A constelação de Cancer

A constelação de Câncer, de todas as que fazem parte do
zodíaco é uma das mais obscuras, principalmente pela sua discrição e
dificuldade de visualização. Suas estrelas não são muito brilhantes e ela ocupa
um espaço relativamente pequeno no céu. É como se ali fosse uma região mais
escura e inacessível digamos assim. Sua figura é a de um Caranguejo, mas sofreu
alterações ao longo dos séculos, tendo sido representada como um lagostim, uma
lagosta e até mesmo uma tartaruga. A representação como caranguejo tem ao menos
2000 anos de existência. É uma região do céu tida como “portal das almas” em
algumas referências, e como berço do zodíaco (pelo fato de que de acordo com a
tradição, o thema Mundi teria lua e ascendente em câncer). Sua associação com o
fundo do céu também lhe associou direta e indiretamente ao subterrâneo, aos
mundos invisíveis e ao que entendemos como inferno.
Ela se localiza atualmente na região do zodíaco tropical que
vai entre 28° de Câncer e 17° de Leão. Tem como vizinhas as constelações de Leão,
Gêmeos, Cão Menor, Lince  e Hidra.  
O Caranguejo presente na figura é o mesmo que serviu a deusa
Hera no Olimpo quando esta desejou atrapalhar Hércules quando ele enfrentava a
Hidra de Lerna. Hera era a esposa de Zeus, pai de Hércules, que teve este filho
com uma mortal, despertando a ira e o desejo de vingança de Hera a todo custo. Sabendo
que Hércules iria até os pântanos de Lerna para e enfrentar a Hidra (monstro
cuja cabeça, se decepada, dava origem a outras duas cabeças), Hera enviou o
Caranguejo pra atrapalhar Hercules em sua batalha. O caranguejo mordeu o
calcanhar do herói, e por reflexo, Hércules pisou no corpo da criatura esmagando-a.
Como agradecimento aos serviços prestados, Hera colocou seu servo em uma
constelação do zodíaco.
Podemos dizer então que a constelação de Câncer tem uma relação
direta com a deusa Hera. Se levarmos em conta que Hera era a grande deusa dos
homens (e aqui ‘homens’ está como sentido de povo e não em relação a um gênero
específico) e a esposa do maior dentre os deuses, a associação não fica tão
distante. Câncer é o domicílio da Lua, planeta associado às mulheres e
principalmente as mães e esposas. E é também exaltação de Júpiter, planeta que
representa o próprio Zeus. Além disso, Hera presidia o casamento, o parto e era
simbolizada por uma vaca. Tinha uma associação forte ao conceito de terra, de
lar e muitas vezes ela era confundida com Gaia, a deusa que personificava o
planeta Terra em si. Sua fruta símbolo era a romã, fruta que simboliza o elemento
biológico da feminilidade (como símbolo da fertilidade e da menstruação). É
curioso como a representação de Hera na Grécia antiga tem hoje analogia
direta  com a mulher do islã. Nos
templos, ela era frequentemente representada como uma figura toda coberta ,
apenas com os olhos de fora, como as mulheres islâmicas que hoje em dia usam a
burca em público. Era somente dessa maneira que ela aparecia diante dos
mortais, e frequentemente ela é associada a um olho vigilante. É principalmente
por isso que o Pavão é também seu animal: As penas do pavão contem um desenho que
lembra um olho humano, o olho de Hera. Outra história indica os olhos nas penas
do pavão na realidade foram colocados ali pela própria deusa em homenagem a
Argus que morreu enquanto mantinha uma inimiga de Hera cativa e sob vigilância (tratava-se
de Io, uma das amantes de Zeus).  
O caranguejo sempre foi um símbolo lunar por excelência e
estava associado as marés e as fases da lua. Suas características fisiológicas
tem um simbolismo direto com o que entendemos como o signo de Câncer e sua
associação ao universo das emoções. O corpo encouraçado e a aparência aguerrida
(com as garras e tudo mais) abriga um interior frágil e delicado, como é a
personalidade do Canceriano típico: Defensiva, porém frágil e emotiva. Animais
semelhantes (e que frequentemente são confundidos e hoje são classificados no
mesmo grupo biológico do caranguejo), como a Lagosta e o lagostim também já figuraram
como emblemas da constelação de Câncer.
Mas uma das representações mais antigas desta constelação
não tinha um caranguejo como símbolo, mas sim uma tartaruga. Ela data de 3000 a
4000 anos antes de Cristo e era compartilhada entre a Mesopotâmia e o Egito
antigo. A tartaruga é um animal símbolo da ancestralidade, das coisas antigas
(o passado que é da alçada de Câncer) e do lar, porque seu próprio corpo serve,
no imaginário popular, como sua casa. A lentidão, paciência e tenacidade são
outras características associadas as tartarugas. Especialmente quando pensamos
nas grandiosas e ultra longevas tartarugas marinhas, temos a simbologia
perfeita. Além disso, existem lendas vindas da China e da Índia que retratam o
mundo como sendo na realidade uma tartaruga gigantesca nadando no universo (o
espaço). Nessas lendas, as tartarugas são a terra, o planeta, e o universo
(onde estão as estrelas, por exemplo) o equivalente ao oceano. Nós, humanos,
assim como nossas casas e as árvores e outros animais somos como carrapatos ou
pulgas vivendo sobre o casco desta tartaruga.
Num Egito mais recente (entre 2000  e 1000 antes de cristo) um outro simbolismo
para esta constelação era o do Escaravelho. O Escaravelho era sempre visto
rolando esferas feitas de esterco das quais eles se alimentam e onde depositam
seus ovos em direção as suas tocas. Essa imagem deu origem a lenda de que o Sol
seria o equivalente a uma bolinha de esterco sendo rolada por um escaravelho ao
longo do dia. O por do sol é o momento em que o escaravelho leva a sua bolinha
pra dentro da sua toca. Câncer, signo associado a ideia de Meia-noite acabava
simbolizando a toca do escaravelho. Além disso, no escaravelho vemos
características similares ao caranguejo: Sua aparência é aguerrida, o corpo tem
uma espécie de carapaça, tudo isso ocultando um interior frágil e uma natureza
que na realidade é muito  dócil.
Um elemento curioso presente na constelação de Câncer é o
aglomerado estelar conhecido como presépio ou Colméia. Esse aglomerado fica bem
no centro da constelação de Câncer e na tradição chinesa, ele representava um
portal por onde as almas de todas as pessoas entravam e saíam do mundo.  O “presépio” vem da tradição cristã e é o
local de nascimento do cristo. Duas estrelas ao redor do presépio
representariam dois jumentos que testemunharam o nascimento de cristo. Assim
esse aglomerado tem toda uma conotação ligada a nascimento; Quando pensamos
nesse aglomerado como sendo a Colmeia (designação mais antiga) nos vem a ideia
de lar (para as abelhas) e de alimento, porque é das colmeias que extraímos o
mel.
Câncer tem poucas estrelas e elas também não são muito
brilhantes e nem se destacam muito.
Al Tarf é a estrela Beta , localizada atualmente aos 04° de
Leão
.  Essa estrela já fez parte da
constelação de Leão e atualmente é o extremo sul, na base do corpo do
Caranguejo, em suas últimas patas. Como as outras estrelas de Câncer, não tem
uma reputação muito boa e pode ser uma significadora de fragilidade justamente por
estar sobre o corpo do caranguejo, a parte que foi esmagada por Hércules. É da
natureza de Mercúrio.
Praesaepe (Presépio), bem como Asellus Borealis e Asellus
Austral
, atualmente entre 07° e 08° de Leão tem um sentido mais complexo e são
significadoras de grande responsabilidade. O presépio é a própria manjedoura
onde nasce o cristo e Asellus são os dois jumentos que vigiam o nascimento. É
digno de nota o fato de que essa alegoria está inserida dentro do corpo do
caranguejo, a região que é mais frágil e que é protegida pela carapaça. É
basicamente por isso que a reputação dessas estrelas não parece tão boa, porque
estão relacionadas ao manejo de situações difíceis, delicadas ou complexas ao
longo da vida. A Colmeia é também um símbolo de esquemas grandiosos de trabalho
que envolvem liderança. A pessoa influenciada por essas estrelas pode ter
grandes responsabilidades ao longo da vida e ser escalada para administrar
situações muito delicadas, pode ser responsável por pessoas mais frágeis ou
indefesas e situações desse tipo.      

Acubens é a estrela Alfa de Câncer e atualmente se localiza
em 13° de Leão. Está colocada sobre a garra do caranguejo e por esse motivo já tem
uma conotação mais marciana, porque a garra é a arma deste tipo de animal. É o
instrumento da inveja/ciúmes de Hera, porque foi com essa garra que o
caranguejo tentou atrapalhar Hércules, sem sucesso. Assim os nativos podem
tanto ser  invejosos em alguma situações
e eventualmente tentarem agir como o caranguejo agiu com Hércules, quanto serem
 as vítimas da inveja de outros. As vezes
a família ou lugar de origem pode ter uma influência opressora sobre a pessoa.
Basta observarmos o comportamento dos caranguejos quando são colocados em uma
panela: quando um tenta fugir, outro o segura com a garra, numa
confraternização familiar macabra. Esse efeito pode ser observado
principalmente vindo da parte de irmãos, colegas ou outros parentes – pessoas que
deveriam as vezes ajudar, apoiar ou estimular,  e que numa tentativa de proteger ao outro,
acabam impedindo ou atrapalhando seu sucesso. De qualquer maneira, como a garra
do caranguejo também é uma pinça, em geral o nativo é inteligente, detalhista e
a estrela em si é um indicativo de grande força de caráter com potencial de
leva-lo ao sucesso. Mas deve estar atento a eventuais rasteiras vindas de pessoas
próximas e a tendência a tentar sabotar seus inimigos de maneira desleal.    

Os Trânsitos de Júpiter

Júpiter recebe a alcunha de “o Grande benéfico” e
seu trânsito representa um ciclo associado a crescimento, abundância e
oportunidades. É um planeta relativamente rápido, com um ciclo total que dura
cerca de 12 anos , passando cerca de 1 ano em cada signo. Características
principais do trânsito de Júpiter:
*Oportunidades, ajuda, favores, retribuição
*Abundância, prosperidade
*Crescimento, progresso
*facilitação, simplificação, liberação
*Otimismo, alegria, vitalidade
*Expansão, educação, viagens, religiosidade, filosofia
No lado negativo, quando tenso ou passando por signos que
corrompem sua expressão, Júpiter pode ter as seguintes características
dependendo do contexto:
*exagero, falta de limite, desestruturação, desorganização
*oportunismo, ingratidão
*hedonismo, irresponsabilidade, vícios
*ansiedade, irrealismo, ambição exagerada e sem fundamentos
*escárnio, mentira, desonestidade, hipocrisia,
difamação 
Na maioria dos casos, Júpiter vai expressar qualidades boas,
até mesmo quando ele está em um de seus detrimentos, com as qualidades
negativas podendo aparecer junto das boas, dependendo de quem vivencia o
trânsito se dará vazão a expressão deformada de Júpiter ou não. Isso acontece
não exatamente por uma questão de “livre arbítrio”, mas por uma questão
de maturidade e inteligência. Se a pessoa for esperta, mesmo sendo jovem ela
saberá driblar os efeitos ruins de Júpiter. E quanto mais experiente, mais
fácil será pra uma pessoa reconhecer e evitar as armadilhas de Júpiter.
Júpiter, assim como todos os outros planetas, não tem uma
velocidade uniforme, ficando ligeiramente mais lento ou mais rápido a depender
do fato de estar passando próximo do Afélio ou do Periélio.  O Afélio de Júpiter, isto é, o ponto em que
ele fica mais distante do sol, está atualmente nos arredores dos 24° de Libra.
O periélio, que é o ponto em que Júpiter fica mais próximo do sol,  fica aproximadamente aos 03° de Áries. No
Afélio, o planeta fica mais lento, e no periélio fica mais rápido. Isso ajuda a
explicar a estrutura de retrogradações de Júpiter. Na tabela abaixo você vai
ver os graus em que Júpiter estacionou antes de ficar retrógrado ao longo do
seu ciclo nos últimos anos e também nos próximos: 

É possível ver claramente que entre os signos que vão de
Leão a Sagitário, a velocidade de Júpiter diminui a tal ponto em que as
retrogradações ocorrem nos mesmos graus dentro de um mesmo ciclo, com Júpiter
avançando cerca 30° por ano. Já entre os signos de Capricórnio a Câncer,
percebemos que a velocidade vai aumentando a partir de Capricórnio até atingir
um máximo entre Peixes e Áries, quando vai diminuindo até Câncer. Percebemos
isso porque, num mesmo ciclo, o grau onde Júpiter estaciona vai avançando,
indicando que Júpiter  avança entre 32° e
37° por ano quando passa pela região próxima ao periélio.
As retrogradações de Júpiter duram cerca de 4 meses, e a
zona de sombra compreende uma área de aproximadamente 10° de longitude
zodiacal. Por exemplo, a próxima retrogradação de Júpiter vai ocorrer entre 22°
e 12° do signo de Leão. Quando retrógrado, a manifestação de júpiter é mais
medíocre, com os efeitos negativos dos trânsitos mais tensos se fazendo
presentes com maior intensidade e com os efeitos benéficos dos trânsitos
considerados bons diminuídos consideravelmente. Os pontos de estacionamento são
muito importantes, com o ponto do primeiro estacionamento sendo mais negativo,
justamente por representar o início do movimento retrógrado. O segundo
estacionamento, apesar de também ser tenso, tem uma característica de ser mais
promissor porque retoma o movimento direto.    
Júpiter funciona melhor no signo de Sagitário. Em nenhum
outro signo sua expressão será tão forte. Isso ocorre porque em Sagitário
Júpiter além de ter domicílio tem também triplicidade. Peixes é o outro
domicílio de Júpiter, sendo o segundo local mais forte. Câncer é a exaltação de
Júpiter, e por isso é o terceiro local mais forte. Esses três signos,
Sagitário, Peixes e Câncer são por isso chamados as vezes de “signos de
Júpiter”, porque são os locais do zodíaco onde as promessas de Júpiter se
manifestam de maneira mais efetiva e volumosa.
Nos signos de Leão e Áries, Júpiter tem triplicidade
noturna, então essas são regiões do zodíaco em que a expressão de Júpiter é
considerada mediana, acima do medíocre. Nos signos de Libra e Aquário, Júpiter
tem triplicidade participativa. Neste caso a dignidade é menor , servindo tão
somente pra indicar que o planeta ao menos não é peregrino, e a expressão de
júpiter é mediana, mas já imersa na zona de mediocridade, portanto não se deve
esperar muito. Nos signos de Touro e Escorpião Júpiter é peregrino, mas ao
menos não tem nenhuma debilidade maior. São signos em que a expressão de
Júpiter é muito pobre, mas ainda não pode ser considerada daninha.   
Em Gêmeos, que é um signo de ar, Júpiter tem uma dignidade
pequena e uma debilidade maior. Isso faz com que, das 3 debilidades maiores de Júpiter, essa seja a “menos pior”. Neste signo Júpiter tem a fraca
triplicidade participativa (como em Aquário e Libra) e o detrimento (como em
Virgem). Aqui a expressão de Júpiter vai na direção da alegria, da empolgação e
do entusiasmo, o que é bom. Mas neste signo Júpiter acaba descambando
facilmente para o exagero, para a desonestidade e para a decepção porque ele também
age de maneira mesquinha e cética neste signo.
Em Capricórnio Júpiter é peregrino, não tem nenhum tipo de
dignidade, e tem a debilidade menor da queda. Alguns autores mais antigos
consideravam a queda como sendo pior do que o detrimento, hoje em dia a
tendência é que se pense o contrário. Este signo tem uma expressão pessimista,
que despreza tudo o que vem de maneira fácil ou gratuita e que além disso é
cética. Isso faz com que o aproveitamento das benesses jupiterianas seja mínimo,
principalmente em função do pessimismo e da tendência a se colocar as
oportunidades em dúvida. Talvez por isso a expressão de Júpiter aqui seja tão
pobre.
Virgem é detrimento de Júpiter, assim como Gêmeos, mas este
signo tem um agravante: Aqui Júpiter também é peregrino, ou seja, não tem
dignidades. Até mesmo os termos de Júpiter neste signo ocupam uma área
reduzida. Aqui o principal problema é a tendência frugal, econômica e mesquinha
do signo de Virgem, que deterioram a expressão de Júpiter, planeta da
generosidade. O que acontece é que aqui Júpiter vai prometer e vai conseguir
cumprir muito pouco, em alguns casos nada. Assim como Capricórnio, este signo é
também cético e pessimista, principalmente cético, perdendo oportunidades
simplesmente por não dar crédito a elas. Características virginianas se
deformam neste signo, com a crítica vindo acompanhada de escárnio, a prestatividade
se manifestando de forma exagerada ou inconveniente e um excesso de  modéstia atuando de maneira a impedir a
atuação benévola de Júpiter na vida da pessoa. 
O trânsito de Júpiter pode ser avaliado de 4 formas:
O ciclo de Júpiter em relação a ele mesmo


É um ciclo relacionado a um movimento geracional, marcando
fases da vida aproximadamente a cada 12 anos quando ocorre o chamado retorno de
Júpiter, que é a conjunção de Júpiter em trânsito com o Júpiter natal. Este
ciclo tem um caráter mais impessoal porque está relacionado a mudanças típicas
de idade. Vivemos retornos de Júpiter aproximadamente aos 12, 24,36, 48, 60,
72, 84 e 96 anos e cada retorno marca uma fase de atualização do nosso papel
social num espectro coletivo. O que podemos aprender com o mundo que nos cerca?
O que temos a ensinar a este mundo? O retorno de Júpiter redefine os temas
jupiterianos e gera novas perspectivas para a vida.
O retorno de Júpiter marca uma fase de renovação das
expectativas em relação a vida, um movimento de renovação da fé. Ao longo da
vida somos submetidos a toda sorte de experiências, algumas desafiadores a
ponto de nos encher de dúvidas e pessimismo. O retorno de Júpiter é a fase em
que ocorre uma renovação do nosso “pacto” com a vida onde reafirmamos
nossos objetivos ou passamos a ir em outras direções. É um trânsito que pode
atuar de forma abstrata, havendo somente um redirecionamento a nível mental.
Mas nos casos em que Júpiter é forte no mapa, essa renovação se dá através do
surgimento de algum tipo de oportunidade de crescimento que leva a pessoa na
direção certa pra realização de suas aspirações.
A conjunção de Júpiter em trânsito com o Júpiter natal marca
o início da fase crescente deste ciclo, caracterizado por crescimento e
expansão a nível pessoal, incluindo o aspecto material. A oposição de Júpiter
com o Júpiter natal marca um momento em que esse processo de expansão pessoal
diminui dando o lugar a uma fase em que o crescimento e a expansão deve ser
buscada junto ao meio, através da sociedade e dos relacionamentos. É a fase
minguante.  Perseguir metas muito
estreitas e egoístas durante essa fase podem marcar o período como uma fase
árida. Cada uma das duas fases dura cerca de 6 anos cada.    
O ciclo de Júpiter em relação ao Sol
Este é um ciclo importante e que atua num nível muito mais
pessoal. Ele está relacionado a períodos de aumento e diminuição na
individualidade, no senso de importância, na autoconfiança e na fé.
Basicamente, quando Júpiter está crescente em relação  ao Sol ele aumenta gradualmente os níveis de
autoconfiança. A conjunção de Júpiter com o Sol é uma descarga de energia que
finda um período de energias mais baixas, concentrada e até tensionadas. O
período crescente é mais alegre, otimista e espontâneo, especialmente após a
quadratura crescente.  A conjunção marca
o início do período crescente, e depois dela, gradualmente os níveis de
confiança e a voracidade com que a pessoa parte pra vida vão aumentando até
chegarem a um nível de exagero problemático, até chegar  a Oposição, quando ocorre a inversão do
ciclo. A Oposição pode ser tão favorável quanto a conjunção mas ela assinala
problemas muito mais sérios relacionados aos excessos típicos de trânsitos de
Júpiter.

A oposição é o aspecto que marca o início da fase minguante
em que as energias vão diminuindo gradativamente, especialmente após a
quadratura minguante. Essa diminuição tem a função de orientar a pessoa em
direção ao seu centro, aumentando foco, concentração e empenho pra ações
futuras. Essa fase é marcada por mais disciplina e autocontrole, especialmente
durante o quarto minguante.   
O ciclo de Júpiter ao redor das 12 casas do mapa
Talvez
este seja o ciclo mais interessante num sentido localizado, porque ele mostra
as áreas da vida em que o planeta Júpiter estará trazendo maiores oportunidades
de crescimento e prosperidade. Podemos dizer que esse trânsito é mais favorável
entre as casas 9, 10, 11, 12, 1 e 2. As demais casas podem não ser tão
interessantes, com exceção da casa 4 e casa 7 a depender da natureza dos aspectos
que ocorrem ali. Isso ocorre porque júpiter tem domínio natural sobre as casas
9 (fé e viagens) e 2 (patrimônio e riquezas) , e tem júbilo na casa 11 (sorte e
amizades). Nas casas 10 (carreira e imagem pública) e 1 (corpo, saúde e
personalidade), que são as principais casas do mapa, é sempre interessante o
trânsito de um benéfico. A única exceção pode ser a passagem de júpiter pela
casa 12 que não tende a ser tão agradável, especialmente se os aspectos que
ocorrem no interior dessa casa são mais tensos. 
Os
diversos aspectos que Júpiter pode fazer com cada planeta
Existem ainda os aspectos que Júpiter pode fazer com todos os demais pontos do mapa, como a Lua, Vênus e Saturno por exemplo.