O Sol

O sol é o centro do nosso sistema solar, é a estrela em torno da qual giram todos os planetas e corpos que compõe tal sistema. Em todas as religiões e culturas, desde as mais antigas, o sol sempre teve importância e foi cultuado por motivos evidentes. O sol é o grande provedor de luz e calor para o nosso planeta, o movimento da terra em torno do sol é responsável pelas estações do ano e a própria rotação da terra em torno de si mesma gera a alternância entre dia e noite, sempre que determinada região do globo estiver voltada para o sol será dia neste local. Assim vemos o quanto o sol é importante, por atuar como base para a definição da localização dos humanos no tempo. A maioria dos calendários tem base nos movimentos do sol e da lua, os chamados luminares. O sol por ser visível somente durante o dia é o luminar diurno. A lua, de acordo com sua posição relativa ao sol é o único luminar visível à noite, apesar de não ser sempre invisível ao longo do dia, ela é o luminar noturno. A manutenção da vida no planeta depende totalmente do sol, uma vez que a base da cadeia alimentar se encontra no reino vegetal que produz seu alimento graças à ação do astro rei, através da fotossíntese.

Para astrologia sem dúvida nenhuma o sol tem grande importância, apesar de não tanta quanto sugerem algumas vertentes modernas. A criação dos horóscopos de jornal e a popularidade dos signos solares divulgados em revistas podem levar a crer que o sol seria o fator principal, em termos psicológicos, a determinar o caráter de alguém, a falar de personalidade. Os fatores principais no mapa astrológico são Ascendente, lua e sol, com esses três fatores tendo peso igual em influência. O que levou a popularização justamente do signo solar, em detrimento da lua (natureza íntima, emocional, subjetiva) e do ascendente (o que é exteriorizado, as manifestações de comportamento, a personalidade propriamente dita)? Para determinar o posicionamento da lua com precisão é necessário o horário de nascimento da pessoa, pois a lua é muito rápida (permanece em média dois dias e meio em cada signo) e para o ascendente é necessário ainda um cálculo muito mais complexo. A única forma encontrada de tornar a astrologia popular foi através da astrologia do signo solar, os famosos horóscopos de jornal. Esta é uma criação relativamente recente e é interessante frisar que o signo solar é muito pouco, é praticamente nada pra se falar do caráter essencial de um indivíduo. O posicionamento dos planetas (todos e não só o sol) por casa e signo, os aspectos existentes, os dispositores, etc; o mapa astrológico é algo muito mais complexo. Mas o sol é simples se deduzir em que signo estava, basta você saber o dia que você nasceu e pronto, está resolvido. A questão é que o signo solar não fala da sua personalidade. Você vai descobrir muito mais sobre você mesmo analisando sua lua e seu ascendente, isso só pra começar. Mas por que é que as pessoas se identificam tanto com o signo delas (signo solar, diga-se de passagem)?

O sol pode ser considerado o centro do nosso mapa. Ele será simbolicamente a figura central, o doador de calor e energia. O pai e todas as figuras de autoridade são simbolizadas pelo sol. A palavra “importância” é chave pra se falar no sol. O centro da sua vida, aquilo que pra você é mais importante, é o que está simbolizado pelo sol. Então o sol não é você, mas ele é o seu centro, ele é aquilo que naturalmente tem muita importância, é algo na sua vida em constante estado de entronização. Todas as coisas representadas pelo signo onde estava o seu sol serão sacralizadas automaticamente por você, seus discursos sobre o que é a verdade, sobre o que é importante serão fortemente marcados por tudo aquilo. Haverá muita identificação da sua parte por todas as coisas representadas pelo seu signo solar, sem que necessariamente você seja aquelas coisas. Da mesma forma que os homens primitivos adoravam o sol justamente pelo seu caráter de evidência, por ser a representação essencial do que conhecemos como “poder” e “importância” (quando o sol nasce ele ofusca todos os demais planetas e estrelas), no nosso mapa teremos uma postura muito semelhante a desses ditos homens primitivos em relação a tudo o que está representado pelo sol.

Por representar justamente aquilo ao que damos tanta importância, nosso discurso pode ser permeado por estes significados solares arraigados, exageradamente conscientes e dominantes em nossa psique, que praticamente ofuscam a nossa verdade essencial (o mapa em si). Ficamos cegos diante daquilo que brilha mais, da mesa forma que os ditos homens primitivos ficavam diante do sol, ao qual inclusive encaravam como Deus.

Tradicionalmente o domicílio do sol é leão e a exaltação é Áries. Ter o sol em Áries significa dar importância para si mesmo acima de qualquer coisa, significa considerar o ato de se colocar em primeiro lugar e qualquer atitude iniciadora como algo primordial. Ter o sol em leão significa considerar todas as manifestações do eu como aquilo que existe de mais importante. Para o sol em leão deixar uma marca no mundo é a o que pode existir de mais essencial na vida. Portanto é bom o sol e um desses dois signos, não porque a pessoa será melhor por algum motivo mágico, mas porque ela dará importância para coisas precisam ter importância, importar-se consigo mesmo e com suas vontades mais do que com qualquer outra coisa é algo muito positivo, além de trazer mais benefícios. Diz-se que o sol está em detrimento quando está em aquário, e que o sol está em queda quando em Libra. O sol em aquário considerará importante a igualdade entre todos os indivíduos e a rejeição de toda e qualquer forma de autoridade: É algo que vai contra o princípio solar, que simboliza autoridade em si mesmo, e que não trás benefícios diretos para o indivíduo. O Sol em libra irá considerar a manutenção do relacionamento, o outro, mais importante do que ela mesma. Essa é a lógica das dignidades e debilidades no sol, nas dignidades as coisas certas são as que recebem importância, nas debilidades são as coisas que não trazem benefícios diretos para o indivíduo.

Como Calcular o Mapa Astral ? II

Continuando com nossa empreitada, portanto, agora que já aprendemos a tecer o esqueleto do nosso mapa, determinando o posicionamento de todas as cúspides, vamos aprender a descobrir o posicionamento dos planetas, o que na verdade é muito simples. Basta um certo conhecimento em aritmética básica, e saber calcular em graus. Tudo o que você vai precisar é de efemérides para o ano de nascimento da pessoa. Caso você tenha caído neste post por acaso, saiba que ele é continuação deste outro –> como calcular mapa astral?

Existem diferentes tipos de efemérides, mas a imensa maioria delas calcula o posicionamento dos astros para zero hora de Greenwich (a efeméride cujo link eu postei é calculada nessas condições). Sendo assim, precisamos determinar que horas eram em Greenwich no momento em que a pessoa nasceu, pra consultar tais efemérides.

O nome dado aos fusos horários ajuda bastante no cálculo. Por exemplo, no fuso horário conhecido como +8 encontramos a cidade de Xangai, na China. Se em Xangai são 19:00, como o fuso da região é o +8, significa que ali é 8 horas a mais do que em Greenwich. É isso mesmo, o nome desses fusos é todo baseado no meridiano de Greenwich, que por acaso é o meridiano zero. Assim, se em Xangai são 19:00 , em Greenwich serão 11:00, já que em Xangai é sempre 8 horas mais tarde do que em Greenwich.

Regina nasceu na cidade de Franca, interior de São Paulo, as 5:45AM, no fuso horário conhecido como -3. Isso significa que em franca sempre será 3 horas mais cedo do que em Greenwich, exceto quando ocorre horário de verão. Assim, quando Regina nasceu, la em Greenwich já eram 8:45AM.

Antes de partirmos para a próxima etapa é interessante passar algumas noções de cálculos envolvendo ângulos, pra quem não lembra ou não sabe mais como fazer, acesse este link contendo algumas dicas.

Pra descobrir onde estavam os planetas no momento do seu nascimento com um mínimo de precisão você vai fazer o seguinte, vai anotar as posições de todos os planetas para o dia em que a pessoa nasceu e para o dia posterior. No caso da Regina Duarte, vamos anotar as linhas sublinhadas:

RETROGRADAÇÃO

Para saber se o planeta estava em movimento retrógrado, sempre no topo da efeméride, ao lado do posicionamento do primeiro dia, caso apareça um “R” significa que o planeta estava em retrogradação, isto é, andando para trás. Nos dias seguintes dentro do mês específico este R não irá aparecer mais, pois fica implícito que o planeta ainda está retrógrado. Quando acontece de no meio de um mês um planeta deixar de ficar retrógrado, aparece um “D” indicando a mudança de direção. Após este D o planeta ficará direto. Caso no início do mês o planeta já esteja direto, não haverá nenhum símbolo indicando isso, está implícito que o planeta em questão está direto. Caso ocorre de no meio de um mês onde um determinado planeta iniciou em movimento direto, o planeta ficar retrógrado, um R será colocado ao lado do posicionamento em graus do planeta naquele dia, indicando o início da retrogradação. Pra que isso fique bem claro, aconselho que você pegue efemérides para vários anos e explore, verificando como é grafado este processo da retrogradação, e também se familiarizando com o padrão de movimento de todos os planetas.

Vamos determinar passo a passo onde estava cada um dos planetas. Começando pela lua, o astro mais veloz.

LUA

No dia 05/02 as zero hora em Greenwich a lua estava em 06°Leão12’, e no dia 06/02 estava em 21°Leão02’. Temos que determinar qual a distância total em graus percorrida pela lua naquele dia, bastando que se faça a diferença entre os 2 posicionamentos. Tal diferença é igual a 14°50’. Depois disso vamos descobrir quanto a lua caminhou por hora:

Para isso é necessário transformar 14°50’ em minutos. Se 1° = 60’, 14° = 14 x 60 = 840 +50 = 890. Depois, dividir este valor por 24 : 890/24 = 37,08 (arredondamos para 37’, o que vai dar uma diferença mínima no final quando compararmos o cálculo feito por um programa, mas esse arredondamento torna nossa vida mais simples).

Até as 8:00 de Greenwich a lua havia andado 296’ (8 x 37). Para descobrir quanto a lua andou em 45 minutos, vamos descobrir quanto a lua andou a cada 15 minutos, simplesmente dividindo 37 por 4 (1 hora é igual a 4 x 15 minutos). O resultado é 9,2 . Multiplicando esse resultado por 3 (3 x 15 minutos = 45’) chegamos a 27,6 ou simplesmente 27 e somamos isso ao 296’ correspondente as 8 horas. Chegamos a 323’, o valor total em minutos que a lua andou ao longo do dia. Para descobrir quanto isso equivale em graus, é só dividir 323 por 60. O resto da divisão vai equivaler ao valor em minutos:

323 / 60 = 5, com resto igual a 23’, portanto da meia-noite até as 8:45 a lua havia andado 5°23’. Some isto à posição inicial da lua, que é 6°12’ de Leão, o resultado é 11°35’ de Leão.

O solar fire aponta lua em 11°38’ de Leão, 3’ a mais do que o resultado que encontramos, mas isso vem dos arredondamentos feitos ao longo do cálculo. Se quiser você pode simplificar o cálculo ignorando os minutos e trabalhando somente com graus inteiros, mesmo agindo assim é possível chegar a um valor aproximado. Tudo vai depender da sua necessidade de exatidão, se você almeja precisão absoluta, pode fazer os cálculos não arredondando nada.

SOL

Mesmo esquema, vamos determinar a posição do sol a meia noite do dia 5 e a meia noite do dia 6. dia 5 o sol estava em 15°20’Aquário, dia 6 estava em 16°21’. A diferença é de 1°01’, o que equivale a 61 minutos. 61/24 = 2,54. Neste caso vamos arredondar o 8:45 para 9:00, então simplesmente multiplicamos 2,54 x 9 = 22,87 = 23’ (arredondando) . Somando o valor encontrado com a posição inicial chegamos a posição do sol da Regina: 15°20’ + 23’ = 15°43’de Aquário.

MERCÚRIO

No dia 5/2 mercúrio estava em 24°33’ de Aquário, no dia seguinte estava em 26°20’ de Aquário. A diferença entre ambos é de 1°47’, que equivale a 107’. 107 dividido por 24 horas equivale a 4,45, que multiplicado por 9 equivale a 40,1 (arredondamos para 40’) e somamos a posição inicial de mercúrio. 24°33’ + 40 = 25°13’ de Aquário.

VÊNUS

No dia 5/2 Vênus estava em 28°41’ de sagitário e no dia seguinte estava em 29°45’ do mesmo signo. A diferença equivale a 1°04’, ou 64’. 64 dividido por 24 equivale a 2,66, que multiplicado por 9 é igual a 24’. Somando a posição inicial, encontramos que a vênus de Regina Duarte está em 29°05’Sagitário.

MARTE

No dia 5/2 Marte estava e 8°13’ de Aquário, e no dia seguinte estava e 9°00’ do mesmo signo. A diferença entre essas duas posições equivale a 47’. Este valor dividido por 24 horas equivale a 2’ por hora. Então 2 x 9 = 18’, somado com a posição inicial equivale a 8°31’Aquário a posição do marte natal de Regina Duarte.

JÚPITER

No dia 5/2 Júpiter estava em 25°27’ de escorpião e no dia seguinte estava em 25°34’ do mesmo signo. Uma variação ao longo de dia de 7’ apenas, fica fácil descobrir a posição de júpiter, nem precisa de muita conta. Neste caso júpiter anda 1 minuto a cada aproximadamente 3 horas, então Júpiter andou cerca de 3’. Assim, Júpiter natal de Regina está em 25°30’ de Escorpião.

SATURNO

No dia 5/2 Saturno estava em movimento retrógrado, em 4°39’R de Leão. No dia seguinte, ainda retrógrado, este planeta havia regredido para 4°34’R de Leão. Uma variação de 5’ apenas, o que equivale a uma velocidade de aproximadamente 1’ minuto por 4 horas. Assim, saturno regrediu cerca de 2’ apenas entre a meia noite e o momento do nascimento de Regina. O Saturno dela está em 4°37’R de Leão.

TRANSATURNINOS

Estes astros no dia do nascimento de Regina moveram-se, todos eles, apenas 1’ durante todo o dia, todos em movimento retrógrado. Basta anotar o posicionamento destes planetas para o dia 5/2 sem necessidade de cálculos.

Concluindo o cálculo do mapa de Regina Duarte, eis a lista dos posicionamentos anotados:

SOL: 15°43’de Aquário
LUA: 11°35’ de Leão
MERCÚRIO: 25°13’ de Aquário
VÊNUS: 29°05’Sagitário
MARTE: 8°31’Aquário
JÚPITER: 25°30’ de Escorpião
SATURNO: 4°37’R de Leão
URANO: 17°55’R de Gêmeos
NETUNO: 10°39’R de Libra
PLUTÃO: 12°07’R de Leão

Bom, eu não sei se ficou claro pra todo mundo como se faz. Eu mesmo tenho minhas próprias limitações na hora de transmitir idéias, e nem sempre a maneira como a gente se expressa fica clara pra todo mundo. Quem tiver dúvidas deixe nos comentários, terei o maior prazer em responder.

Como calcular o Mapa Astral?

 

 

A imensa maioria das pessoas se contenta em estudar porcamente a teoria astrológica e torce o nariz na hora de fazer os cálculos. É certo que nos dias de hoje um grande domínio nesses cálculos é desnecessário porque existem programas que nos fornecem os resultados de maneira instantânea, mas o entendimento do processo e da lógica envolvida pode evitar algumas confusões. Assim hoje vou me dedicar numa tentativa de demonstração do método para o levantamento de um mapa, começando pela determinação do ascendente. Como exemplo, vamos usar o mapa da atriz brasileira Regina Duarte, que nasceu em 05/02/1947. As 5:45 em Franca, no estado de São Paulo.

O que é necessário pra se calcular um mapa astral?????

-além dos dados de nascimento, que são dia, mês, ano, hora e cidade de nascimento, é necessário conhecer a latitude e a longitude da cidade a ser estudada. Isso é facilmente conseguido pesquisando no Google, ou na Wikipédia pelo nome da cidade em questão. Nos posts referentes a cidades quase sempre constam a latitude e a longitude.

-Efemérides astrológicas para o ano em questão, facilmente conseguidas no link: Efemérides

-Uma tábua de casas, preferencialmente para o hemisfério sul, mas se você conseguir somente para o hemisfério norte não tem problema. A única tábua de casas em e-book que eu encontrei foi a de Regiomontanus que pode ser baixada neste link: Tábua de casas regiomontanus hemisfério norte . Trabalharemos, portanto com uma tábua de casas para o hemisfério norte, ainda que o nosso mapa de exemplo seja de alguém nascido no hemisfério sul.

-Uma tabela indicando as datas de início e fim do horário de verão e cada ano.Veja aqui: Horário de Verão no Brasil

Pesquisando na Wikipédia, descobri que a latitude da cidade de Franca é 20°32’20’’Sul (S), e a longitude é 47°24’03’’ Oeste (W). Anotamos esses dados.

HORÁRIO DE VERÃO

É necessário determinar se na data em questão não existia o horário de verão. Olhando na Tabelinha, no ano de 1947, em que a Regina nasceu, vemos que não havia horário de verão, portanto neste caso não iremos fazer NADA, empregaremos o horário que nos foi fornecido. Caso houvesse horário de verão, simplesmente deduziríamos 1 hora daquela que nos foi fornecida.

HORA LOCAL:

Agora precisaremos determinar a hora local do nascimento da Regina. Como assim, que história é essa de hora local? Se você olhar no seu relógio agora, a hora registrada estará em compasso com a hora padrão do seu fuso horário, que é a hora local de um meridiano específico usado como referencia. Se você mora em Franca, o relógio pode estar marcando 5:45 am, mas este horário é a hora local do meridiano de 45°W adotado como referência para o fuso (-3) que é o nosso fuso horário aqui no Brasil (na maior parte do pais ao menos, região sudeste inteira esta inserida no meridiano 45W). A hora local em Franca é outra e seria facilmente descoberta construindo-se um relógio solar na em Franca, ou então aplicando-se o seguinte cálculo:

-A base do cálculo será sempre o meridiano de referência, no caso 45°W.

-Descubra a diferença em graus entre o meridiano local e o meridiano de referencia.
Neste caso, o meridiano local é o 47°24’03’’ Oeste (W). A diferença entre este meridiano e o meridiano padrão é: 2°24’03’’

– Como regra geral, você irá adotar a seguinte proporção:
1° de longitude = 4 minutos no relógio
15’ de longitude = 1 minuto no relógio

-Então você irá converter a diferença em graus entre o meridiano local e o meridiano de referência usando aquela proporção. No caso, vamos arredondar a diferença encontrada, que foi de 2°24’03’’ para 2°30’. Isso irá equivaler a 10 minutos do relógio.

-Como regra geral, após você descobrir a diferença em minutos equivalente a diferença entre os meridianos, você irá:

*Deduzir do horário fornecido esta diferença, caso o nascimento tenha ocorrido a oeste do meridiano padrão.
*Somar ao horário fornecido esta diferença, caso o nascimento tenha ocorrido a leste do meridiano padrão.

Franca se localiza a oeste do meridiano padrão empregado, então neste caso iremos deduzir a diferença encontrada da hora fornecida como dado para o cálculo do mapa. Assim, no caso de Regina Duarte a hora local é 5:35 am

TEMPO SIDERAL:

Este é muito simples de se verificar. Você irá abrir a efeméride astrológica referente ao ano de 1947, no mês de fevereiro. A primeira coluna é a dos dias (Day), a segunda coluna é a do tempo sideral (sideral. T.). Você vai ficar atento ao tempo sideral referente ao dia que a Regina nasceu (05/02) e no dia posterior (06/02). Veja na figura abaixo:

O tempo sideral registrado nesta efeméride se refere a 00:00 em Greenwich para a data especificada. Regina nasceu no Brasil, era 5:45 mas em Greenwich já eram 8:45. Você nota que o tempo sideral varia muito pouco ao longo de um dia, de 8:57:12 para 9:01:9, pouco menos de 4’ de variação em um dia. Às 00:00 o tempo sideral valia 8:57, mas as 6:00 já valia 8:58. Ao meio dia era 8:59 no tempo sideral, e as 18:00 o tempo sideral correspondia as 9:00. Regina nasceu no pouco antes da metade do período entre as 6:00 e meio-dia e Greenwich, assim o horário sideral dela corresponde a 8:57.

TEMPO SIDERAL LOCAL

Corresponde a soma entre a hora local e o tempo sideral. Caso essa soma ultrapasse 24:00, diminua 24:00 do valor obtido. No caso de Regina:

Hora Local = 5:35

Tempo Sideral = 8:57

Tempo Sideral Local = 14:32

ANOTANDO AS CÚSPIDES:

Caso nós fossemos consultar uma tábua de casas para o hemisfério sul, não haveria mistério. Olharíamos na página correspondente a latitude ou a hora sideral e simplesmente anotaríamos as cúspides. Como iremos empregar uma tábua de casas para o hemisfério norte, alguns ajustes tem que ser feitos:

Em primeiro lugar, some 12:00 ao tempo sideral local encontrado anteriormente. Neste caso fica 26:32, então se deduz 24:00 e o resultado é 2:32.

Nesta tábua de casas que eu disponibilizei o autor decidiu organizar as páginas de acordo com o tempo sideral Local. Então você vai até a página correspondente a 2:32. No topo da página deverá estar escrito MC 10 Ta 25, significa Meio do céu em 10°Touro25’. Em todas as latitudes do hemisfério norte, quando a hora sideral local é igual a 2:32, o MC será igual a 10°touro25’. O ascendente e as demais cúspides, entretanto irão variar de acordo com as latitudes. Esta é exatamente a página que vocês precisam visualizar:

A linha sublinhada é justamente a linha correspondente a latitude de 20°. Na hora de anotar as cúspides , você só irá tomar o cuidado de inverter os signos: Se La aparece MC 10°Touro, Na realidade você irá utilizar MC 10° Escorpião. Se o ascendente lá aparece como 12°Leão, você irá utilizar Ascendente e 12°Aquário.

As cúspides para o mapa da Regina Duarte então seriam, baseado no sistema Regiomontanus, computado por este autor específico que estamos usando:

Casa 10 (MC) = 10°Escorpião
Casa 11 = 13° Sagitário
Casa 12 = 14° Capricórnio
Casa 1 = 12° Aquário
Casa 2 = 9° Peixes
Casa 3 = 8° Áries

detalhe é que as casas opostas a essas tem a cúspide no mesmo grau, as em u signo oposto. Assim:

Casa 4 = 10° Touro
Casa 5 = 13° Gêmeos
Casa 6 = 14° Câncer
Casa 7 = 12° Leão
Casa 8 = 9° Virgem
Casa 9 = 8° Libra

Nota: diferentes tábuas de casas de um mesmo sistema podem fornecer valores ligeiramente divergentes, normalmente as divergências não ultrapassando 1°. Sistemas de casas diferentes apresentarão outros valores para cúspides, pois são baseados em um cálculo específico. Outras divergências ocorrem devido aos arredondamentos feitos ao longo dos cálculos, e também ao fato de a latitude que se trabalha não constar na tabela. Por exemplo, Regina nasceu na latitude 20°32, as na Tábua de casas encontramos apenas ou latitude 20°00 ou 21°00. Caso a pessoa queira encontrar um valor realmente exato, ela pode fazer uma média entre os valores encontrados entre as duas latitudes disponíveis.

Continua