álcool e drogas e duas internações em clínicas de reabilitação, Barrymore escreveu a autobiografia,Little Girl Lost, em 1990. Ela fez com sucesso a transição de estrela mirim, para atriz adulto com uma série de filmes, incluindo os mal sucedidos Poison Ivy (br:Relação Indecente), Bad Girls (br: Quatro Mulheres e um Destino), Boys on the Side (br: Somente Elas), e Everyone Says I Love You (br: Todos Dizem Eu te Amo). Posteriormente, ela estabeleceu-se em comédias românticas como The Wedding Singer (br: Afinado no Amor).
Em 1995 ela e a sócia Nancy Juvonen formaram a produtora Flower Films, a sua primeira produção foi o filme Never Been Kissed (br: Nunca Fui Beijada), de 1999, filme este estrelado por Barrymore. A Flower Films passou a produzir os filmes de Barrymore incluindo Charlie’s Angels: The Movie (br: As Panteras / pt: Anjos de Charlie), 50 First Dates (br: Como Se Fosse a Primeira Vez) e Music and Lyrics (br: Letra e Música), bem como o filme cult Donnie Darko. Os mais recentes projetos de Barrymore incluem He’s Just Not That Into You (br: Ele Não Está Tão a Fim de Você), Beverly Hills Chihuahua (br: Perdido Pra Cachorro), e Everybody’s Fine. Drew ganhou uma estrela na Calçada da Fama em Hollywood, e apareceu em 2007 na capa da revista People como uma das “100 pessoas mais bonitas do mundo”.
Barrymore foi nomeada “Embaixadora Contra a Fome” para o Programa Alimentar Mundial (PAM) das Nações Unidas. Desde então, ela doou mais de $1 milhão para o programa. Em 2007, ela se tornou tanto a mais nova modelo da CoverGirl, quanto porta-voz para os cosméticos e o novo rosto da mais recente linha de joias da Gucci.
Em 2010 Drew ganhou o Prêmio do Screen Actors Guild e o Globo de Ouro de melhor atriz em minissérie ou filme para a televisão por sua interpretação de Pequena Edie em Grey Gardens.
Michael Caine
Michael Caine (nome artístico de Maurice Joseph Micklewhite, CBE; Londres, 14 de março de 1933) é um premiado ator e produtor de cinema britânico, duas vezes vencedor do Oscar da Academia para Melhor Ator Coadjuvante (por suas atuações em Hannah and Her Sisters e The Cider House Rules).
Alain Proust
Alain Marie Pascal Prost  (Loire, 24 de fevereiro de 1955) é um ex-automobilista francês, quatro vezes campeão do Mundial de Pilotos da Fórmula 1. Durante sua carreira na F1, que foi de 1980 a 1993, ele venceu 51 Grandes Prêmios.
Gioachino Rossini
Gioachino Antonio Rossini (Pésaro, 29 de fevereiro de 1792 — Paris, 13 de novembro de 1868) foi um compositor erudito italiano, muito popular em seu tempo, que criou 39 óperas, assim como diversos trabalhos para música sacra e música de câmara. Entre seus trabalhos mais conhecidos estão Il barbiere di Siviglia(“O Barbeiro de Sevilha”), La Cenerentola (“A Cinderela”) e Guillaume Tell (“Guilherme Tell”).

Urbain Leverrier



Urbain Jean Joseph Le Verrier (Saint-Lô, 11 de março de 1811 — Paris, 23 de setembro de 1877) foi um matemático e astrónomo francês. Especializado em mecânica celeste, é conhecido pela contribuição para a descoberta do planeta Netuno. Após Netuno ser descoberto, ele tentou explicar as discrepâncias na órbita de mercúrio supondo um planeta orbitando entre mercúrio e o sol; este planeta, chamado de Vulcano, nunca foi descoberto.

Sol em Peixes com Ascendente em Touro

Essa combinação extremamente harmônica indica pessoas
simpáticas, carismáticas e gregárias. Apesar do jeito simples e pacato de ser,
podem ser pessoas muito populares , que angariam apoio com certa facilidade e
que podem ter até mesmo um pouco de sorte. Peixes é um signo que pode ser
extremamente disperso e confuso, e o ascendente em Touro atua neste caso
trazendo consistência, permanência, integridade e credibilidade. Da mesma
forma, Touro pode ser extremamente simplório,monotemático ou mesquinho, e o sol
pisciano complementa esses possíveis defeitos trazendo imaginação, uma certa
extravagância ou irreverência e muita generosidade. Há portanto complementação
e de modo geral, são pessoas bem resolvidas.
Ambos os signos tem em comum o fato de serem locais onde o
planeta Vênus tem imensa força. Por esse motivo, as condições de Vênus no mapa
vão ser extremamente reveladoras dos detalhes de como tende a se manifestar a
personalidade da pessoa. Mas em todos os casos predomina um elemento de
preguiça, hedonismo e sensualidade muito latente. A beleza pode ser peculiar,
mas há na aparência da pessoa uma aura convidativa de aconchego, boa vontade e
mansidão que as tornam atraentes e agradáveis de se conviver.   
Essa combinação amplia a sensibilidade. Touro rege os 5
sentidos e as impressões físicas, as que são sentidas através do corpo. Peixes
ja representa uma sensibilidade mais abstrata, são as impressões, intuições e
sensações mais sutis, sentidas pela alma ou corpo energético. Isso torna a
intuição da pessoa algo muito forte. Podem inclusive pagar um certo preço por
isso, passando mal ou até se adoentando quando sua sensibilidade detecta algo
negativo em alguém ou alguma situação perigosa. Ao invés da impressão
permanecer no rasante do óbvio, ela vai além e o corpo grita e sempre aponta na
direção correta.    

Essa mesma sensibilidade pode tornar perigosas as relações
da pessoa com substâncias ou outras coisas que geram sensações de prazer,
conforto ou estímulo, como a bebida, comida, remédios ou outros tipos de drogas
ou mesmo certos hábitos como o sexo, jogos, esportes ou manias em geral. Como a
dor é sentida com intensidade, esse prazer vem na mesma intensidade e pode
facilmente ser usado como fuga, onde os problemas permanecem sem solução e a
inércia se estabelece. Justamente o fato de o ascendente ser  em touro, um signo mais estável ou que tende
ou pretende uma vida assim, é que tornam perigosos esses comportamentos de
fuga, que precisam ser aceitos e compreendidos pra que não se transformem em
problemas e dominem a pessoa por muito tempo. Inércia e estabilidade são como a manifestação
podre e a manifestação pura de uma mesma coisa, e esses extremos dão sempre o
diagnóstico de como a pessoa tem levado a sua vida. 
Cristina Kirchner
Cristina Elisabet Fernández de Kirchner (La Plata, 19 de fevereiro de 1953) é uma política e advogada argentina. Foi senadora pelas províncias de Santa Cruz e Buenos Aires, e presidente de seu país entre 2007 e 2015. De 25 de maio de 2003 a 10 de dezembro de 2007 foi também primeira-dama, pois é viúva do ex-presidente Néstor Kirchner, ao qual sucedeu no governo do país latino.
Em 28 de outubro de 2007 foi eleita 55ª presidente da Argentina, a primeira mulher eleita pelo voto direto, no país, sendo reeleita em 2011, com mais de 54% dos votos, a maior vitória eleitoral desde 1983. Ela também recebeu uma diferença de 37,3% em comparação com a segunda lista, o maior da história.
Queen Latifah 
Queen Latifah (nome artístico de Dana Elaine Owens; Newark, 18 de março de 1970 ) é uma cantora, rapper e atriz norte-americana, vencedora de um prêmio Grammy e de um Globo de Ouro. Também foi indicada ao Oscar de Melhor Atriz Coadjuvante por Chicago.
Gabriel Garcia Marquez
Gabriel José García Márquez (Aracataca, 6 de março de 1927 — Cidade do México, 17 de abril de 2014) foi um escritor, jornalista, editor, ativista e político colombiano. Considerado um dos autores mais importantes do século XX, foi um dos escritores mais admirados e traduzidos no mundo, com mais de 40 milhões de livros vendidos em 36 idiomas.
Foi laureado com o Prêmio Internacional Neustadt de Literatura em 1972, e o Nobel de Literatura de 1982 pelo conjunto de sua obra que, entre outros livros, inclui o aclamado Cem Anos de Solidão. Foi responsável por criar o realismo mágico na literatura latino-americana. Viajou muito pela Europa e viveu até a morte no México. Era pai do cineasta Rodrigo García.
Heitor Villa-Lobos
Heitor Villa-Lobos (Rio de Janeiro, 5 de março de 1887 — Rio de Janeiro, 17 de novembro de 1959) foi um maestro e compositor brasileiro.
Destaca-se por ter sido o principal responsável pela descoberta de uma linguagem peculiarmente brasileira em música, sendo considerado o maior expoente da música do modernismo no Brasil, compondo obras que contém nuances das culturas regionais brasileiras, com os elementos das canções populares e indígenas. No Brasil, sua data de nascimento é celebrada como Dia Nacional da Música Clássica.
Liza Minnelli
Liza May Minnelli (Los Angeles, 12 de março de 1946) é uma atriz e cantora americana.
É filha do diretor Vincent Minnelli e da atriz e cantora Judy Garland. Eternizou-se no cinema como a dançarina Sally Bowles, no filme que lhe rendeu um Oscar de melhor atriz, Cabaret.
George Washington
George Washington (Condado de Westmoreland, 22 de Fevereiro de 1732 – Mount Vernon, 14 de Dezembro de 1799) foi o primeiro Presidente dos Estados Unidos (1789–1797), o comandante-em-chefe do Exército Continental durante a Guerra da Independência dos Estados Unidos, e um dos Pais Fundadores dos Estados Unidos. Presidiu à convenção que elaborou a Constituição, a qual veio substituir os Artigos da Confederação e estabelecer a posição de Presidente.
Washington foi eleito Presidente unanimemente pelos eleitores em 1788 e prestou serviço durante duas legislaturas. Supervisionou a criação de um governo forte e rico que manteve a neutralidade face às guerras na Europa, fez cessar as revoltas e obteve a aceitação entre todos os americanos. O seu estilo de liderança estabeleceu várias características de governação que, desde então, têm sido adoptadas, como a utilização de um sistema de gabinete e de um discurso inaugural. A forma pacífica de transição da sua presidência para a de John Adams estabeleceu também uma tradição que se manteve até ao século XXI. Washington foi celebrado como “Pai da Nação” ainda durante a sua vida.

Sol em Peixes com Ascendente em Áries

Essa combinação tem contrastes muito fortes. Ela se baseia
numa relação profundamente conflituosa entre o signo solar e o ascendente, já
que eles formam contra-antiscion. O sol em Peixes fala de princípios baseados na
tolerância , no perdão e tem uma conduta bastante permissiva. Peixes é um signo
que carrega o estandarte da paz , e Áries no ascendente é o que soa os tambores
da guerra e da discórdia. A personalidade da pessoa é muito assertiva,
independente e arrojada e ela se coloca de forma firme, frequentemente
intempestiva, e daí se evidenciam muitas contradições entre os princípios da
pessoa e a forma como ela de fato age. Tem a intenção de acolher, proteger e
amar o mundo , mas podem fazer isso de uma forma um tanto rude e traumática
para quem recebe esse amor.
Há então uma tendência a ter iniciativas , abrir frentes ou
até mesmo iniciar conflitos. Mas o Sol em Peixes, especialmente se este também
cair na casa 12 , leva a uma conduta dissimulada de fuga das situações que se
tornam complicadas ou dos conflitos que se tornam muito acirrados. Assim a
pessoa pode ter uma atitude por vezes contraditória: Numa hora aparece como
algoz, em outra pode querer posar como vítima. Numa hora é a pessoa mais
presente, dedicada e intensa naquilo que faz, na outra pode se tornar relapsa .
confusa e omissa.   
Pode haver pouca moderação e comportamentos autodestrutivos
, porque ambos os signos são dados aos exageros e o sol na casa 12 pode
facilmente levar a comportamentos de fuga ou dificuldades de conciliação dos
diferentes aspectos da personalidade. A pessoa se beneficia quando da a si
mesma a oportunidade de trabalhar de forma protegida, nos bastidores, sem
grande exposição. Essa sensação de proteção impede os instintos de fuga e leva
a pessoa a se tornar alguém muito mais eficiente na vida.  Também vai se sentir melhor quando sentir que
há uma conversão de benefícios pro coletivo 
naquilo que faz, quando então a obrigação pode se transformar em
inspiração e fonte de felicidade e realização.

Há um elemento de doação , uma generosidade muito forte e
espontânea, uma vontade de realmente ajudar o outro, e nesse caso a pessoa não
tende apenas a idealizar, teorizar ou imaginar utopias: ela realmente deseja
fazer a diferença e promover uma mudança. Parece inclusive que a força da
pessoa se amplia de acordo com a gravidade dos problemas que ela ou o mundo ao
seu redor enfrentam. É alguém cuja força surge principalmente nas situações de
emergência e crise. O problema pode ser uma tendência a intervir na vida alheia
de forma muito incisiva, de querer agir como um herói e ser reconhecida como tal pra pessoas que frequentemente prefeririam tentar e resolver sozinhas suas
próprias questões, no seu próprio tempo. 
Rihanna 


Robyn Rihanna Fenty (Saint Michael, 20 de Fevereiro de 1988), conhecida simplesmente por Rihanna, é uma cantora, atriz, modelo, e compositora de Barbados, de ascendência barbadiana, guianense e irlandesa. Assinou contrato com a editora Def Jam Recordings após uma audição, que despertou o interesse do produtor Evan Rogers e do vice-presidente na altura da editora, Jay-Z, para a jovem artista.
Em 2005 gravou o seu primeiro álbum de estúdio, Music of the Sun, que alcançou o top 10 da Billboard 200. Um ano depois lançou o seu segundo trabalho de originais, A Girl like Me, obtendo a quinta posição da tabela musical norte-americana, incluindo a canção que foi o seu primeiro topo norte-americano em single, “SOS”. Em 2007, o álbum Good Girl Gone Bad é lançado e atinge a segunda posição na tabela de álbuns da Billboard, sucedendo-se os álbuns Rated R em 2009 que obteve o quarto lugar, Loud em 2010 que alcançou a terceira posição e Talk That Talk em 2011 que alcançou a terceira. No mesmo ano, foi nomeada embaixadora da Cultura e da Juventude do seu país.
Vendeu mais de 54 milhões de álbuns e 210 milhões de singles, e em 2011 foi considerada a artista de todos os tempos que mais vendeu a nível digital. A cantora conseguiu colocar treze singles no topo da Billboard Hot 100 — “SOS”, “Umbrella”, “Take a Bow”, “Disturbia”, “Live Your Life”, “Rude Boy”, “Love the Way You Lie”, “What’s My Name?”, “Only Girl (In the World)”, S&M”, “We Found Love”, “Diamonds e “The Monster” — sendo a artista feminina com mais topos atingidos desde no início da década de 2000 e do século XXI na tabela musical americana Billboard Hot 100, que avalia as cem músicas mais vendidas. É vencedora de oito Grammy, quatro VMA, dois EMA, oito AMA, vinte e dois BMA, cinco TCA, e quatro WMA, entre outros. É também uma das intérpretes musicais que mais alcançaram a primeira posição nas tabelas da Billboard desde da década de 2000 até ao momento.
Rihanna, como os Beatles e Elvis Presley, bateu o recorde de liderar as paradas do Reino Unido em sete anos consecutivos, com sete músicas diferentes. O recorde foi atingido na primeira semana de novembro de 2013, com a música The Monster, ao lado de Eminem.
Além de cantora, é compositora, coprodutora, dançarina, modelo, designer de moda, autora e atriz, tendo feito ainda a sua própria marca de guarda-chuvas, Rihanna Umbrellas, após o lançamento do single “Umbrella”. Também foi convidada para desempenhar personagens no cinema, nomeadamente em Mama Black Widow, embora o projecto tenha sido cancelado. Foi ainda indicada para o remake de The Last Dragon, protagonizado por Samuel L. Jackson. A 26 de Julho de 2010 foi confirmado que a sua estreia no cinema seria com a participação no filme Battleship, com estreia em 2012.
Sophie Turner

Sophie Turner (Northampton, 21 de fevereiro de 1996) é uma atriz inglesa.Turner nasceu em Northampton, em Northamptonshire, mudando-se para Warwick aos dois anos de idade. Lá, ela estudou na Warwick Prep School até os onze anos, transferindo-se então para a Kings High School. Desde cedo Turner deseja ser atriz, e, para seguir esse sonho, ela acabou entrando para um grupo de teatro com três anos.
Seu primeiro papel profissional foi o de Sansa Stark na série de televisão norte-americana Game of Thrones. Turner, naturalmente loira, precisa tingir seu cabelo com quatro tons de ruivo a cada uma semana para interpretar sua personagem.Em 2016, ela irá interpretar a mutante Jean Grey, personagem anteriormente interpretada por Famke Janssen
Morin de Villefranche

Jean-Baptiste Morin de Villefranche (Villefranche-sur-Saône, 23 de fevereiro de 1583) também conhecido pela versão latinizada do seu nome “Morinus”, foi um médico, matemático, astrônomo e astrólogo francês. Foi um dos maiores teóricos em astrologia , tendo desenvolvido um método próprio de abordagem das cartas astrológicas sistematizado ao longo dos diversos volumes de sua maior obra no assunto, o gigantesco “Astrologia Gálica”. 
Diferente da maioria dos autores astrológicos do seu tempo e até anteriores a ele, ao invés de simplesmente escrever um compêndio repetindo retalhos de tradições astrológicas de diversas épocas, traçou uma abordagem objetiva e extremamente detalhada, estabelecendo regras muito claras e abordando todo os temas de forma extremamente criteriosa e coerente.   
Shaquille  O’Neil

Shaquille Rashaun O’Neal (Newark, 6 de março de 1972) é um ex-basquetebolista norte-americano que atuava como pivô. Medindo 2,16 m e pesando 147 kg,Shaq, como ficou popularmente conhecido, é oficialmente listado como um dos maiores jogadores da história da National Basketball Association (NBA), tendo conquistado quatro títulos da liga e acumulado inúmeros prêmios individuais em 19 anos de carreira, sendo mais notável o prêmio de melhor jogador da temporada, em 2000. É frequentemente descrito por especialistas e entusiastas do esporte como um dos jogadores mais dominantes da história da liga.
Disputou basquete universitário pela Universidade do Estado da Louisiana antes de ingressar na NBA, sendo draftado pelo Orlando Magic com a primeira escolha geral do draft de 1992. Rapidamente, tornou-se um dos principais pivôs da liga, tendo recebido o Prêmio de Revelação do Ano na temporada de 1993 e conduzido o Magic às finais da NBA em 1995, feito inédito na história da franquia. Após quatro temporadas em Orlando, Shaq assinou com o Los Angeles Lakers, onde ganhou três campeonatos consecutivos, de 2000 a 2002. Problemas de relacionamento com Kobe Bryant fizeram com que o pivô fosse trocado para o Miami Heat em 2004, franquia pela qual conquistou seu quarto título, em 2006. Após sua passagem por Miami, Shaq também atuou por Phoenix Suns, Cleveland Cavaliers e Boston Celtics, franquia pela qual se aposentou do basquete, em 1º de Junho de 2011.
Dentre suas conquistas individuais constam, além das supracitadas, o prêmio de NBA Most Valuable Player, três prêmios de Jogador Mais Valioso das Finais da NBA, dois títulos de pontuação, 15 seleções para o Jogo das Estrelas da NBA, três prêmios de Jogador Mais Valioso do Jogo das Estrelas, 14 seleções para o Melhor Quinteto da NBA e três seleções para o Melhor Quinteto Defensivo da NBA. Shaq ainda detém duas medalhas de ouro pela Seleção Estadunidense de Basquete, conquistadas no Campeonato Mundial de Basquete de 1994 e nos Jogos Olímpicos de 1996.
A trajetória de Shaq não se resume somente à sua carreira no basquete: fora das quadras, o ex-pivô já lançou quatro álbuns de rap (incluindo um álbum multiplatina), atuou em 12 filmes, trabalhou como apresentador de televisão, é oficial da reserva da polícia portuária de Los Angeles, lutador de MMA e, atualmente, trabalha como analista no programa televisivo Inside the NBA, da rede norte-americana TNT.

Sol em Capricórnio com Ascendente em Peixes

Esses dois signos guardam entre eles o sentido de final das
coisas. Capricórnio é o que prevê o fim, e Peixes é o fim das coisas em si
mesmo. Isso tende a gerar nos nativos uma certa aura de melancolia , talvez um
certo pessimismo e uma forma séria de abordar todos os assuntos, com gravidade
e delicadeza ao mesmo tempo. A seriedade é marca de Capricórnio, e nesse caso
adquire um verniz de maior tolerância e compaixão em função da atitude pisciana
no ascendente. A pessoa consegue ser pragmática ao lidar com questões críticas
, sem necessariamente ser fria. Há calor humano mesmo quando a atitude da
pessoa é a de impor um limite ou de fazer uma cobrança.  
A personalidade é mais aberta e gregária do que a da maioria
dos capricornianos. Isso acontece porque Capricórnio é o décimo primeiro signo
em relação ao ascendente, e essa região do mapa iluminada pelo sol simboliza a
vida social e as amizades da pessoa. Também é indicativo de um elemento de
sorte e de generosidade que cerca a pessoa e que de certa forma a protege.
Apesar de os princípios capricornianos serem econômicos, talvez até mesquinhos,
neste caso Peixes ascendendo confere uma imensa generosidade e uma capacidade
de se doar pelos outros e de trazer conforto a quem precisa.
Pode haver um sentimento 
de frustração freqüente porque a pessoa pode sentir que não é capaz de
controlar sua vida e o mundo a sua volta tanto quanto gostaria ou tanto quanto
acha que deveria. O sol em Capricórnio tem uma aspiração de controlar e de
manter a vida em ordem, mas o comportamento espontâneo do ascendente em peixes
vai numa direção diferente, mais dispersa e indisciplinada. O posicionamento de
Júpiter no mapa da pessoa e também da lua como complemento do
comportamento  podem dar indicações que
ampliam este problema ou que o solucionam de certa forma. 

A pessoa é uma boa líder e uma boa gestora de pessoas, mas
talvez não necessariamente uma grande administradora quando entram em jogo
questões logísticas ou problemas que atuam no nível dos detalhes. O sol num
signo de liderança e na casa que simboliza os grupos indica sucesso em
atividades que envolvem grupos, coletivos ou a sociedade como um todo. Esse
tende a ser também um dos tipos mais carismáticos e amigáveis de capricornianos
(graças a peixes ascendendo) o que torna fácil a aproximação da pessoa com
todos os tipos de pessoas.  
Al Capone
Alphonse Gabriel “Al” Capone (Nova Iorque, 17 de janeiro de 1899 — Palm Beach, 25 de janeiro de 1947) foi um gângster ítalo-americano que liderou um grupo criminoso dedicado ao contrabando e venda de bebidas entre outras atividades ilegais, durante a Lei Seca que vigorou nos Estados Unidos nas décadas de 20 e 30. Considerado por muitos como o maior gângster dos Estados Unidos. Al – como era chamado pelo seu círculo íntimo, tinha o apelido de Scarface (“Cara de Cicatriz”), devido a uma cicatriz em seu rosto, que teve em uma briga na infância.
Zayn Malik
Zain Javadd “Zayn” Malik (nascido em 12 de janeiro de 1993 no Hospital St. Luke, em Bradford, Inglaterra) é um cantor e ex-integrante da banda One Direction. Malik foi descoberto no programa de TV The X Factor no ano de 2010, onde terminou na terceira posição.
Em 2010, juntamente com Liam Payne, Niall Horan, Louis Tomlinson e Harry Styles, formaram a banda One Direction também conhecida por 1D, lançando posteriormente o primeiro álbum intitulado Up All Night, que gerou duas turnês: Up All Night Tour e 2013 World Tour, além do álbum de vídeo Up All Night: The Live Tour.

Sol em Capricórnio com Ascendente em Aquário

Esses são dois signos regidos por Saturno, mas que
representam uma grande contradição entre eles. Capricórnio é conservador e
controlador, enquanto Aquário é reformador e rebelde. O que predomina nesse
caso é o ascendente Aquário ditando um comportamento de um tipo liberal,
avançado, gregário e original. Pra pessoa acaba sendo muito importante a
questão da originalidade. Ela não vê nenhum sentido em copiar os outros ou
mesmo seguir modelos, e geralmente sofre quando descobre que aquilo que ela fez
ou criou era de alguma forma parecido com algo que já existia. Isso pode  no final limitar o raio de ação da pessoa, já
que nem sempre ela vai ter inspiração pra inovar.
Extremamente pragmáticos e realistas, é como se um pé
estivesse fincado firmemente no chão do presente e da realidade, mas o outro
estivesse suspenso,  flertando com o
futuro, as vezes de maneira arrojada e arriscada. São grandes planejadores
porque levam em conta sonhos, vontade de inovar e fazer a diferença, sem
esquecer de suas limitações, impossibilidades e do que tem a disposição pra
fazer. Aparentemente se jogam no novo de maneira irresponsável, mas a verdade é
que jamais fazem isso sem antes ter certeza de que dispõe das condições pra
empreender o que idealizaram. Trabalham com riscos sempre absolutamente
calculados e a certeza do sucesso, nunca se atirando cegamente aos imprevistos.
O que há em comum tanto em Capricórnio quanto em Aquário é
uma certa frieza que se percebe em função do distanciamento que a pessoa
prefere assumir diante das situações de caos ou crise. Quem tem essa combinação
não se deixa levar por comoções, intimidações ou empolgação de qualquer gênero.
Pragmáticos e distantes, pairam sobre as situações, evitando interferir no
calor das emoções, mas justamente por conta do espaço que conseguem pra pensar
friamente  ao se distanciar do caos,
sempre trazem soluções definitivas e objetivas, porque são excelentes
estrategistas. Assim, abordam a maioria dos problemas e crises como se as outras
pessoas estivessem fazendo tempestade em copo d’água e como se tudo fosse mais
simples do que o os outros pensam, e frequentemente estão cobertos de
razão.     

As vezes se percebem em algum tipo de situação absurda,
quando soam como bizarros , anormais ou mesmo ridículos e não conseguem lidar
muito bem com o sentimento de vergonha. É o preço pago pelas ações originais e
arriscadas do ascendente aquariano que pode ser alto demais pro sol em
Capricórnio , conservador e incapaz de administrar o sentimento de vergonha ou
fracasso. Isso pode levar alguns nativos a evitarem colocar muitos dos seus
melhores projetos em prática, por conta do excesso de ousadia. Pelo fato de o
sol estar no décimo segundo signo, vão preferir a discrição e por isso reprimir
muitas das suas possibilidades de realização.   
David Bowie 
David Bowie ; nome artístico de David Robert Jones, (Brixton, Londres, 8 de janeiro de 1947 — Manhattan, Nova Iorque, 10 de janeiro de 2016) foi um cantor, compositor, ator e produtor musical inglês. Por vezes referido como “Camaleão do Rock” pela capacidade de sempre renovar sua imagem, tem sido uma importante figura na música popular há cinco décadas e é considerado um dos músicos populares mais inovadores e ainda influentes de todos os tempos, sobretudo por seu trabalho nas décadas de 1970 e 1980, além de ser distinguido por um vocal característico e pela profundidade intelectual de sua obra.
Embora desde cedo tenha realizado o álbum David Bowie e diversas canções, Bowie só chamou a atenção do público em 1969, quando a canção “Space Oddity” alcançou o quinto lugar no UK Singles Chart. Após um período de três anos de experimentação, que incluem a realização de dois significativos e influentes álbuns, The Man Who Sold the World (1970) e Hunky Dory (1971), ele retorna em 1972 durante a era glam rock com um alter ego extravagante e andrógino chamado Ziggy Stardust, sustentado pelo sucesso de “Starman” e do aclamado álbum The Rise and Fall of Ziggy Stardust and the Spiders from Mars. Seu impacto na época foi um dos maiores cultos já criados na cultura popular. Em 1973, o disco Aladdin Sane levou Ziggy aos EUA. A vida curta da persona revelaria apenas uma das muitas facetas de uma carreira marcada pela reinvenção contínua, pela inovação musical e pela apresentação visual.
Em 1974, o álbum Diamond Dogs previa, com seu som e sua temática caótica, a revolução punk que surgiria anos depois. Em 1975, Bowie finalmente conseguiu seu primeiro grande sucesso em território americano com a canção “Fame”, em co-autoria com John Lennon, do álbum Young Americans. O som constitui uma mudança radical no estilo que, inicialmente, alienou muitos de seus devotos no Reino Unido. Nessa etapa, a carreira musical de Bowie se renovou e seguiu novos rumos. Após a criação de uma nova persona, Thin White Duke, apresentada no aclamado Station to Station (1976), que traz um Bowie interessado em misticismo, Cabala e Nazismo, ele confundiu as expectativas de seu público americano e de sua gravadora com a produção do minimalista Low (1977) — a primeira das três colaborações com Brian Eno durante os próximos dois anos. A chamada “Trilogia de Berlim” (com “Heroes” e Lodger) trouxe álbuns introspectivos que lograram o topo nas paradas britânicas e que ganharam admiração crítica duradoura.
Seguindo o sucesso comercial irregular no final dos anos 70, a canção “Ashes to Ashes” do álbum de 1980 Scary Monsters (and Super Creeps) alcançou o primeiro lugar no Reino Unido e lançou bases para um novo movimento chamado New Romanticism. No ano seguinte, junto à banda Queen, escreveu e cantou a canção “Under Pressure” e em seguida atingiu novo pico comercial com o álbum Let’s Dance (1983), que rendeu sucessos com a canção homônima e o fez cativar nova audiência. Ao longo dos anos 1990 e 2000, Bowie continuou a experimentar novos estilos musicais, incluindo os gêneros industrial, drum and bass, e adult contemporary. Seu último álbum de inéditas foi por muito tempo Reality, uma mistura de melancolia e humor, suportado pela A Reality Tour de 2003–2004. Após um período de quase dez anos em hiato, divulga The Next Day em 2013 e recebe boas avaliações da crítica e público. Após comemorar cinquenta anos de carreira com a coletânea Nothing Has Changed em 2014, o cantor produziu seu último trabalho ainda vivo, o álbum Blackstar (2016).
A influência de David Bowie é única, musical e socialmente. Como escreveu o biógrafo David Buckley, “ele penetrou e modificou mais vidas do que qualquer outra figura comparável.” De fato, grande é sua influência no mundo da música entre artistas e bandas mais antigas e a nova geração (Ver Influência), e, além de ter auxiliado movimentos como a libertação gay e a recriação de uma nova juventude independente, introduziu novos modos de se vestir na cena musical e tem uma carreira prestigiada no cinema. Em 2002, ficou em 29º lugar na lista popular 100 Greatest Britons e já vendeu mais de 136 milhões de álbuns ao longo de sua carreira. Foi premiado no Reino Unido com 9 certificações de álbum de platina, 11 de ouro e 8 de prata, e, nos Estados Unidos, 5 de platina e 7 de ouro. Em 2004, a Rolling Stone colocou-o na 39ª posição em sua lista dos “100 Maiores Artistas do Rock de Todos os Tempos” e em 23º lugar na lista dos “Melhores Cantores de Todos os Tempos”.
Rita Lee
Rita Lee Jones, agora Rita Lee Jones Carvalho, mais conhecida como Rita Lee (São Paulo, 31 de dezembro de 1947), é uma cantora, compositora,instrumentista, atriz, escritora e ativista brasileira. Conhecida como a “Rainha do Rock Brasileiro”, Rita Lee construiu uma carreira que começou com o rock mas que ao longo dos anos flertou com diversos gêneros, como a psicodelia durante na era do tropicalismo, o pop rock, disco, new age, a MPB e eletrônica, criando um hibridismo pioneiro entre gêneros internacionais e nacionais.
Rita Lee é uma das mulheres mais influentes do Brasil, sendo referência para aqueles que vieram a usar guitarra a partir de meados dos anos 70, sobretudo as mulheres. Ex-integrante do grupo Os Mutantes (1968-1972) e do Tutti Frutti (1973-1978), Lee participou de importantes revoluções no mundo da música e da sociedade. Suas canções, em geral regadas com uma ironia ácida ou com uma reivindicação da independência feminina, tornaram-se onipresentes nas paradas de sucesso, sendo “Ovelha Negra”, “Mania de Você”, “Lança Perfume”, “Agora Só Falta Você”, “Baila Comigo”, “Banho de Espuma”, “Desculpe o Auê”, “Erva Venenosa”, “Amor e Sexo” e “Reza”, entre outras, as mais populares. O álbum, Fruto Proibido (1975), lançado juntamente com a banda Tutti Frutti, é comumente visto como um marco fundamental na história do rock brasileiro, considerado por alguns como sua obra-prima.
Em 1976, Lee começou um relacionamento com o guitarrista Roberto de Carvalho e desde então ele tem sido o parceiro da maioria de suas canções e a acompanhou em todas suas apresentações ao vivo. Ambos tiveram o filho Beto Lee, também guitarrista, que acompanha os pais nos shows. Rita Lee também é vegetariana e defensora dos direitos dos animais.
Com uma carreira que quase alcança os 50 anos, Rita Lee passou da inovação e do gueto musical do final dos anos 60 e anos 70 para as baladas românticas de muito sucesso nos anos 80 e já se apresentou com inúmeros artistas que variam de Elis Regina à banda Titãs.
Em outubro de 2008, a revista Rolling Stone promoveu a Lista dos 100 Maiores Artistas da Música Brasileira, onde Rita Lee ocupa o 15° lugar.
Janis Joplin
Janis Lyn Joplin (Port Arthur, 19 de Janeiro de 1943 — Los Angeles, 4 de Outubro de 1970) foi uma cantora e compositora norte-americana. Considerada a “Rainha do Rock and Roll“, “a maior cantora de rock dos anos 1960″ e “a maior cantora de blues e soul da sua geração”, ela foi alcançou proeminência no fim dosanos 1960 como vocalista da Big Brother and the Holding Company e, posteriormente, como artista solo, acompanhada de suas bandas de suporte: a Kozmic Blues e a Full Tilt Boogie.
Influenciada por grandes nomes do jazz e do blues, como Aretha Franklin, Billie Holiday, Etta James, Tina Turner, Big Mama Thornton, Odetta, Leadbelly e Bessie Smith, Janis fez, de sua voz, a sua característica mais marcante,tornando-se um dos ícones do rock psicodélico e dos anos 1960. Todavia, problemas com drogas e álcool encurtaram sua carreira. Morta em 1970 devido a uma overdose de heroína, Janis lançou apenas quatro álbuns: Big Brother and the Holding Company (1967), Cheap Thrills (1968), I Got Dem Ol’ Kozmic Blues Again Mama! (1969) e o póstumo Pearl (1971), que foi o último álbum com participação direta da cantora.
Montesquieu
Charles-Louis de Secondat, barão de La Brède e de Montesquieu, conhecido como Montesquieu (castelo de La Brède, próximo a Bordéus, 18 de Janeiro de1689 — Paris, 10 de Fevereiro de 1755), foi um político, filósofo e escritor francês. Ficou famoso pela sua teoria da separação dos poderes, atualmente consagrada em muitas da modernas constituições internacionais.
Aristocrata, filho de família nobre, nasceu no dia 18 de Janeiro de 1689 e cedo teve formação iluminista com padres oratorianos. Revelou-se um crítico severo e irônico da monarquia absolutista decadente, bem como do clero católico. Adquiriu sólidos conhecimentos humanísticos e jurídicos, mas também frequentou em Paris os círculos da boêmia literária. Em 1714, entrou para o tribunal provincial de Bordéus, que presidiu de 1716 a 1726. Fez longas viagens pela Europa e, de 1729 a 1731, esteve na Inglaterra.
Proficiente escritor, concebeu livros importantes e influentes, como Cartas persas (1721), Considerações sobre as causas da grandeza dos romanos e de sua decadência (1734) e O Espírito das leis (1748), a sua mais famosa obra. Contribuiu também para a célebre Enciclopédia, juntamente com Diderot e D’Alembert.
Orlando Bloom
Orlando Jonathan Blanchard Bloom (Cantuária, Kent, 13 de janeiro de 1977) é um ator inglês. É principalmente conhecido por seu papel de Legolas nas trilogias de O Senhor dos Anéis e O Hobbit e pelo papel de Will Turner em Piratas do Caribe.

Trânsitos de Saturno com Mercúrio Natal

Saturno e Mercúrio tem naturezas levemente similares, porque
ambos governam a razão  e o intelecto, só
que mercúrio é leve e mutável, enquanto saturno é pesado e rígido. Mercúrio
necessita dessa leveza porque ele fala dos aspectos mais transitórios da vida.
Fala dos nossos pensamentos e opiniões, comunicação e locomoção, capacidade de
aprender, decifrar, negociar, calcular e prever coisas a nível intelectual. Pra
todo esse espectro de temas e atividades, Mercúrio precisa de muita liberdade
pra exercer sua mobilidade , flexibilidade e mutabilidade (e assim agir com
eficiência). Durante os trânsitos de Saturno com Mercúrio entretanto,
especialmente os mais tensos (conjunção quadratura e oposição), sentimos que a
parte mercuriana da nossa vida fica emperrada. A mente fica embotada, mais
negativa, e sentimos algo como uma âncora que nos impede de borboletear e
bisbilhotar  livremente. A sensação é de
prisão e nossa perspectiva fica portanto pessimista.  
O efeito mais evidente e pronunciado costuma ser um silêncio
maior que o habitual, e isso é válido para todos os tipos de aspectos de Saturno
em trânsito com Mercúrio, inclusive os harmônicos, como os trígonos. Esse
silêncio está associado a uma maior sobriedade, que nos faz ponderar
demoradamente sobre o que pensamos e pretendemos dizer. Essa ponderação faz com
que evitemos dizer o que não temos certeza , e a maior parte dos elementos especulativos
ou experimentais do nosso pensamento e comunicação são reprimidos. No caso dos
trânsitos mais tensos, como as conjunções, quadraturas e oposições, essa
sobriedade adquire uma característica muito exagerada e por esse motivo mais
negativa. Daí passamos a silenciar nossa opinião em situações cruciais, e
precisamos lidar com as consequências também sobre o que não é dito no tempo
certo. Há uma diminuição da autoconfiança em relação as habilidades
intelectuais , e uma diminuição do nosso rendimento em várias atividades mercurianas
, porque demoramos mais a dar soluções ou emitir opiniões.  
Nem sempre essa tendência ao silêncio aparece de forma
natural. Em geral ela é mais natural e menos intensa durante os trânsitos
harmônicos (sextil e trígono). Nas conjunções , quadraturas e oposições, as
vezes é um acontecimento externo que nos leva a uma fase de maior introspecção.
Em geral somos duramente criticados pela fragilidade de nossas opiniões,
projetos e raciocínio em geral, ou então percebemos o quão intelectualmente
limitados estamos através dos resultados que obtemos em relação a algum projeto
ou atividade mercuriana onde fracassamos e obtemos resultados muito abaixo do
que costumávamos obter. Saturno aparece chamando a atenção sobre as limitações
presentes na nossa estrutura de raciocínio, na forma como costumamos buscar a
resolução de problemas e como ordenamos nossas opiniões. Por exemplo, nossa
escrita começa a despertar críticas, ou tudo o que escrevemos começamos a
considerar inferior. Até mesmo a leitura de um escrito que fizemos em outro
momento nos leva a entrar em crise em relação a nossa capacidade de nos
expressar e de nos fazermos entender. Percebemos também que nossas opiniões
podem soar um pouco impopulares , principalmente durante quadraturas e
oposições de saturno em trânsito com nosso mercúrio, quando o elemento da
crítica exterior aparece de forma mais pronunciada.
Na hora de dimensionar as coisas , a tendência ao longo
desse tipo de trânsito é pensar de forma extremamente cautelosa, ao ponto de
isso interferir na eficiência e produtividade. Isso é reflexo de uma possível
queda na auto-estima associada a capacidade da pessoa de confiar em suas
impressões, intuições ou instintos: ela tende a ficar super racional, e a vida
de modo geral deixa de fluir, transcorrendo de forma mecânica. Além disso, a
abordagem calculista da pessoa frequentemente se mostrará errônea por uma
tendência a fazer estimativas pessimistas, mesquinhas ou conservadoras. É um
trânsito que causa uma perda no senso de proporções, de forma que a pessoa vai
tender a duvidar do potencial pro sucesso, superestimando as possibilidades de
fracasso.

Ao final da experiência, a sensação será a de um destravamento
da mente que se mostrará mais “afiada” e eficiente para as questões que
causaram angústia ao longo deste trânsito. Não significa que a pessoa vá se
dirigir para uma tendência oposta e de uma hora pra outra ficar mais tagarela,
mas que em função da perda dos medos e dúvidas ela passe a fluir, e agora
operando de forma muito mais precisa e eficiente do que antes do trânsito.  

Trânsitos de Saturno com a Lua natal

Assim como na relação de Saturno com o Sol, Os trânsitos de
Saturno com a Lua também são considerados difíceis em função das naturezas
divergentes destes planetas. A lua em sua melhor expressão é um universo de
emoções, conforto e acolhimento, e Saturno traz um choque de realidade pra esse
nosso universo mais pessoal, porque sua natureza é fria, racional e
indiferente.
Como a lua é o nosso principal veículo de comunicação com o
mundo, respondendo por toda a parte receptora das nossas comunicações,
basicamente nossa capacidade de se relacionar equilibradamente fica prejudicada
durante os trânsitos mais difíceis de saturno com a lua. Não conseguimos
compreender as pessoas, temos uma versão distorcida (mais negativa) dos fatos e
do caráter das pessoas com quem convivemos, temos mais impressões negativas do
que positivas em relação ao mundo a nossa volta e passamos a acreditar que o
julgamento alheio é severo e intransigente como tem sido o nosso. Na verdade,
descobrimos através das nossas relações mais íntimas que tudo isso pode ser
verdade e não um exagero, mas a causa está diretamente ligada a uma postura
profundamente negativa que tendemos a adotar ao longo desse tipo de trânsito,
que gera negatividade nos outros e impossibilita a compreensão mútua. Adotamos
um comportamento que pode soar como algo amargurado, pessimista e ampliamos
nossos receios e carências a um ponto em que fica difícil qualquer pessoa
conseguir nos agradar ou nos aquecer emocionalmente. Podemos nos sentir vítimas
da vida ou das pessoas e expressamos carência e ingratidão.
É uma verdadeira crise de alienação emocional. Os sentimentos
ficam embotados, a lente de observação do mundo ganha uma cobertura cinzenta e
a tendência das relações íntimas é que aja naturalmente um afastamento. Na
verdade, há inclusive a necessidade de mais privacidade e isolamento, e se
afastar um pouco dos contatos mais íntimos pode ser uma maneira de salva-los ao
longo deste tipo de trânsito. É um trânsito que pode indicar divórcio
principalmente no mapa de homens ou mulheres que se relacionam romanticamente
com mulheres. Lidar com o feminino, com mulheres em geral , ou com pessoas que
demandam mais atenção (crianças, idosos), fica mais complicada. A relação com
mulheres se complica porque  de modo
geral elas são mais sensíveis e tendem a perceber mais prontamente a
negatividade que estaremos emanando. E as relações com indivíduos que demandam
cuidados se prejudicam porque nossa capacidade de cuidar de alguém (até de nós
mesmos) fica a desejar ao longo deste tipo de experiência. No mapa de mulheres
pode indicar desequilíbrios hormonais e problemas com o aparelho reprodutor (principalmente
orgâos internos). Outra parte do corpo que pode sofrer é o estômago, isso pra
ambos os sexos.
É um transito que pode trazer uma imensa letargia, desânimo,
fadiga ou preguiça generalisada. Uma energia inerte, aquilo que costumamos chamar
de “má vontade”. É uma energia desmotivadora, e nas pessoas com essa
tendência, pode deflagrar crises melancólicas ou depressivas. As áreas
simbolizadas pela lua no mapa natal serão fonte de temores (a maioria deles bem
fundamentados). A saúde corre o risco de sofrer muito mais pela possibilidade
de somatização das preocupações e a negatividade inerente a este tipo de
trânsito.
Não seria inteligente tomar decições importantes  sobre o andamento da vida sob uma influência
como essa. A tendência a ver tudo pelo prisma mais negativo poderia indicar
cortes prematuros de relacionamentos ou o abandono de projetos promissores. As
coisas na verdade podem estar perfeitamente normais, mas sua perspectiva é que
pode estar mais embotada e levar você a julgamentos imprecisos. Principalmente
porque a lua está longe de ser o elemento mais racional do nosso mapa.  
Na verdade, tudo o que foi dito até aqui é válido
principalmente para os aspectos tensos. De todos, a conjunção de Saturno com a
Lua é o com maiores probabilidades de indicar um estado letárgico, deprimido e
culminar em eventuais problemas de saúde. A oposição fala principalmente em  separações e isolamento emocional, e as
quadraturas trazem principalmente esse elemento da negatividade generalizada na
percepção do mundo. Mas em todos esses trânsitos percebemos essas manifestações
listadas antes, só que em diferentes proporções.

Os aspectos harmônicos (trígonos e sextis) não são
“fáceis” como somos tentados a penar, mas são menos negativos. Eles
nos trazem a oportunidade de encararmos nossas fraquezas emocionais
frontalmente . Lidamos com essas questões de maneira mais objetiva e madura,
principalmente pela capacidade de distanciamento que saturno concede. Há um
elemento de frieza, mas que tende a ser usado de maneira construtiva. Aqui as
decisões tomadas são abosultamente sóbrias, são na realidade momentos em que as
nossas emoções são neutralizadas e a razão é fortalecida. É um aspecto
extremamente favorável para todos os tipos de relações que envolvem grandes
diferenças de idade, seja do mais jovem com o mais velho, ou vice-versa. 

Os Trânsitos de Saturno com o Sol Natal

Esses dois planetas são ‘antagonistas’, portanto as
interações entre eles tendem a ser difíceis. esse antagonismo é óbvio quando
pensamos no fato de que Saturno rege Aquário, e o Sol rege Leão, signos que
naturalmente formam uma oposição. Na realidade Saturno é ‘antagonista’ da lua
também, porque rege Capricórnio, e o signo oposto a este é o domicílio da lua,
o signo de Câncer.  Sol e lua são
luminares, os grandes doadores de vida, o princípio básico do macho e da fêmea,
o calor e a umidade necessários pra que aja a fertilização. Já saturno é frio e
seco, e como antagonista dos doadores de vida, é o planeta que limita ou
destrói a vida, sendo associado com a velhice e com a morte.
No caso específico da relação de Saturno e Sol, O planeta do
tempo vem impor limites e exigir estruturações na vida do indivíduo de uma
maneira bastante abrangente. Mesmo os trânsitos harmônicos indicam dias mais
espartanos, regados a disciplina e esforço extra, enquanto que os trânsitos
tensos simbolizam aumento de responsabilidades , preocupações e alta
probabilidade de debilidade física.
O Sol é o ponto do mapa que fala em vitalidade,
centralidade, propósito, motivação. É a energia positiva básica, a alavanca,
aquilo que chamamos de energia que nos movimenta, motiva . Ele fala também no
que é mais importante pra cada um de nós, governando questões centrais na vida,
que durante um trânsito de saturno, entram em cheque. Isso cria uma sensação
pesada e desconfortável. Somos obrigados a nos apoiar mais em recursos
secundários,porque aqueles elementos mais fundamentais da nossa personalidade
entram em uma espécie de pane, onde o trânsito saturnino vem assinalar a
necessidade de se revisar a maneira como dirigimos essas questões, já que as
consideramos tão importantes.
Vamos supor que esse senso de centralidade na vida de uma
pessoa  esteja depositado na Carreira,
vida material, casamento, corpo, ou outra área qualquer da vida. De repente
essa área entra em pane. Se for o casamento ele entra em crise e a pessoa se vê
obrigada a reavaliar tudo o que viveu até aquele momento.  Se for a carreira, ela pode se dar conta de
que passou muito tempo da sua vida investindo em algo que simplesmente não a
leva adiante,ou pode ter optado por um curso de ação que ela descobre que é
ultrapassado, e precisa agora lidar com o peso das suas esolhas. Se for na vida
material, ela pode viver perdas ou um período de insegurança e magreza nesse
aspecto da vida, que a obrigam a se reorganizar completamente, até mesmo
abrindo mão de confortos e símbolos ultrapassados de segurança ou status. Se
for o corpo, ela  pode se ver impedida
por um problema de saúde ou acidente que limite seu raio de ação. Seja o que
for, o sol do indivíduo vai brilhar menos ao longo deste trânsito e a pessoa
precisa estar preparada pra viver uma crise em uma área axial da sua vida.
Independente daquilo que o sol simboliza na vida da pessoa,
esse momentâneo eclipse das funções solares é geralmente vivido como uma aparente
derrota, e a momentânea deficiência desperta os mais profundos sentimentos de
vergonha e frustração. É muito difícil encarar os elementos simbolizados pelo
sol do mapa natal com humildade e resignação, porque naquela área desejamos
brilhar, e aceitar as limitações do momento é aceitar uma derrota, é aceitar
que não se é tão bom quanto se julgava. A anos atrás você estava ótimo, mas
agora saturno vem mostrar que o tempo passou  e você não pôde manter o mesmo ritmo,
principalmente porque é impossível se manter constante, já que a passagem do
tempo implica em constantes mudanças de condições. O que Saturno em trânsito
assinala é a necessidade de abandonar uma maneira de viver a vida ou fazer as
coisas, e aceitar que é necessário assumir mais uma vez a postura do aprendiz.
A conjunção é
traiçoeira pra quem espera um período em que o tempo vai brindar as
características do sol da pessoa: Em geral é exatamente o contrário que
acontece. Saturno não é comemoração, ele não é o prêmio e ele não é agradável.
A visita de saturno em conjunção é como a visita de um inspetor da vigilância
sanitária em um restaurante sem aviso prévio, e vai depender do quanto você
trabalhou nos últimos anos pra se revelar como um momento de reafirmação, ou
momento de se abandonar projetos de vida e começar de novo.  Essa avaliação nunca é agradável, não importa
o quão bem avaliado você seja ao final. Independente do quanto se preparou, é
impossível que você chegue nesse momento com tudo no seu devido lugar, e as
áreas que precisarem de atenção vão se revelar de forma inquestionável,
causando o inevitável sentimento de vergonha e frustração. Aí será o momento de
corrigir os problemas, arrancar as ervas daninhas e podar aquilo que é bom, pra
que fique ainda melhor.
A quadratura
crescente
de saturno com o sol é uma crise que pode se caracterizar como um
período de inércia ou de bloqueios na vida, mas que forçam a pessoa a entrar em
movimento. Ela precisa aprender a agir mesmo quando as condições são
desfavoráveis , mesmo quando ela não se sente motivada e mesmo quando ela sabe
que o que vai fazer naquele momento não vai dar em nada. Mas elaprecisa olhar a
vida em perspectiva e entender que se não começar a se mover agora, quando as
coisas se tornarem mais fáceis ao invés de aproveitar a boa onda, a onda passa
por cima dela e ela continuará ainda por um bom tempo exatamente onde está.  Permanecer na inércia significa se condenar a
um futuro pobre nos próximos anos. Se a pessoa rompe com a visão negativa que
pode ter do mundo naquele momento, começa a pavimentar o caminho pra uma fase
de maior êxito na vida.
A oposição é um
climax desde que a pessoa tenha trabalhado ao longo dos últimos anos em algo
pra que possa agora viver o clímax desse projeto. Portanto, depende muito das
escolhas que ela fez no passado. O que acontece independente das escolhas, é
que a pessoa entra em uma fase de grande exposição, onde é invejada pelos seus
sucessos, e ferrenhamente criticada pelos seus tropeços. Em se tratando de
Saturno, não tem como esperar que a exposição seja a uma plateia
“positiva”. Na conjunção não somos expostos, nós incorporamos o
saturno e nós assumimos o papel daquele que julga, e o processo em geral é
muito mais internalizado. Na oposição, por mais seguros que estejamos  em relação ao que estivermos  fazendo, por mais acertadas que julguemos  as nossas esolhas e por mais alegria que nos
traga a nossa vida, teremos de conviver com pessoas que discordam do que
estamos  fazendo do início ao fim. Tanto
avaliações honestas quanto avaliações despeitadas, tanto a crítica construtiva
quanto a crítica mesquinha. Descobriremos que pra algumas pessoas nosso sucesso
causa sofrimento, e que pra outras nossos tropessos são motivo de júbilo.
Driblar esse período sem cair na tentação de agradar Gregos e Troianos vai ser o
desafio a ser superado, de maneira imperativa. É como se Gregos e Troianos
estivessem formando um complô neste momento, justamente pra testar suas
perseverança e a validade do que você se propõe a fazer.          
A quadratura
minguante
pode aparecer na forma de um grande desafio, um desafio em que a
pessoa sabe que  pra ela, naquele
momento, é insuperável, uma derrota certa. Mas o verdadeiro desafio aqui é
suportar aquilo que a vida lhe trouxer, por mais difícil que pareça, e por mais
iminente que seja a derrota. Porque lições valiozíssimas serão aprendidas nesse
processo. O importante aqui é não fugir do desafio, mas aceita-lo, e passar por
eventuais derrotas com resignação. A questão é que o sol é esse elemento
orgulhoso da nossa personalidade, que não aceita facilmente uma derrota. Então
podemos nos empenhar teimosamente em tentar vencer aquele desafio, feito sob
medida pra que não possa ser superado, ou, muito pior, fugir da situação, fugir
das próprias responsabilidades, por orgulho, pra não precisar admitir uma
derrota. Esse é um teste de resiliência , e o prêmio vem na forma de experiência.
Mesmo não vencendo o desafio, o que ocorre ao final é que a pessoa se torna
maior do que ele , ela cresce, amadurece e quando surgir algo parecido
novamente ela não terá problemas. Mas se ela fugir da raia … mais cedo ou
mais tarde terá que acertar as contas com Saturno, e geralmente a conjunção que
vem depois dessa quadratura  é pior para
aqueles que fugiram dos seus desafios da quadratura minguante.  
Saturno em Sextil ou trígono ao sol, tanto crescente quanto
minguante, fala em êxitos, e fala na necessidade de cuidar da manutenção
daquilo que já conquistamos. Nos aspectos harmônicos nós nos preparamos pros
desafios futuros, e se não tivemos um bom desempenho no desafio anterior,
tentamos correr atrás do prejuízo. Assumimos de maneira voluntária uma postura mais
espartana, disciplinada e frugal vizando poupar recursos, enrijescer estruturas
e nos fortalecer pra eventuais dificuldades. São também momentos em que temos
condições de estabelecer novos objetivos e concretizar coisas, principalmente
os trígonos que podem trazer fases de grande sucesso e realização.  
Na tabela abaixo veja as quadraturas crescentes e minguantes
em relação a todos os signos:
Signo
(cojunção)
quadratura
crescente
Signo
Oposto (oposição)
quadratura
minguante
Áries
Câncer
Libra
Capricórnio
Touro
Leão
Escorpião
Aquário
Gêmeos
Virgem
Sagitário
Peixes
Câncer
Libra
Capricórnio
Áries
Leão
Escorpião
Aquário
Touro
Virgem
Sagitário
Peixes
Gêmeos
Libra
Capricórnio
Áries
Câncer
Escorpião
Aquário
Touro
Leão
Sagitário
Peixes
Gêmeos
Virgem
Capricórnio
Áries
Câncer
Libra
Aquário
Touro
Leão
Escorpião
Peixes
Gêmeos
Virgem
Sagitário

Astrologia e Livre-arbítrio

Essa é sem dúvida uma questão delicada, justamente porque este é um dos argumento que é comumente usado contra a astrologia: “se a astrologia for verdade, então o livre-arbítrio não existe. Como o livre-arbítrio existe, logo a astrologia não existe, ou a astrologia não é verdade”.
Esse tipo de afirmação parte de um entendimento equivocado do que seja a astrologia, e parte principalmente de uma formulação equivocada da conceituação da astrologia propagada recentemente  e que é assumida pelo senso comum como a astrologia. Vamos dar uma olhada na descrição dada por um livro contemporâneo escrito por um historiador não-astrólogo sobre a astrologia, já que ele reflete o pensamento que o senso comum tem sobre a Astrologia, pensamento esse que é sustentado por um vasto número de astrólogos contemporâneos:
“Astrologia é o estudo das estrelas e planetas e do seu efeito sobre o comportamento humano. Ela assume que existe uma correspondência entre o céu e a terra, expressa pela frase ‘assim como é em cima, é embaixo’, e que a posição dos corpos celestes influencia personalidades, eventos e assuntos neste planeta. Acredita também que o microcosmo dos seres humanos espelha o macrocosmo do universo, isto é, ‘assim como é do lado de dentro, é do lado de fora’. Nascida da magia e do augúrio, a astrologia reflete um impulso primordial para prever o futuro e faz parte da antiga procura pelo auto-conhecimento. Desde a antiguidade, ela tem oferecido um caminho para atingir uma forma superior de consciência, uma visão mística do real. As estrelas há muito são vistas como portas para um outro mundo, e até como portões do céu.”  
Na verdade essa conceituação atual do que é a astrologia é muito mais uma formulação moderna. Nos livros de astrologia tradicional você não encontra esse tipo de definição, o que os autores tradicionais faziam era transmitir uma tradição, que não teve um momento certo de surgimento. O que temos é a datação dos registros mais antigos associados a uma prática rudimentar de astrologia, que tem mais de 6000 anos de existência. Assim o surgimento da astrologia data de uma época em que muita coisa recebia uma explicação mítica ou sagrada. Ao longo dos séculos a astrologia sofreu diversas metamorfoses, e a astrologia que usamos hoje em dia no ocidente passou antes pelas mãos de muitos povos em muitas épocas. É possível que cada um deles tivesse o seu entendimento do que era a astrologia na época, mas esse é um conhecimento que não chega até os dias de hoje com muita clareza, a não ser a partir de gregos e romanos. Mas já na época de gregos e romanos a astrologia já existia a pelo menos 3000 anos!   
Mas vamos pensar cuidadosamente no conceito que tiramos do livro. Em primeiro lugar, a astrologia não estuda ‘estrelas e planetas’ e estuda menos ainda os efeitos que ‘estrelas e planetas’ supostamente teriam sobre o comportamento humano. Quem estuda ‘estrelas e planetas’ é a Astronomia, ciência que durante muito tempo existiu apenas para suprir os dados necessários para a astrologia, além das necessidades de orientação marítima e  de marcação do tempo. Hoje em dia A Astronomia tem vida própria e vai muito além do que foi originalmente, o mesmo não podendo ser dito sobre a astrologia. A astronomia é hoje um saber totalmente independente e evoluiu de forma avassaladora. A astrologia continua ainda hoje precisando da astronomia da mesma forma como a astronomia era a séculos atrás, e isso ocorre porque o céu, objeto de estudo da astronomia, é usado como instrumento pela astrologia. E os conhecimentos usados pela astrologia são os mais rudimentares oferecidos pela astronomia, porque tem na maioria dos casos uma perspectiva geocêntrica. Isso é porque a astrologia trata da percepção do céu visível a partir da terra e do uso que se faz dele pra compreensão e acompanhamento do transcorrer do tempo.   
A astrologia durante milhares de anos não foi um estudo do comportamento humano, e continua a não se tratar disso. A psicologia é a ciência do comportamento humano e existe a menos de 200 anos. A astrologia existe a mais de 6000 anos e durante a maior parte da sua existência tratou de questões relacionadas ao tempo em circunstâncias e situações completamente mundanas. Dizer “que a astrologia reúne em si todo o conhecimento da antiguidade sobre a psicologia” chega a soar exagerado por que faz pensar que a psicologização da astrologia é um processo muito antigo. Mas antes do surgimento da psicologia jamais houve um interesse genuíno do homem sobre a sua subjetividade, a não ser o esboçado por alguns filósofos da antiguidade. Hoje em dia o uso da astrologia pra entendimento da personalidade e do comportamento humano pode até se justificar, mas isso ainda não faz da astrologia uma “ciência do comportamento”. A Psicologia é a ciência do comportamento. Usar a Astrologia em conjunto com a Psicologia é uma coisa, dizer que a astrologia é uma ciência comportamental é outra, e trata-se de um erro. Não é errado usar Astrologia e Psicologia de forma conjugada, mas é necessária essa diferenciação, e sim, ainda hoje a astrologia pode ser usada de forma completamente independente da psicologia, e muitos astrólogos usam a astrologia exclusivamente dessa forma. Muito embora a demanda maior na sociedade ocidental seja por esse modelo moderno que visa o autoconhecimento. 
“Ela assume que existe uma correspondência entre o céu e a terra, expressa pela frase ‘assim como é em cima, é embaixo’, e que a posição dos corpos celestes influencia personalidades, eventos e assuntos neste planeta.”
Não é bem assim. Colocando de forma simples, a Astrologia estuda a passagem do tempo procurando entender as qualidades de cada momento. O relógio usado na astrologia para marcar o tempo é o céu, onde os signos (e não as estrelas, e essa diferenciação é fundamental) marcam as horas, e onde os ponteiros são os planetas errantes. A astrologia não estuda eventos, não estuda pessoas , mas a astrologia é aplicada sobre eventos e pessoas. Porque eventos ocorrem num local do espaço-tempo, as pessoas nascem num local do espaço-tempo e tem uma trajetória que é a refletida pela indiferente passagem do tempo. É a qualidade do momento em que surge uma pessoa ou evento que é estudada pela astrologia, e é a trajetória no tempo feita pela pessoa ou evento ou coisa que são também estudas pela astrologia. Isso é astrologia.
Na meteorologia  a previsão do tempo é feita principalmente através de modelos que analisam condições atmosféricas baseados também no histórico  de dados relativos as condições climáticas no passado. Mas uma forma rudimentar de se prever o tempo é dizer, por exemplo, que aqui em Florianópolis estará mais frio em julho do que esteve em fevereiro. O conhecimento do fato de que sempre em todos os meses de  julho fez mais frio do que em fevereiro, me da segurança para dizer que certamente julho será mais frio do que fevereiro, ainda que possam ocorrer pontualmente determinados dias mais quentes em julho do que determinados dias de fevereiro. Da mesma forma uma previsão do tempo feita inclusive com imagens de satélite pode indicar a possibilidade de chuva, não garantir, porque existe o imprevisto, que talvez possa ser encarado como o “livre-arbítrio” do nosso planeta.
Fato é que a astrologia prevê o futuro com base no passado, ela dá significados ao futuro, descreve a qualidade de tempo que vamos experimentando com o passar dos dias, meses e anos, apontando também a relação da qualidade de tempo do momento atual com a qualidade de tempo original dada pelo momento do surgimento da pessoa, coisa ou evento. Não existem “influências”, é um estudo do desenrolar natural das coisas, do descortinar do tempo. O livre-arbítrio humano é absolutamente garantido, os astros são absolutamente indiferentes às sortes ou azares humanos. Ao longo do tempo desenvolveu-se toda uma tradição em torno dos significados de cada planeta, signo e lócus celeste, gerando o complexo sistema simbológico da astrologia, com o qual qualificamos o tempo.