Touro

Em touro o novo está estabelecido e não é mais novo. Já é tradicional, normal, básico, incorporado, enrijecido, mas ainda não é trabalhado ou desenvolvido: apenas fixado. É touro, portanto o estágio de solidificação daquilo que é concebido em Áries. Este signo simboliza a segurança, a durabilidade e é quem traz o conceito de valor e apego, extremamente necessário para garantir a sobrevivência da idéia ariana, tão frágil e rudimentar. Touro é o estágio onde nos acostumamos com determinada coisa e aquela coisa nos proporciona conforto, prazer e nos deixa seguros, pois sabemos que ela sempre estará ali (até o momento em que escorpião chega pra acabar com a boa vida, mas isso é mais a frente).

Podemos dizer que touro é o grande objetivo de Capricórnio. Capricórnio como ápice de um ciclo, simboliza a conscientização da queda iminente, é o momento onde se começa a preparação para a finalização e também para o estágio de condições rudimentares representado por Áries, onde tudo é novo e incerto. A sensatez capricorniana, que pode ser interpretada como pessimismo e má vontade em alguns momentos, induzem ao impulso de guardar e se preparar para o fim que se aproxima, e é uma busca pelas condições simbolizadas por touro, de segurança e solidez. Aquário da início a incerteza prenunciada em capricórnio, a ordem que se tinha antes perde o seu valor e o que ocorre é uma desvalorização generalizada do que se tinha como “o certo” e uma liberação total em termos de valores, onde a própria palavra valor fica um tanto incoerente. Em aquário as coisas são abruptas, mudam muito rapidamente e fica impossível se manter qualquer coisa. O jeito é permitir que as coisas ocorram de uma vez, da maneira que elas têm que ocorrer.

Neste ponto chegamos em Peixes e aqui observamos de que maneira Touro pode ser uma conseqüência de peixes: A ação aquariana gera certo sofrimento porque é fria e iconoclasta, derruba valores e traz incerteza. O apego aos valores antigos gera sofrimento quando estamos neste estágio, portanto em Peixes aprendemos o desapego aos valores antigos e a aceitação do novo que ainda está por vir, para que a segurança (touro) venha logo de uma vez.

Enquanto estamos estacionados, estamos em touro. Touro não vai além da solidificação e sua conseqüência natural é o tédio. Sua função é fixar os alicerces do ciclo que está apenas começando. Outros irão desenvolver isso melhor, e jamais passa pela cabeça taurina a idéia de fim. Finalizar não é com touro, este signo quer que tudo dure eternamente. Trata-se do impulso de manter as coisas, algo essencial para garantir a sobrevivência, mas algo que pode ser nocivo ao conceito de desenvolvimento.

Áries

Aries como signo inicial simboliza a iniciativa e o vigor, a força inicial que move todas as coisas. É uma ação impensada, um impulso, algo de ríspido e truculento. Uma idéia totalmente nova, extremamente simples e rudimentar, mas que é aquilo de mais necessário que existe no momento em que ela surge: Áries é antecedido pelo caos, pela desordem e pelo fim de uma Idéia que foi desenvolvida até o seu limite e que no atual momento é ultrapassada: Somente Áries pode, com sua audácia e agressividade, impor uma nova ordem, ainda que simplória e rudimentar, que seja capaz de se sobrepor ao desânimo e os fragmentos zumbiformes remanescentes do ciclo anterior.

Áries é conseqüência de sagitário e aquário: Sagitário é quem tenta prever o futuro, ansioso por uma nova ordem, alimentando sempre uma nova esperança e Áries é a concretização da aspiração sagitariana. Não à toa, Áries é a quinta casa de sagitário, sendo a quinta casa aquilo que geramos, onde age nossa força criadora. Aquário é quem possibilita a existência de Áries: Capricórnio seria o estágio de cristalização máxima da ordem antiga, o ápice e também o prenúncio da queda. Há algo de culminante e de decrépito atuando simultaneamente neste signo. Aquário é a destruição da ordem vigente (capricórnio) que conduz a manifestação posterior do que foi previsto em sagitário. Mas antes da chegada do novo existe ainda um estágio que é conseqüência de aquário, o signo de Peixes. A conseqüência da destruição de uma ordem é naturalmente a desordem generalizada, o caos. Peixes simboliza, portanto este estado de caos e de morte de um ciclo. Assim chegamos finalmente a Áries, algo totalmente novo, que se desenvolverá, se estabelecerá e se transformará numa nova ordem, para que seja novamente destruída e reiniciada ….

Enquanto a idéia ainda é nova, ainda é simples, ainda não é desenvolvida mas é apenas uma nova onda, temos Áries. E Áries fica nisso mesmo, enquanto a coisa é nova ela é Áries, quem vai estabelecer ela sãos os outros. Finalizar então esta fora de cogitação pra Áries. Sua função é a de dar o pontapé inicial, algo que parece dificílimo, para outros, como virgem e câncer, pra Áries é natural. O difícil pra ele é manter e continuar as coisas, a vontade ariana é a de sempre começar tudo de novo, renovar.

Ciclos na astrologia

Nossa vida é repleta de repetições, retornos, as circunstâncias mudam constantemente, mas aparentemente somos sempre levados a repetir ações, a rever sensações, a reviver experiências sob novas circunstâncias. Para a astrologia, isso acontece devido à periodicidade dos ciclos planetários. Cada planeta, com seu período específico, colore, por assim dizer, algum setor da nossa vida, emprestando suas qualidades e introduzindo seus assuntos a medida que transita através do nosso mapa formando aspectos com nossos planetas natais.
Não limitando-se somente aos ciclos dos planetas, a astrologia aborda também ciclos de caráter pessoal, como o ciclo da lua progredida, dos ascendentes de revolução solar, o factum, etc. Mas os ciclos planetários tem um caráter mais universal, eles marcam épocas e tendências se repetem a medida em que os posicionamentos se repetem, sendo a linguagem destes signos compreendida e vivenciada por todos, que reagem de diferentes maneiras (segundo a maneira específica que cada planeta toca seu mapa).
Júpiter e Saturno são os planetas mais importantes quando analisados os trânsitos, uma vez que eles são uma ponte entre o puramente pessoal e o social. Já Os planetas mais lentos (urano, netuno e plutão) não são encarados como ciclos, se partirmos de um ponto de vista pessoal, porque um ciclo necessita ter um começo, um meio e um fim. Dada a lentidão destes, eles jamais concluiriam um ciclo no mapa natal, com urano conseguindo isso em alguns casos muito raros (seu ciclo é de 84 anos) .
Por outro lado, esses planetas lentos possuem ciclos que nos afetam dum ponto de vista social, à medida que transitam pelos diferentes signos, marcando épocas e caracterizando transformações sociais. Pessoalmente, é assim que os interpreto: Um trânsito de plutão marcará sua vida porque você sofrerá reflexos e conseqüências no plano pessoal, decorrentes de profundas transformações que estarão ocorrendo no âmbito social.
A energia é muito sutil e pode ser vivida como uma crise de identidade, quando seu modo habitual de agir de repente destoa de modo gritante de uma tendência silenciosa, um fluxo inconsciente que seria neste caso a “nova ordem” trazida pelo planeta que aplica o trânsito. O mundo muda, mas você continua o mesmo, a mudança não ocorre num passe de mágica, é você quem terá de se adaptar a nova circunstância !

Lua em Câncer

Com a Lua em Câncer seu universo emocional é intenso. Você tem um respeito, um apego e um amor tão intenso e tão incondicional pela sua própria história, pelas pessoas que povoaram seu passado e principalmente pela sua família que não é exagero dizer que você é um eterno nostálgico. Se não tiver uma família você certamente irá inventar uma nova, e suas amizades são encaradas como pactos, como se os novos amigos fossem novos membros do clã, e você não tolera nada que seja superficial em termos de relacionamento.

Você é acolhedor, caloroso e apto a fazer com que todos se sintam bem ao seu redor, mas é sensível, se magoa facilmente e raramente faz cerimônias em relação as suas emoções, expressando-as sem pudor. Como o chefe de uma máfia, você não tolera traições e exclui aqueles que não são dignos de compartilhar da sua intimidade. Como uma mãe, você acolhe, protege e gera vínculos de dependência dos quais se alimenta. Pra você é primordial o sentimento de raiz, de suporte, de base, daí a importância que tende a ser direcionada a sua família, mas principalmente para os pais.   

A infância em geral é marcada por muita proteção e plena nutrição física e emocional. A não ser em casos de uma lua mais aflita, a pessoa cresce com uma sólida segurança e um alto grau de amadurecimento emocional, que é interpretado de forma errônea por muitas pessoas. É que muita gente nos dias de hoje confunde a transparência emocional canceriana como se isso fosse uma fraqueza. De fato essa transparência torna o nativo aparentemente mais vulnerável, mas as pessoas que tem lua em câncer aprenderem cedo a ser transparentes expondo suas vulnerabilidades e ao mesmo tempo aprendendo a cuidar da retaguarda ao lidar com as hostilidades mundanas. Se conectar com o que sente, expressar esses sentimentos e ser certeiro na hora de identificar o que que lhe faz bem (acolhendo isso sem cerimônias) e o que lhe faz mal (imediatamente afastando a ameaça e assumindo uma postura emocionalmente encouraçada), ser intuitivo e ter uma memória primorosa de natureza emocional não são sinais de fraqueza, mas de muita força e de muita inteligência emocional, porque se pra você é fácil acessar esse espectro da vida, pra maioria das pessoas esse pode se configurar como um dos maiores desafios da existência. 

A lua em Câncer é também um termômetro, porque sentem o ambiente de maneira plena, e assumem uma postura defensiva automática diante da violência , da vulgaridade e da mesquinhez  emocionais que sentem ao redor, fechando o semblante e não disfarçando o mau humor. A sensibilidade é tamanha que chega ao ponto de ser específica: A lua em Câncer sempre sabe reconhecer a fonte de ameaças, onde elas vão se fechar como ostras para os emocionalmente hostis e vão ficar completamente abertos para quem lhes parece legal. É como se tivessem nascido com um sensor de infra-vermelho que lhes alerta sobre as bad vibes da vida. Nas situações opostas, quando o ambiente é amigável, essa lua fica à vontade quase que automaticamente revelando um temperamento amigável, divertido e atencioso. Não se trata de uma questão assim tão subjetiva, de modo geral quem assume um comportamento agressivo, superficial, artificial ou negativo leva a lua canceriana a se defender, não se tratando de uma questão de interpretação da realidade mas de percepção e precaução. A lua canceriana instintivamente sabe que você pode ser um babaca, você não precisa agir como um pra ser automaticamente excluído. E mesmo que você esteja sendo um tolo, se a lua canceriana perceber algo de bom em você ela é a que vai se aproximar e vai tentar lhe fazer se sentir à vontade.  

Outra questão da lua canceriana é que são céticos em relação a capacidade de regeneração do outro. Se você aprontou no passado, a lua canceriana nunca esquece. Isso não quer dizer que ela não consiga perdoar ou que fique alimentando rancores, porque em geral são emocionalmente maduros demais pra ficar colecionando picuinhas, e decididamente, não é exatamente o tipo de lua que bebe veneno de forma voluntária. Então apesar de ter sido perdoado e de já não existirem mágoas, a lua canceriana nunca mais vai voltar a confiar em você; Se tentar se aproximar ela vai se fechar como uma ostra e haverá um claro limite onde a sua entrada jamais voltará a ser permitida. Mas ela vai continuar a falar com você, vai até te tolerar nas redondezas. Mas aquele lugar especial no coração dela você nunca mais vai voltar a ocupar, e graças a você o mesmo vale pra qualquer pessoa que se pareça (psicologicamente) com você. Questão de sobrevivência. Você pode inclusive ter mudado e ser outra pessoa hoje, mas a lua canceriana não vai se arriscar.    

Sol em Câncer

Neste signo o foco individual será colocado na questão de se ter base, raízes, fundamentos: sem isso o senso de identidade da pessoa está muito comprometido. Ela não se importa tanto assim em ser, ter, se expressar, ela prefere estar enraizada, ter um norte para a sua vida e seu foco vai ser direcionado também para suas origens e para seus familiares. Vai se importar bastante com o passado e os relacionamentos emocionais também serão encarados com bastante intensidade. Ter um lar, um chão, um espaço seu é fundamental.
O temperamento da pessoa a leva a ser protetora, territorialista, reativa e o “nepotismo” tende a ser marcante: o valor dos outros não será medido a partir de quem esses outros são, ou o que eles têm ou quem eles conhecem: tudo será baseado no grau de proximidade, já que a pessoa não consegue lidar com o que lhe é alienígena, preferirá sempre aquilo que já lhe é próximo. Emotiva, frágil e insegura, a pessoa será sempre voltada para as coisas que são capazes de lhe confortar e lhe trazer a segurança, daí a necessidade de bases e o apego ao que já é conhecido.

A pessoa é instável, muda com facilidade especialmente no que diz respeito ao seu humor. Os nascidos no hemisfério norte (verão) são mais agressivos, autoritários e com mais espírito de liderança. Os nascidos no hemisfério sul (inverno) tendem a ser mais emotivos, instáveis e subjetivos. Os cancerianos que nascem na Lua nova são mais alegres e dinâmicos, sociáveis e menos tímidos (os que tem lua em leão e virgem, e a lua em câncer ou libra dependendo do grau). Os cancerianos que nascem na lua crescente são invasivos, agressivos e autoritários (todos os que tem lua em escorpião e sagitário, a lua em libra e em Capricórnio pode ser crescente a depender do grau). Os cancerianos da Lua cheia são mais sérios e melancólicos, pragmáticos, práticos e estáveis (A lua em aquário e a lua em peixes, assim como a lua em Capricórnio e a lua em Áries a depender do grau). Os cancerianos da lua minguante são os mais típicos, sendo instáveis, emotivos e mais inseguros (A lua em Touro e em Gêmeos, assim como a lua em Áries e em Câncer a depender do grau).