Desenvolvimento cíclico no signo de gêmeos

Vamos acompanhar neste artigo uma abordagem de todos os signos do ponto de vista de um único signo, o signo de Gêmeos neste caso. Note que se trata de uma abordagem simbólica e interpretativa, não técnica, se aproximando mais de literatura do que de Astrologia. Mas nos apropriamos aqui de vários conceitos astrológicos pra construir nossa história.

Fase Nova

Gêmeos (casa 1): Existir é pensar.

O Signo de Gêmeos simboliza a dúvida , a incerteza e a contradição. Aqui não há confusão: há a percepção das oposições e contradições do mundo, das alternativas, da diversidade. Gêmeos são as perguntas que fazemos pra aprender. Gêmeos se locomove através das perguntas e questionamentos. E através de múltiplas pernas e múltiplos braços, 8 membros ao todo. Porque é um signo associado também a própria ideia de deslocamento.

Neste signo temos um conceito absoluto de liberdade, porque aqui a razão opera da maneira mais pura. É o signo que simboliza a curiosidade, a vontade de aprender. A curiosidade errante de gêmeos o leva ao mapeamento, e a ideia de espaço surge nesse estágio. Porque em Áries éramos indivíduo, em Touro eramos um indivíduo que tinha coisas. E em gêmeos somos um indivíduo que tem coisas em um determinado espaço. E gêmeos é o mapeamento deste espaço. Conhecemos a área, as redondezas, e assim vamos aprendendo com essas experiências. Percebemos que percorrer e aprender são sinônimos. Pra aprender, não podemos nos ater a uma ideia, vamos realizando conexões e saltando de uma ideia a outra vamos construindo pensamentos, ideias, conceitos.

Câncer (casa 2): a memória e o espaço como referências

A exploração indefinida traz o perigo de nos perdermos em um mar de novos locais que vão expandido nossa área conhecida ao ponto de perdermos o domínio do ir e vir. E o novos conceitos que vão se acumulando vão criando verdadeiras monstruosidades intelectuais, compostas de partes sem relação uma com a outra; Chegamos a um problema que só se soluciona quando vamos ao estágio seguinte.

Quando temos uma ideia ampla do espaço que mapeamos, ou do conceito que investigamos, temos condições de chegar ao centro dessa ideia, e de estabelecer uma referência no espaço. Essa referência no espaço podemos chamar de lar: É um ponto pra onde sempre vamos voltar, pra que não nos sintamos perdidos. Estabelecemos raízes e a partir dali podemos estabelecer mais sentido a nossa exploração. No plano das ideias estabelecemos a ideia central e a partir dela vamos orientando o aprendizado. Chegamos ao estágio de Câncer, onde definimos o nosso núcleo. Sem ele a periferia simbolizada por gêmeos não tem nenhuma referência.  Aqui gêmeos estabelece sentidos e a capacidade de se orientar. Ele está seguro agora!

Leão (casa 3): expressar-se é o que fazemos de melhor

Então no estágio seguinte , do sextil crescente, que pra gêmeos é o signo de leão, gêmeos começa a exercer o seu papel primordial que é o de se comunicar e se expressar. Nasce assim a literatura. Porque nesta altura conhecemos pouco do mundo, reunimos algumas experiências e impressões, e pra ir além, precisamos especular, e por que não, inventar. E aí começamos a contar histórias. Vamos misturando experiências numa alquimia mental experimental. E assim vão surgindo narrativas fantásticas. Pegamos um fato e com criatividade o melhoramos. Pegamos uma experiência insípida e tediosa e a transformamos em algo repleto de cores, ações e emoções.

Note que sem a referência canceriana, Gêmeos é incapaz de chegar a este ponto, porque pra uma narrativa ser convincente ela precisa ser norteada, tem que ter um rumo e uma referência, e é necessário um repertório mínimo, memória das experiências.  Assim gêmeos é capaz de florescer com criatividade e destreza no estágio leonino. Mas aqui gêmeos desenvolve a sua capacidade de dizer o que pensa, de expressar a sua opinião e de realizar um relato, todos elementos fundamentais da dinâmica geminiana. Talvez falte rigor, falte capacidade pra convencer a todos do que se diz, e quando é necessário que o outro acredite ou considere razoável a nossa história, precisamos nos fazer críveis. E então gêmeos chega ao seu primeiro desafio.

Fase Crescente

Virgem (casa 4) : Os fatos são a base de qualquer afirmação

No signo de Virgem, gêmeos chega a sua quadratura crescente. É o seu primeiro grande desafio. Neste signo Gêmeos precisa desenvolver metodologia, desenvolver senso de ética e senso de disciplina. Ele vai estipular e passar a obedecer regras. Porque Gêmeos quer sanar a sua angústia existencial, que é a dúvida! Pra chegar as respostas de que tanto precisa, gêmeos se vê obrigado a cessar com as brincadeiras, moderar a criatividade, dar um tempo com as invenções e experimentações irresponsáveis. E em virgem isso acontece, momentaneamente. E assim que os gêmeos se aquietam e abraçam um método, eles estão prontos pra crescer. Essa é a experiência que marca o início do processo de amadurecimento pra este signo. Do que adianta saber contar uma história maravilhosa se não temos credibilidade? Em Virgem o signo de gêmeos constrói essa credibilidade exercendo o respeito ao fato.

Assim surge a ideia de pesquisa, o estudo sério, que busca encontrar soluções para problemas reais. A precisão virginiana é limitante, mas ela recompensa neste caso. Mas gêmeos também é mentira, e em virgem gêmeos dá os primeiros passos em direção a maestria dessa arte. porque de nada adianta inventar uma história que não é factível, que não se encaixa na realidade. Se quiser convencer ao mentir, gêmeos deve aprender a trabalhar com o detalhe, com a minúcia.

E os gêmeos aprendem tudo isso. É chato, é maçante, mas a magia que isso proporciona, a magia de dizer e o de convencer (seja verdade, seja mentira) pra gêmeos é recompensador. Pra todos os signos, Virgem é também um estágio de preparação para o setor coletivo do zodíaco, quando lidamos com os outros, quando confrontamos narrativas. E esse confronto é a grande realização de gêmeos. Por isso o desafio virginiano é a fase crescente desse signo, não recompensa durante, mas é fundamental para o que vem depois.

Libra (casa 5) : A realização do diálogo depende do outro

No estágio seguinte que é o signo de Libra, em plena fase crescente, Gêmeos se realiza como em nenhum outro momento. É no campo coletivo que Gêmeos vai efetivamente se realizar e atingir seu máximo, e em Libra somos introduzidos ao campo da coletividade. É na interação com o outro que o propósito de gêmeos se efetiva. A comunicação precisa de um interlocutor, e pra ser plena, ele deve ser um equivalente, e é isso o que é fornecido pelo signo de Libra. É através da troca e do diálogo que gêmeos vai atingir a alegria plena.

A dialética, o debate, a confrontação de argumentos e experiências vividas por cada indivíduo é o campo de realização fundamental pra gêmeos. Sem leitores um jornal não tem razão de existir. Libra simboliza isso, esse público, os receptores da informação (enquanto que gêmeos é o próprio jornal ou a imprensa), porque Libra é o signo que introduz noções como a civilidade, o urbanismo e é neste tipo de cenário que podemos ver emergir algo como a imprensa, subproduto maior do signo de gêmeos. Todos os elementos básicos e fundamentais estão dados e a informação pode começar a circular.

Escorpião (Casa 6) : O último passo antes de se saber tudo

No estágio seguinte, o final da fase crescente é o signo de Escorpião. Neste ponto gêmeos se vale da ideia de investigação, de maneira invasiva. O signo de Escorpião é a ideia de intimidade, privacidade, mistério e segredo. Gêmeos não respeita a privacidade, e se valendo da sua arma, aparentemente ingênua, ele pergunta, investiga, sonda, especula, descobre e divulga, nem sempre a verdade, mas aquilo que aparece, seja lá o que for.

Quando pensamos em gêmeos como a imprensa, em escorpião ela se transforma em tabloide, e o signo de gêmeos começa a ir além dos limites do aceitável a partir deste ponto. Ele já está quase na fase cheia! Em libra, o império da civilidade tornava fácil a informação. Bastava perguntar, entrevistar e pronto, e tudo ocorre de maneira harmônica. Mas quando existe esse elemento incômodo pro mundo da informação – o segredo – ele precisa ser driblado. E ninguém consegue ir mais fundo neste contexto do que gêmeos. É por isso que, da perspectiva de Escorpião, Gêmeos é a casa 8, a casa da morte e da perda. Pra Gêmeos, Escorpião é casa 6: um empecilho.

Fase Cheia

Sagitário (Casa 7) : Todas as verdade são reveladas

Finalmente em Sagitário, Gêmeos tem acesso a um mundo (literalmente) de informações. Trata-se do segundo grande desafio de gêmeos, a oposição, seu signo oposto. Aqui todas as verdades ficam acessíveis, nada mais é escondido. Neste ponto Gêmeos consegue encontrar as respostas pra todas as suas dúvidas; E é estranho, porque nesse ponto de certa forma gêmeos começa a vislumbrar que a dúvida  (que é o que ele é em essência) vai começando a morrer, a definhar.

Num mundo onde todas as respostas estão dadas, qual a razão de perguntar ? Tudo o que se pergunta ja se sabe a resposta, porque alguém já disse, talvez ja tenha escrito. É uma questão de procurar. Essa é a fase cheia do signo de Gêmeos, onde se atinge o máximo de desenvolvimento. Logo após a oposição representada pela fase cheia, tem início o declínio, onde lentamente aquela energia começa a minguar. Ao mesmo tempo , essa energia atinge o auge da sua maturidade neste ponto. Em sagitário, gêmeos começa a perder o controle, as coisas começam a depender cada vez menos de si e ele precisa cooperar cada vez mais com os outros. Diferente de libra, esses outros em sagitário formam uma coletividade de opiniões, que frequentemente discordam do que gêmeos (a opinião individual) diz e pensa.

É por isso que o signo oposto é associado também a inimigos, porque isso implica em confrontações, onde gêmeos precisa ser flexível e administrar os pensamentos divergentes. Isso pode se dar também no campo da confrontação cultural, no choque de diferentes costumes e formas de ver a vida. No caso das informações, como nesse estágio elas são distribuídas pra uma grande coletividade, fica impossível se fazer convincente pra todos. Esse cenário coletivo também implica numa falta de domínio sobre o que se diz, e as coisas correm o risco de se deformarem na medida que vão se propagando de um para o outro. Até um ponto em que gêmeos se vê num cenário de competição. O que eu digo versus o que cada um pensa. Gêmeos perde a primazia da palavra, ela se transforma em algo de domínio público.

Agora gêmeos não é o único a pensar, não é o único a ter algo a dizer. Ele se depara com uma realidade estarrecedora: Enquanto ele, como indivíduo, vivia todo esse processo de evolução do seu pensamento até ao ponto da coisa chegar no nível da esfera pública, cada indivíduo, a sua maneira, passava pelo mesmo processo. E gêmeos agora precisa lidar com pessoas que sabem inclusive mais do que ele, e que tem um domínio maior do o dele sobre a informação. Na medida em que as coisas avançam e se chega ao estágio seguinte, isso atinge um nível ainda mais intenso.

Capricórnio (casa 8) : A autoridade é a assassina do pensamento

Em capricórnio a coletividade passa a ser controlada. Esse é o nível mais sofisticado do estágio coletivo, onde percebemos um forte elemento de hierarquização, onde existem figuras que exercem controle e autoridade. E essas figuras tentam controlar inclusive o que se diz e o que se pensa. A relação de gêmeos com essa energia não é nada amigável: formam contra-antíscion. Pra gêmeos, capricórnio é uma força opressora, limitante , inimiga da liberdade, é o que entendemos como censura, e no mundo das informações, nada representa melhor uma morte ou uma perda do que a censura. Pra capricórnio, gêmeos é um empecilho superficial e leviano, mas que ameaça sua ambição de controle absoluto sobre a coletividade.

E capricórnio não mede esforços pra tentar controlar a ação geminiana, mas nesse ponto ela já é mais madura, mais “safa”, é difícil, quase impossível de se controlar absolutamente. Mas é impossível também evitar um processo de prostituição das informações a serviço da autoridade que ameaça e limita. Na casa 8 há sempre um esquema baseado em poder do mais forte sobre o mais fraco, e também é a casa que nos fala sobre corrupção, especialmente se a relação se dá nesse nível.

Aquário (Casa 9) : Razão é Liberdade

Em Aquário, gêmeos se vê no estágio de máxima maturidade. O grande sonho do signo de Aquário é se tornar gêmeos um dia, porque gêmeos é a realização do ideal de liberdade total. Então nesse estágio Gêmeos é reconhecido e honrado como esse principio da razão primordial.  É a razão no seu estado mais puro de liberdade e de questionamento. Então no estágio aquariano, gêmeos é a experiência, é o objetivo completado e todos os seus predicados são celebrados. O legado que o signo de Gêmeos deixa, ao final da sua fase cheia , é o que o signo de Aquário simboliza: Custe o que custar, a única certeza é a mudança e a renovação. E Aquário significa a sabotagem de tudo o que exista pra que algo novo possa surgir. E é novamente, lá adiante, quando voltamos ao signo de Gêmeos que o signo de Aquário se efetiva.

A informação , a palavra e a curiosidade são deuses no estágio aquariano, ou seja, é um momento apoteótico para o que Gêmeos simboliza. Em aquário Gêmeos tem experiência , testou muitas teorias sobre a vida e se torna sabedoria plena e intuição: as informações não precisam ser buscadas, elas simplesmente vem sem esforço. O grande perigo neste estágio é a hubris: A casa 9 de todos os signos funciona dessa forma. Ao mesmo tempo em que você é elevado , e isso é maravilhoso, quanto mais alto você se encontra, mais alto é o precipício de onde você pode cair.

Fase Minguante

Peixes (Casa 10) : A razão não faz mais sentido

E chega a quadratura minguante. Peixes é o derradeiro desafio do signo de Gêmeos. E a quadratura minguante é um desafio onde não há possibilidade de vitória. Porque nesse ponto, alguma coisa no mundo vai exigir de nós tal nível de flexibilidade que seremos obrigados a abrir mão da nossa natureza. Esse é o grande desafio da maturidade: A realização total acarreta no abandono da nossa natureza, e esse abandono nos condena a deixar de existir na medida em que a fase minguante progride. Esse é o estágio que simboliza o fim, o definhar das energias. Mas o que ocasiona essa saída de cena do signo de gêmeos no estágio pisciano? A fantasia. O império das emoções, das impressões, pressentimentos, intuições. Os delírios, sonhos, vislumbres, presságios, profecias, as possessões espirituais. Em suma: TUDO, menos o uso da razão; A mitologia e a percepção enviesada pelas sensações substitui os fatos.

Peixes é um estado tal de confusão e de mistura que no final das contas, o que acontece é o esvaziamento dos princípios geminianos. Perguntar pra que, se na ausência de resposta a mesma vai ser inventada, ou o interlocutor vai vir com sua impressão das coisas ao invés do fato, do que é? A razão vive dias difíceis em Peixes. Uma alegoria pra pensar o que gêmeos vive é um tsunami: Até aqui, todos os desafios não foram o suficiente pra fazer com que os gêmeos se percam . Mas em Peixes vem uma onda irresistível, oceânica, infinita e caótica, e os gêmeos não são páreo , ninguém aliás, resiste ao caos trazido por peixes. E assim é como se os gêmeos se perdessem no caos da enchente. Os gêmeos se separam. E quando não estão mais juntos, eles deixam de ser gêmeos, o duplo.

Áries (Casa 11) : Existo, logo volto a pensar

A tragédia de Gêmeos é voltar a ser indivíduo. Em Áries gêmeos é aterrorizado com a ideia de unidade e autonomia (lembre-se que gêmeos são 2 originalmente). Áries é a amputação de um dos gêmeos. Mas nesse estágio gêmeos volta a raciocinar, o uso da razão, ainda que de forma solitária, é permitido. O diálogo não para , só que o gêmeos solitário, sem o seu par, é obrigado conversar consigo mesmo.

O foro íntimo , o diálogo interno é o que existe de Gêmeos no signo de Áries. E é este o princípio para a individuação em Áries. Mas pra gêmeos, esse momento é decadência, e ao mesmo tempo, é o momento de reencontro: Essas vozes que gêmeos ouve no estágio ariano, são o que formarão gêmeos no futuro. Em meio a decadência, sempre encontramos as sementes do nosso renascimento também neste estágio. Mas antes disso existe um último estágio, o derradeiro e o mais difícil na jornada de gêmeos.

Touro (Casa 12) : O corpo, o cárcere do pensamento

Em touro a ideia de imobilidade é a realização do seu maior pesadelo, é a definição de desespero pra gêmeos. A casa 12 geminiana é então esse momento de inércia , de foco na matéria (o grande limitador de gêmeos), a ideia de corpo físico que limita, que prende. Em áries, estágio anterior, descobrimos que nosso duplo na verdade estava o tempo inteiro dentro de nós; Touro simboliza a prisão do duplo, dentro de um corpo. Quando pensamos na casa 12 como prisão, o corpo simbolizado por touro é perfeito pra se pensar numa prisão do próprio pensamento. E gêmeos é um signo tão mental, tão racional, tão cerebral , que fica fácil se esquecer daquilo que o contém e que lhe aprisiona.

Simbolicamente, a alegoria ideal é a de um corpo que se contorce em agonia: Na realidade trata-se de uma alma em busca de liberdade. Essa liberdade é construída quando esse corpo se parte, se rachando ao meio, havendo uma divisão. A divisão ocorre até o ponto em que existem dois corpos, dois indivíduos novamente, havendo porém um momento em que temos gêmeos siameses, unidos fisicamente.  Essa visão dramática de dois corpos unidos, como vemos nos siameses, é o ícone ideal pra se pensar na casa 12 geminiana.  E havendo ao menos dois indivíduos, o pensamento não se sente mais preso ao corpo, porque no estágio seguinte, Gêmeos de novo, ele descobre que pode sair do corpo através da comunicação, seja falada ou escrita. E aí chegamos em gêmeos quando a divisão se completa;

Compartilhe nosso conteúdo nas redes sociais:
error

1 opinião sobre “Desenvolvimento cíclico no signo de gêmeos”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.